Haja coração!!!

Ceilândia avança apesar do sofrimentoTeste para cardíaco é o mínimo que se pode dizer. Tanto no juvenil, quanto no infantil, houve sofrimento o jogo inteiro. No jogo do infantil, por sorte, havia poucos pais. Caso contrário seria necessário ter uma ambulância na beira do campo. Apesar do sofrimento, tanto o time juvenil quanto o time infantil estão na fase da semi-final da Copa Agap 2008.

Ceilândia avança, apesar do sofrimento

INFANTIL

O time infantil enfrentou um CAESO muito modificado em relação à fase de classificação. Talvez por isso mesmo o jogo foi difícil, muito difícil. O Ceilândia saiu na frente com Valdeir e manteve a vantagem até o final do primeiro tempo.

No segundo tempo veio o sofrimento. O CAESO empatou o jogo e mesmo com um homem a menos virou a partida. O Ceilândia partiu para cima, pressionou, mas o gol não saía.

Mérito da equipe que não perdeu a esperança e no último minuto, mais precisamente no último ataque, Mailon fez o gol do empate que garantiu o CEC na semi-final da Copa Agap 2008.

JUVENIL

Na primeira partida do dia não foi diferente. O Ceilândia até que fez um primeiro tempo melhor e cansou de perder gols. Apesar disto, saiu na frente com Niuri, mas permitiu à Guaraense que empatasse o jogo um minuto depois.

O segundo tempo foi muito diferente do primeiro. A Guaraense partiu para cima e obrigou a defesa do Ceilândia a trabalhar. Os times eram valentes, as jogadas disputadas. Apesar do domínio aparente, a Guaraense não criava situações claras de gol. O Ceilândia se limitava a destruir as jogadas adversárias e tentar o contra-ataque em lançamentos direto da defesa.Juvenil: mais sufoco

O sofrimento aumentava com o passar do tempo até que aos 37 do segundo tempo, Jean Pierre, que acabara de entrar, aproveitou um rebote do goleiro e fez Ceilândia 2 x 1. Faltavam três minutos para terminar, mas nem por isso o Ceilândia teve tranquilidade. Um minuto depois a Guaraense empatou.

Daí para a frente foi sufoco. O Ceilândia lutava bravamente, talvez esquecendo que não basta lutar é preciso querer jogar.

O árbitro deu cinco minutos de acréscimo, mas a garra dos jogadores, ao menos neste caso foi suficiente. Empate em 2 x 2 e o Ceilândia está na semi-final também na categoria juvenil. Haja coração!

Comentarios

Comentarios

Start a Conversation