Tag: Metropolitano 2018

Ceilândia unido para enfrentar o Bolamense

Faltam algumas peças, mas esboço do time já está montado

Deste time, ficam quatro jogadores para 2019: Wendell, Cocada e Dudu na defesa, mais Gustavo Gago no meio

Wendel, Dudu, Danilo Cocada (23 jogos), Felipe Marcelino e Sami.  Dos nomes dados a conhecer, parece que a defesa parece é  um setor já bem encaminhado. Destes jogadores, apenas Dudu vem de outras temporadas.  Wendel e Cocada vieram em 2018. Do futuro elenco, Dudu Lopes passa a ser o jogador que mais vezes vestiu a camisa do Ceilândia.

Dudu fez defensivamente boa partida contra o Sete, foi premiado com um gol, mas ainda é inseguro no ataque
Dudu passa a ser um dos mais experientes do elenco do Ceilândia para 2019

Parece claro que há indefinições na cabeça de área. Kasado disputou 20 partidas pelo Ceilândia  foi um nome que agradou em 2018, mas aparentemente as negociações não deram certo. Ainda assim, Jairo Araujo precisaria de um outro volante e com características distintas.

Gago estufa a rede: Ceilândia 3 x 0
Gago assume ares de protagonista no Ceilândia 2019.

Outro problema tem sido encontrar um meia para jogar ao lado de Gustavo Gago.  Espera-se que em 2019, Gustavo Gago esteja preparado para o papel de protagonismo que dele se espera. Em 2018, o jogador  sofreu com os problemas extracampo em 2018 e isso afetou a sua performance na reta final do Candangão e na Série D.

Elivelto foi um dos artilheiros do Gato Preto em 2018 e é um nome ainda considerado. Elivelto é um bom nome. Em forma é um dos maiores talentos do futebol local e também poderia assumir o papel de protagonismo que se espera dos meia-atacantes do Ceilândia.

Elivelto tem sido um nome importante no Ceilândia e tem futebol para devolver o Ceilândia ao circuito nacional

Para o ataque é certo que o Ceilândia não contará com Formiga. O atacante acertou com o Jequié-BA. Os nomes conhecidos apontam para Wallace, Romario e Kelvin.

Wallace Jesus tem sido uma surpresa posiiva: penalti sofrido e muito trabalho
Wallace Jesus foi uma surpresa positiva em 2018

Wallace disputou 11 jogos com a camisa do Ceilândia e fez 2 gols.  Os números de Romario e Kelvin não são diferentes. Há sempre a lembrança de Romarinho que depois de um ano ruim desandou a fazer gols pelo Ceilândia.

De qualquer sorte, uma coisa é certa: o Ceilândia de 2019 será muito diferente do Ceilândia dos últimos anos.

 

Related Images:

Cinco campeões nos anos 10. Brasiliense é o maior campeão.

Um novo campeão: Parabéns, Sobradinho!

Rafael Diniz: arbitragens acima da média do futebol local em 2018
Rafael Diniz: arbitragens acima da média do futebol local em 2018

O futebol do Distrito Federal conheceu o seu quinto campeão diferente desde 2010. O Sobradinho, de Michel e Mirandinha, venceu o Brasiliense nos pênaltis e conquistou o seu terceiro título candango. O primeiro em 32 anos.

Sobradinho volta a ser campeão candango: bom para o futebol local
Sobradinho volta a ser campeão candango: bom para o futebol local

Um parágrafo para a arbitragem. Em um ano de tantas reclamações, merecidamente Rafael Diniz apitou a final.  Com certeza o melhor árbitro da competição, mesmo que isso nos traga à lembrança dolorosa derrota nas semifinais.

Cinco campeões nos anos 10. Brasiliense é o maior campeão.
Cinco campeões nos anos 10. Brasiliense é o maior campeão.

Nos anos 10, temos cinco campeões distintos. Brasiliense venceu três vezes. Ceilândia e Luziânia venceram duas e o Gama uma. O Sobradinho se soma ao grupo. Parabéns, Sobradinho!!!

Candangão 2018 começa a tomar forma


O formato do Candangão 2018 começou a ser definido. No arbitral realizado ontem, os times definiram a fórmula de disputa e a data de início da competição.

O Candangão 2018 começará no dia 20 de janeiro. O regulamento é um pouco diferente do utilizado nos últimos anos anteriores. O regulamento parece ter mudado para melhor.

Os seis primeiros colocados em 2017 tem a vantagem de começar e terminar a campanha em seus domínios. Ao final do turno em que todos se enfrentam classificam-se os oito primeiros colocados.

 Na fase de quartas de final e semifinal, as equipes classificadas se enfrentam de acordo com o chaveamento olímpico (1ºx8º, 2ºx7º, 3ºx6º e 4ºx5º). Diferente dos anos anteriores, os times de melhor campanha na primeira fase levam vantagem em caso de igualdade nos dois confrontos de quartas-de-final. Não há critério de gol qualificado, como na Copa do Brasil.

Não há notícia de como serão realizados os confrontos das semifinais e isso deu problema em 2017. O mais provável e  será que o vencedor de 1×8 enfrente o vencedor de 4×5. Aparentemente o critério de desempate nas semifinais é o de maior número de pontos na primeira fase e não o somatório de pontos geral (que incluíria a fase de quartas).

Para a final, dois jogos. Não há vantagem na final. Empate leva para os pênaltis.

No próximo dia 06 de outubro às 10h, realizar-se-á a continuação do Conselho Arbitral para a definição do detalhamento da competição, como tabela dos jogos, os estádios dos times, valores de ingresso e divisão das vagas da Copa do Brasil, Copa Verde e Série D de 2019.