Categoria: Destaque

Destaque

Ceilândia mostra força: 3×0 no Samambaia

Thiago fez defesa que mudou totalmente o rumo do jogo

Thiago, Cabralzinho, Romarinho e Clemente garantiram importante vitória do Ceilãndia sobre o Samambaia. 

Cabralzinho comemora com Clemente o primeiro gol

Jogando no Serejão, na tarde deste sábado, o Ceilândia foi eficiente e venceu o Samambaia por 3 x 0.

Bambu correu muito e pareceu sobrecarregado

O Ceilândia começou melhor, mas foi o Samambaia quem teve a primeira chance clara de gol, mas parou nas mãos de Thiago.

China teve muito trabalho, mas respondeu à altura

Não demorou muito e o Ceilândia abriu o marcador aos 19. Bela troca de passes pela direita com Paulinho, Kennedy e Clemente. Clemente serviu Cabralzinho na área. O meia driblou o zagueiro e marcou com categoria. 

Clemente: uma assistência, um gol e melhor jogador da partida

Foi muito legal ver Cabralzinho marcando, principalmente porque tem sido vítima de injusta perseguição por parte de um grupo pequeno de torcedores.

Romarinho: novamente boa partida e gol

Apesar do gol, a posse de bola era do Samambaia. Dos 49 minutos do primeiro tempo, 32 minutos foram jogados no campo do Ceilândia. 

Romarinho é o artilheiro do Candangão 2024

Veio o segundo tempo e o Ceilândia voltou melhor ou o Samambaia voltou pior. O fato é que Thiago não fez qualquer defesa importante no segundo tempo. 

Para melhorar, Clemente, em jogada individual, fez um belo gol aos 21 do 2o tempo. Já no apagar das luzes, Elbinho deu bela assistência para Romarinho fazer 3 x 0.

Vitória para ser comemorada, mas sábado tem Gama

Na próxima rodada o Ceilândia vai ao Bezerrão enfrentar o Gama.  O campeonato agora ficou sério. 1 time dos 5 primeiros ficará de fora. A nota de corte atualmente é de 19 pontos. Quanto antes chegar nos 19 pontos, melhor.

Agradecimentos: todas as imagens acima são de Ceilandia EC Oficial (Alan Rones).

O futebol é cruel: Ceilândia 1 x 1 Paranoá

A primeira chance alvinegra veio nos pés de Kennedyr

Antes de tudo: foi um jogão. Foi o que se esperava de um jogo de muita importância. Foi disputado, sofrido, nos detalhes.
Os detalhes, contudo, estiveram contra o Ceilândia.

Clemente fez o gol alvinegro e também perdeu boas oportunidades.

O Gato Preto fez o que se esperava dele. Tomou a iniciativa do jogo, criou boas oportunidades de gol (nem tanto claras) e merecia a vitória.
O Paranoá, contudo, fez o que se esperava dele. Forte na defesa, jogou por uma bola e na única oportunidade de gol tirou a vitória alvinegra.

Romarinho deu muito trabalho para a defesa do Paranoá

O primeiro tempo mostrou o Ceilândia melhor. Thiago não trabalhou. O Gato Preto perdeu ao menos uma grande oportunidade de gol. Não fez e o primeiro tempo terminou em 0x0.

Cabralzinho é o cérebro do time. Ceilândia caiu de produção quando saiu.

Veio o segundo tempo e a dinâmica do jogo se manteve. O Ceilândia tinha a iniciativa. O Paranoá esperava uma bola.
O Gato Preto abriu o marcador em bela jogada de Cabralzinho e conclusão de Clemente. A vitória parecia certa. Não estava.

Grande atuação de China ofuscada pelo gol de empate

O Paranoá não se desesperou. Esperou uma bola parada e empatou.
O Ceilândia foi ao ataque, mas o banco mostrou a deficiência de sempre.

Julio Cezar (foto) e Bambu se recuperaram da atuação contra Capital: bom jogo de ambos

Após a saída de Cabralzinho, o time já não era mais o mesmo. Nolasco tem seu valor, mas não conseguiu imprimir o ritmo de CAbralzinho. Railson, muito tímido, não substitui Romarinho. Felipe entrou no lugar de Kennedy e nada acrescentou.

Clemente fará o gol, mas será insuficiente para a vitória

A reta final chegou. A gordura das primeiras rodadas está no limite. O Ceilândia mostrou virtudes importantes, ofuscados por uma bola acidental. O que vimos hoje nos dá esperança, mas todos sabem que para ser campeão é preciso melhorar ainda mais.

A lá Indiana Jones: Capital atropela o Ceilândia

Cena de Indiana Jones e Caçadores da Arca Perdida

Quem assistiu Indiana Jones e os Caçadores da Arca Perdida deve se lembrar de uma cena: O personagem enfrenta um outro armado com uma espada. O outro, tem uma visão ritualística do combate e se esmera em demonstrar a sua habilidade com a espada. Indiana Jones é direto ao assunto: dispara o revólver e resolve o problema.

Muitos espaços às costas de Bambu

A cena diz muito do jogo de ontem, no qual o Ceilândia foi impiedosamente goleado pelo Capital por 5 x 1. O Ceilândia ficou preso no ritual. Esqueceu que cada jogo é um jogo, que cada duelo é um duelo e você precisa estar preparado para as armas do adversário.

Sistema defensivo não funcionou

Esse problema no ritual alvinegro já havia sido sentido no jogo contra o Brasiliense. A transição amarela, com passes, vindo de trás,  incomodou o Ceilândia bastante e se tivessem saído à frente do marcador a história do jogo evidentemente seria outra.

Wisley falhou no primeiro gol do Capital

O problema no ritual alvinegro sempre foi às costas de Pedro Bambu. Não é o fim do mundo, mas o meio de campo defensivo fica desequilibrado.  A última linha de defesa não foi bem, mas é preciso distinguir o que é causa e o que é consequência. O problema também estourou na última linha de defesa.

Clemente ficou encaixotado na defesa adversária

Claro, a história do jogo poderia ser outra se o gol de Clemente tivesse valido. Não valeu. Na sequencia o Capital fez 1 x 0. 

Romarinho deu esperança, mas não durou muito

O Ceilândia impôs o seu jogo, com os defeitos rituais de sempre, mas impôs. Poderia ter empatado, mas não criou situação clara de gol.

Kennedy foi substituído, mas nada mudou.

O Ceilândia era melhor quando sofreu o segundo gol. Depois disso, o time não chegou mais na área adversária

ùltima linha de defesa não foi bem, mas ficou desprotegida

Veio o segundo tempo e Romarinho diminuiu logo no início e reacendeu esperanças. Não deu tempo nem de comemorar. O Capital fez 3×1 num lance muito contestado pelos jogadores e dirigentes.

Romarinho poderia ter diminuído o vexame, mas não era dia

Daí para frente, o Ceilândia era valente, sempre foi, mas não conseguiu evitar o desastre. Elbinho foi desarmado, reclamou de falta, e o Capital fez 4 x 1 no contra-ataque. Não demorou, fez 5×1 e deu números finais ao jogo.

Capital atropelou o Ceilândia

Muita reclamação em relação a Savio Sampaio. Não vamos perder nosso tempo falando desse árbitro especificamente, nem de sua arbitragem. O que tinhamos para falar já falamos nesses anos e a retirada do escudo FIFA fala o resto.

Ceilândia goleia Santa Maria antes de enfrentar Capital

Clemente faz o primeiro contra o Santa Maria

Nesta tarde nublada de sábado, o Ceilândia goleou o Santa Maria por 6 x 0 e continua firme na sua empreitada rumo às semifinais.

Cabralzinho fez 2×0 e recebeu cumprimentos de Adelson e Roquete

Apesar do placar elástico, o Ceilândia teve muita dificuldade nos primeiros 30 minutos. Foi somente aos 32 que o Gato Preto abriu o marcador.

Wisley fez mais uma boa partida. Agora, adversário de peso.

A jogada começou numa reposição errada de Henrique, que substituira Matheus Silva, e grande recuperação de Julio Cesar que passou a Romarinho que serviu Clemente para abrir o marcador.

Cabralzinho mais uma vez importante

O segundo gol não demorou muito. Jogada de Romarinho e gol do maestro Cabralzinho.

Clemente toca para fazer 3×0  e ultrapassar o mito Allan Dellon na artilharia histórica do Ceilândia

A goleada que já se desenhava ganhou forma no segundo tempo. Clemente fez 3 x 0. Romarinho fez 4×0 e 5 x 0 .

Romarinho comemora um de seus 2 gols com Clemente e Euler

Nos minutos finais, em jogada de China, a bola desviou no zagueiro e Ceilândia 6 x 0.

Adelson aproveitoui para dar oportunidade a Pedrinho

Atuação convincente do Ceilândia que precisa ser colocada no contexto do campeonato.

Kennedy não foi brilhante, mas foi importante

O Ceilândia confirmou que é forte candidato a uma vaga das semifinais. O campeonato está dividido. Ao não perder ponto para time do Z5, na prática o Ceilândia apenas fez o que se espera dele.

Euler quase fez o dele

A questão não é o que fez, mas como fez e contra quem fez. O Santa Maria é o Santa Maria e o Capital é adversário totalmente diferente.

Elbinho entrou e teve a sua oportunidade

Na próxima rodada o Ceilândia volta a enfrentar um time do Top5: o Capital. Depois, enfrenta o Paranoá, também do Top5. Contra times de nível alto, será a vez do Ceilândia mostrar a que veio.

Ceilândia faz 3×0 no Planaltina e volta para liderança

Julio Cesar comemora o primeiro gol alvinegro

O Ceilândia venceu o Planaltina por 3 x 0 e com isso voltou à liderança do Candangão 2023.  Rodada indica que 5 times disputam 4 vagas. 3 pontos separam o primeiro do quinto lugar.

Romarinho recebeu de Clemente e fez 3 x 0

O jogo parecia que seria complicado, mas um gol logo aos 10 minutos mudou todo o panorama da partida.

China, pela esquerda, teve menos trabalho que Wisley pela direita.

Logo no comecinho, Julio Cesar completou cruzamento e de cabeça e fez Ceilândia 1 x 0.

Cabralzinho foi bem no primeiro tempo. No segundo, o time jogou diferente.

Sequer deu tempo para o Planaltina reagir. Aos 12, Clemente recebeu de Romarinho e fez 2 x 0.

Defesa do Ceilândia controlou ataque do Planaltina

Aos 42, foi a vez de Clemente retribuir a gentileza. Serviu Romarinho que fez 3 x 0.

Kennedy não teve a mesma atuação dos jogos anteriores, mas não precisou

O time venceu por 3 x 0 . Olhando o jogo, contudo, podemos dizer que o fato da partida ter sido definida logo com 12 minutos mudou todo o panorama. O Ceilândia não precisou fazer um grande partida. Precisou administrar o jogo.  Pensar no campeonato.

O segundo tempo do Ceilândia foi ruim para quem esperava que o time ficasse com a bola e mantivesse a iniciativa do jogo.

Ao final, a defesa do Ceilândia controlou as ações do Planaltina e o jogo terminou com o placar do primeiro tempo: 3 x 0.

Vitória importante e é isso que importa. É preciso tirar lições de jogos como este, mas não se pode tirar o brilho da vitória. 

Na proxima rodada o Ceilândia enfrenta o Santa Maria, antes de enfrentar os dois vice-líderes: Capital e Paranoá. Gato Preto mostrou que é candidado a vaga nas semis. Muita coisa por acontecer:Campeonato está apenas começando.

Ceilândia bate Brasiliense: 2 x 1

Wisley fez uma excelente partida. China, do outro lado, também.

O Ceilãndia venceu o Brasiliense na tarde deste sábado por 2 x 1. O resultado põe fim a uma longa espera: o Gato Preto não vencia o adversário desde 2018. Agora é o Ceilândia quem está há 3 jogos sem perder para os amarelos.

Romarinho infernizou a defesa amarela e fez seu 36o gol

Foi um grande jogo, principalmente no primeiro tempo. O Brasiliense tinha mais volume de jogo e obrigou Thiago a fazer diversas defesas.

Torcida compareceu em bom número e fez a festa

O Ceilândia, a seu turno, era mais objetivo. As melhores chances do primeiro tempo foram do Ceilândia. 

Thiago fez defesas importantes

Veio o segundo tempo e o Ceilândia assumiu as rédeas da partida.  

Apesar do volume do Brasiliense, melhores chances foram do CeiLândia no 1 tempo

Aos 3, Clemente aproveitou a sobra na área e fez o seu 14o gol com a camisa alvinegra, o primeiro em 2024. Clemente está a um gol de entrar no Top 10 dos maiores artilheiros do Gato Preto.

Por pouco a bola  passa…

Após o gol o Ceilândia continuou melhor. O Brasiliense parecia um time confuso. Aos 20 , Romarinho fez o segundo gol do jogo, o 36o com a camisa do Ceilândia e se isolou na história como  o segundo maior artilheiro alvinegro, deixando o bicampeão Dimba com 35.

Pedro Bambu teve muito trabalho

Após o gol, o Ceilândia continuou melhor por algum tempo,  mas os defeitos do primeiro tempo voltaram a se manifestar quando o Brasiliense mexeu no elenco. 

Cabralzinho foi muito importante

O Ceilândia dava muito espaço para a transição amarela. Apesar disto, diferente do primeiro tempo, Thiago não trabalhou.

Clemente bate para abrir o marcador

O árbitro deu 7 minutos de acréscimo. Faltando 2 minutos para o término, o Brasiliense descontou. Já não dava mais tempo.

Clemente e Romarinho comemoram: artilheiros do alvinegro

Importante vitória alvinegra. Fica o sabor positivo da vitória, mas as dificuldades alvinegras para conter a transição defesa-ataque do Brasiliense incomodam.  No coração do torcedor é melhor vencer sem sustos.

 

Ceilândia bate Real na estreia de 2024

Euller e Clemente disputam: Ceilândia igualou na vontade e contou com o talento para vencer

Nãos se esperava mais que isso: vitória. Também não se esperava uma atuação de encher os olhos por uma série de razões.

China não teve muito trabalho, mas a direita de defesa teve

Primeiro jogo do ano, jogadores ainda sem rítmo de jogo, adversário desconhecido.. tudo isso pesa.

Adelson promoveu muitas estreias

O Ceilândia foi melhor que o Real no primeiro tempo. O Gato Preto tinha dificuldade na transição defesa para o ataque, mas a bola longa funcionava e Kennedy levava vantagem sobre o lateral adversário. Restava ao Real parar o jogo seguidamente.

Cabralzinho foi hostilizado por parte da torcida. Fez boa partida e saiu aplaudido

O melhor futebol do Ceilândia levou a que Romarinho abrisse o placar após bela triangulação de Clemente, Kennedy e Emerson.

Clemente deu muito trabalho para o Real: saiu machucado

Depois do gol, o Ceilândia cedeu espaço para o Real. Contraditoriamente, foi somente após o gol que o Ceilândia conseguiu espaço para fazer a transição pelo chão.

Romarinho fez o 35o gol com a camisa do Ceilândia

No segundo tempo, o Real esteve melhor, mas parou nas mãos de Thiago Silva, o novo goleiro alvinegro. No final, vitória alvinegra por 1 x 0,  uma escrita quebrada e outra mantida. Escrita Mantida:  O Ceilândia jamais perdeu para o Real como visitante. Escrita Quebrada: o Ceilândia jamais havia vencido um jogo arbitrado por Marcelo Rudá. 
Vitória importante. Ainda é difícil dizer o quê esperar do Ceilândia, mas o importante é vencer.

Romarinho igualou Dimba como segundo maior artilheiro da história do Ceilândia

Parte da torcida pegou no pé de Cabralzinho. O meia fez uma boa partida. Juntamente com Pedro Bambu, comandou as ações do meio de campo.

Clemente e Romarinho preocupam para o jogo contra o Brasiliense

Romarinho fez o seu 35º gol com a camisa alvinegra. Igualou em gols com Dimba. É um grande feito, mas Romarinho ainda corre atrás do primeiro título, ao passo que Dimba é bicampeão pelo alvinegro. Torcer para que Romarinho iguale Dimba também em títulos.

Ceilândia comemora. Sábado, Brasiliense

No próximo final de semana o Ceilândia recebe o Brasiliense, adversário que não vence desde 2018.

Ps: Todas as imagens são cortesia do Ceilandiae_EC Oficial.

A 5a força? Gato se reapresenta, sem alarde

Cabralzinho volta para o lugar de onde não deveria ter saído.

O Ceilândia se reapresentou. A base do time, segundo informado, é aquela que disputou a Série D. 

Matheus fez excelente campanha na D2023, mas agora vai respirar outros ares

Algumas perdas importantes. O  goleiro Matheus Silva e  o meia Cleyton, por exemplo,  foram importantes na D2023 e não seguem em 2024.

Cleyton mostrou muita qualidade, mas não fica em 2024

Para o lugar de Clayton retorna Cabralzinho. Cabralzinho fez uma grande Candangão pelo Ceilãndia em 2022. Foi para o Brasiliense e não teve a oportunidade de mostrar seu valor. Se teve, não aproveitou.

Romarinho permanece no Ceilândia: rumo ao posto de segundo maior artilheiro da história alvinegra

Outros jogadores importantes na composição do elenco também saíram. Foi o caso de Kayser.

Iago é outro que não permanece em 2024.

Os times de empresários, Brasiliense, Real e Capital, saíram na frente. Esses times tem mais recursos. Ao Ceilândia, resta trabalhar e muito.

Clemente e Nolasco permanecem: Clemente foi artilheiro do time em 2023.

No  papel o time do Ceilândia não fica a dever aos times de empresários.  Sabemos da capacidade de trabalho de Adelson e da direção. 

Adelson permanece: certeza que sabe o que precisa ser feito.

No fundo, é possível sonhar com um título que não vem há 11 anos. Sabemos que não será fácil, mas nada é fácil em Ceilândia.

 

Ceilândia perde nos pênaltis e dá adeus à D2023

Ceilândia não conseguiu passar pelo Caxias

Como da última vez, a torcida encheu o Regional, mas desta vez  não fez festa.

Ceilândia e Caxias, como se esperava, foi um jogo difícil. O Ceilândia foi melhor na quase totalidade do jogo, mas não conseguiu vencer a última linha de defesa adversária.

Romarinho foi muito bem marcado; por 1, 2 ou até mesmo 3 zagueiros

No fundo, foi um jogo de intermediária a intermediária. O Caxias claramente veio com uma proposta defensiva. Fechou as laterais do campo, principalmente pelo lado de Romarinho.

Cleiton pouco apareceu: opção pelos lados,

Romarinho sempre teve a oportunidade de receber a bola de costas para o gol. Foi sempre assim, mas a forte cobertura impedia que recebesse a bola em profundidade.

Estádio lotado mais uma vez. Imagem: Matheus Dutra-Ceilandia_ec

A escolha do Caxias ficava clara quando Lagoa e Bambu  tentavam jogar pelo meio. Ambos tinham espaço e facilidade para chegar no último terço do campo. Daí para a frente, Cleiton, Romarinho e Clemente estavam encaixotados.

O primeiro tempo terminou sem grandes emoções. Foi no final do primeiro tempo que o Caxias chegou pela única fez com perigo, no chute de Eron que saiu pela linha de fundo. 

Ceilândia teve oportunidades, não muito claras é verdade, mas não aproveitou

Veio o segundo tempo e o panorama do jogo mudou um pouco mais. Diferente do primeiro tempo, agora o Caxias já não mais se arriscava. O Ceilândia continuou preso no sistema defensivo.

Caxias essencialmente ofereceu perigo apenas em bolas paradas

Tudo poderia ter mudado quando Romarinho recebeu cruzamento e cabeceou cruzado para Bambu mandar para o fundo a rede. A arbitragem marcou impedimento, algo confirmado depois pelo VAR.

Gabriel Barcos lutou muito, mas não teve oportunidade de gol

O Ceilândia insistiu, insistiu e insistiu, mas não chegou ao gol da vitória.

A última chance veio já nos acréscimos: Euler cabeceou livre e poderia ter feito o gol. A bola, já com o goleiro batido, caprichosamente foi para fora.

O gol de Bambu foi anulado

Vieram os pênaltis e com eles a derrota. Euler errou o terceiro. O Caxias marcou o terceiro e o quarto. No quinto, Matheus Silva defendeu e manteve o Ceilândia vivo.

Na última chance: goleiro já batido, mas a bola de Euler foi para fora

Não por muito tempo. Na oitava penalidade, Uesles bateu para a defesa do goleiro adversário. Em seguida, o Caxias fez 7×6 nos pênaltis e segue adiante.

Matheus Silva defendeu um dos penaltis, mas não foi suficiente

Para o Ceilândia o ano termina aqui. Não se sabe o que o espera em 2024. 

De positivo, a torcida. Foi muito bonito ver o estádio lotado novamente e ver a comunidade reunida em torno das cores do time da cidade. Agora, esperar para ver o que o destino nos reserva. 

Gato Preto empata em Caxias e decisão será na Ceilândia

Defesa se portou bem. Agora, no DF

O maior medo de uma competição de mata-mata está na possibilidade do segundo jogo ser uma mera formalidade. O Ceilândia precisava ir até Caxias do Sul-RS e voltar vivo… e voltou.

A partida começou com os dois times procurando tomar a iniciativa. Nem bem os times haviam se assentado em campo e o VAR foi acionado. Como sabemos, o Ceilândia tem um problema com o VAR. Esse problema continua. O árbitro viu falta de Barcos em Ricardo Lima e anulou o gol.

Jogo muito equilibrado

O Caxias se assentou no jogo e passou a ter mais iniciativa. As melhores jogadas foram sempre com Peninha, mas Matheus Silva não teve trabalho.

Adelson vai ter muito trabalho na semana.

O fato é que, no primeiro tempo, o Ceilândia conseguiu vencer a marcação alta do Caxias e impedir a subida pelas laterais. Com isso, a transição defesa-ataque do alvinegro sempre incomodou o adversário.  O jogo esteve sempre aberto.

Veio o segundo tempo e o panorama da partida permaneceu essencialmente o mesmo: equilíbrio, mas a melhor chance foi do Ceilândia. Na jogada de Cleyton, Barcos cabeceou na trave.

Os dois times caíram de produção nos minutos finais. O jogo ficou arrastado, mas perigoso. No final, 0 a 0.

Agora os dois times voltam a se enfrentar na Ceilândia. Quem vencer vai para as quartas-de-final.  No cenário atual, se o Ceilândia passar, deve enfrentar Nacional-AM, Sousa-PB ou Athletic-MG. Se o Caxias passar deve enfrentar um desses mesmos adversários ou o Ferroviario-CE.

Jogo quente em Caxias e promessa de calor na Ceilândia

O confronto está aberto porque será um jogo com características distintas. O Ceilândia terá a vantagem do campo, mas sabe que o adversário é rodado e isso fará pouca ou nenhuma diferença. O resultado terá de ser construído em campo.

Todas as imagens são de Luiz Eber (SER Caxias).

 

 

Na gaveta! Ceilândia faz 3 no vitória e está nas oitavas

Torcida lotou o Abadião: com certeza mais de 2500 pessoas.

Tudo colaborou para a virada do Ceilândia na tarde deste sábado! A torcida ajudou a criar o clima de decisão: mobilizou a sociedade como há muito tempo não se via. Não se falava de outra coisa. A direção fez a sua parte e facilitou o acesso da torcida.

Antes do jogo, filas, filas e mais filas já indicavam que a torcida havia escutado o chamado para ajudar o time na virada. Isso se comprovou: a torcida encheu o Abadião. 

Nolasco foi uma das surpresas de Adelson

Faltava o time fazer a sua parte…. e foi isso que aconteceu:  o Ceilândia colocou a classificação para as oitavas na gaveta e agora espera o vencedor de Caxias-RS e Inter de Limeira-SP.

O Ceilândia entrou muito mudado para o jogo de volta contra o Vitória-ES.  Paulinho, Uesles, Bosco, Nolasco e Barcos começaram o jogo. O Vitória-ES manteve o seu padrão tático: dava espaço ao Ceilãndia esperando o contra-ataque: o mesmo do jogo de ida.

Barcos recebe passe com açúcar de Romarinho: Ceilândia 1 x 0

Não demorou para o Ceilândia abrir o marcador. Antes já havia perdido boa oportunidade com Bosco, mas aos 17, Romarinho driblou o seu marcador e cruzou rasteiro para Barcos fazer 1×0 e igualar o placar agregado.

Na gaveta: Barcos faz o segundo gol do Ceilândia

O Ceilândia continuou melhor, mas sofria com a movimentação às costas da linha de volantes e à frente da linha de defesa. Talvez o risco fosse calculado,  mas era apenas assim que o Vitória-ES chegava no último quarto do campo.

Barcos comemora Ceilândia 2 x 0

Aos 39, Danilo cobrou escanteio com perfeiçao. A defesa do Vitória deixou Barcos e Uesles livres dentro da área. Barcos aproveitou e colocou a bola na gaveta: Ceilândia 2 x 0.

Veio o segundo tempo e o Ceilândia parecia mais ansioso. O jogo apoiado deu lugar a muitas ligações diretas. O time precisava ficar com a bola, realizar a transição com a bola no chão, mas não foi isso que aconteceu.

Romarinho foi caçado em campo

O resultado foi que o Ceilândia passou a entregar a bola para o Vitória jogar. O fato é que, embora controlando as ações ofensivas do adversário, o Ceilândia ficou exposto.

Público no alambrado: mais de 500 pessoas no alambrado… como antigamente

Ainda assim era o Ceilãndia quem chegava melhor ao ataque. Romarinho era caçado em campo, sob os olhares complacentes da arbitragem. Não importa que eventualmente potencializasse as faltas sofridas, o fato é que foi caçado em campo.

Time ganha jogos, mas elenco ganha campeonato: banco foi importante

O Ceilândia controlou as ações ofensivas do Vitória, mas o terceiro gol, aquele que daria a tranquilidade de poder errar, só veio aos 41. Clemente disputou no alto, a bola sobrou para Iago que serviu Clemente: 3 x 0 e classificação na gaveta.

Mata-Mata 2023: Ceilândia derrotado na Ida

Todas as imagens são da Gazeta do Espirito Santo

Foram necessárias bem mais que 24 horas para superar o desapontamento com a derrota no sábado.

Esperava-se qualquer coisa, não que erros individuais colocassem em risco a bela campanha do alvinegro na Série D 2023.

O jogo começou com o Ceilândia assumindo a iniciativa. Nos 5 primeiros minutos perdeu ao menos 2 boas oportunidades de gol. Não fez. O Vitória não tinha pressa. Interrompia o jogo, não tinha pressa de repor a bola em jogo. Parecia que o empate lhe convinha.

O Vitória  também entrou em campo mudado taticamente. Isso não interferiu, mas também não mudou a tônica do jogo do adversário: o Vitória não é um time de posse de bola. 

O time capixaba tem bons valores, é bem treinado e é fiel ao seu esquema de jogo: não cria espaço, aproveita espaços deixados.

Aos 20 minutos aconteceu o que não se previa. Um erro na saída de bola. Uma repetição de vários erros  já cometidos até agora na Série D. A diferença é que a punição veio com o gol de Carlinhos.

O jogo mudou a composição:  O Ceilândia mantinha a iniciativa, mas acelerou o jogo um pouco demasiado: o Vitória aproveitava os espaços.  

Veio o segundo tempo e o jogo continuou na mesma toada. Não foram criadas grandes chances. Talvez a melhor tenha sido desperdiçada pelo Vitória, mas o Ceilândia teve o gol de Barcos anulado.

No final, o alvinegro voltou do Espirito Santo com a invencibilidade quebrada e a vaga em perigo. Para se classificar, o Ceilândia terá que fazer o que apenas o Democrata fez até agora: vencer o Vitória por 2 gols de diferença. 

Sofrimento é esperado, mas esse time já demonstrou antes e demonstrou em Vitória-ES que é capaz. Para isso, terá que quebrar a sequencia de invicta do adversário.

Ceilândia termina em primeiro e pega Vitória-ES no mata-mata

O Ceilândia empatou com o Iporá em 1 x 1 e, com o resultado, garantiu a primeira colocação do grupo A5 da Serie D 2023.  Foi daqueles jogos em que todo mundo joga abaixo do que pode.

Não foi  uma boa apresentação do Ceilândia. O Gato Preto não respeitou o adversário e teve que engolir um empate indigesto.

O fato é que o primeiro tempo fo quase que inteiramente do Ceilândia. O time perdeu seguidas oportunidades mesmo antes de Cleyton abrir o marcador aos 10.

Depois disso, ainda perdeu duas ou tres boas oportunidades. O Ceilândia parou de jogar aos 25 do primeiro tempo. 

Veio o segundo tempo e o Ceilândia não voltou para o jogo. O Iporá, embora não fosse brilhante, mostrava, desde a segunda metade do primeiro tempo,  que estava gostando do jogo.

O empate  foi justo. Premiou aquele que, com todas as dificuldadaes, queria jogar. O Iporá somente não conseguiu a vitória porque Kayser fez ao menos uma boa defesa.

Por falar em defesa, a última linha de defesa errou muito.

No próximo sábado, o Ceilândia vai ao Espírito Santo enfrentar o Vitória. Agora é mata ou mata.

Choque de realidade para Sub15: Guaraense 3 x 1


O Ceilândia sabia que seria difícil. Jogo fora de casa contra um trabalho mais maduro.  A Guaraense era favorita e venceu por 3 x 1.

O Ceilândia suportou o maior volume do jogo do adversário no primeiro tempo.

Na segunda etapa, não deu.  A Guaraense abriu o marcador aos 10, com Pietro. Aos 17, João Paulo ampliou. O mesmo Pietro fez 3×0 aos 23.  Nos acréscimos, o Ceilândia diminuiu com Victor.

O Ceilãndia tem pouco tempo para assimilar a derrota e buscar a reabilitação. No proximo final de semana, agora em casa, o Ceilândia enfrenta o Gama.

Ceilândia bate União-MT e está classificado!

Torcida estranhamente calada na maior parte do tempo.

Foi difícil como se esperava. Foi sofrido como se esperava. E como se esperava, o Ceilândia teve a paciência e a coragem necessárias para vencer.

Clemente foi muito marcado: pouco produziu

O primeiro tempo não foi agradável. O jogo foi truncado nessa etapa. O União marcava muito atrás e explorava passes longos. A defesa alvinegra fez o seu trabalho e impediu que o adversário criasse oportunidades de gol. Ou quase impediu. Falaremos disso adiante.

Iago foi muito importante: cansou no final

O fato é que o jogo foi amarrado. O União impedia que o Ceilândia impusesse seu rítmo de jogo. Parava o jogo com faltas e pedidos de atendimento médico.

Ceilândia teve dificuldades contra o União

Com isso, o União impedia o Ceilândia de jogar e, quando tinha chance, jogava. Numa dessas jogadas, perdeu a melhor oportunidade do primeiro tempo.

Badhuga abriu o marcador: 16 gols, agora empatado com Allan Dellon

Veio o segundo tempo e o Ceilândia voltou melhor. Wisley e Iago infernizaram a defesa do União pelo lado direito. Não demorou muito para que Badhuga, concluindo nova jogada vinda da direita, abrisse o marcador. Ceilândia 1 x 0 União.

Matheus foi pouco exigido e, nas vezes que foi, saiu-se bem

O Ceilandia continuou melhor por mais uns 5 minutos. Depois, cedeu espaço para o União.  O time matogrossense, como se sabia, é um time muito organizado, mas lhe carece inspiração.

Cleyton faz o segundo gol do Ceilândia

O Ceilãndia, a seu turno, desperdiçou diversos contra-ataques até que,  nos acréscimos, Cleyton fez o gol que deu números finais ao encontro: Ceilândia 2 x 0 Uniao.

Cleyton: Voltando de contusão, nada melhor que um gol.

Com o resultado, o Ceilândia fica próximo de garantir o primeiro lugar do grupo. Precisa de um bom resultado em Iporá. Com os resultados de momento, o Ceilândia enfrentaria o Santo Andre-SP na primeira fase do mata-mata. 

Detalhes

Data Tempo Liga Temporada Rodada
16 de julho de 2023 15:30 Serie D 2023 Grupo A5 - 13 Rodada

Estádio

Regional de Ceilândia
St. N Qnn 22 Conjunto B - Ceilândia, Brasília - DF, Brazil

Ceilândia

# Jogador Posição Gols Assist CA CV
Matheus SilvaGoleiro0000
WisleyDefesa0000
Euller Viana-0000
BadhugaDefesa1 (51')000
Danillo Ribeiro 17Defesa0000
LagoaMeio-Campo0000
Pedro BambuMeio-Campo0000
Felipe Clemente Atacante001 (45+4')0
Iago Martins 18Atacante0000
Matheus Nolasco Atacante0000
Romarinho Atacante0000
Cleyton Silva Meio-Campo1 (90+2')000
Gabriel Barcos Atacante0000
China Kerlisson Defesa0000
17Lucas Victor Atacante0000
18Elbinho Atacante0000
 Total 2010

União Rondonópolis

Posição Gols Assist CA CV
 0000