Categoria: Base

Categorias de Base

Ceilândia passa pelo Botafogo-SAD e vai enfrentar o Sobradinho

Segurança da defesa começa no gol
Segurança da defesa começa no gol

O  Ceilândia goleou o Botafogo-SAD por 6 x 2 na última rodada da fase de classificação do campeonato de juniors do Distrito Federal versão 2013.

Muito da goleada deveu-se à soberba atuação do alvinegro no primeiro tempo, particularmente nos primeiros 20 minutos. Equilibrado em campo, o Ceilândia foi empurrando o adversário para o seu campo de defesa.

Disputa na área adversária: resultado merecido
Disputa na área adversária: resultado merecido

Com tanto domínio, o gol seria uma questão de tempo e viram nos últimos quinze minutos do primeiro tempo. Primeiro,  Jefferson aproveitou-se de boa jogada de abriu o marcador.

Minutos depois, Jefferson aproveitou a falha do goleiro e ampliou para 2 x 0. Aos 43, Hugo completou bela jogada coletiva do CEC e deu números finais ao primeiro tempo: Ceilãndia 3 x 0.

Baixinho correu muito no primeiro tempo e foi premiado com um gol
Baixinho: correu muito no primeiro tempo e foi premiado com um gol

Veio o segundo tempo e o Botafogo-SAD veio mudado. Com três atacantes e uma tática suicida na defesa, o adversário diminuiu logo nos nos primeiros minutos em cobrança de penalti.  Começava aí um festival de gols de  bola parada.

Não demorou e Baixinho fez boa jogada e foi derrubado na área. Penalti que Fabinho cobrou com perfeição. Ceilândia 4 x 1.

Minutos depois foi a vez de Leo, de falta, diminuir para o Botafogo-SAD: Ceilândia 4 x 2.

Apesar da goleada, defesa trabalhou muito
Apesar da goleada, defesa trabalhou muito

Naquele momento o Botafogo era melhor. Depois dos 25 minutos o CEC equilibrou a partida e fez mais dois gols, ambos de penalti: Baixinho aos 38 e Fabinho aos 43 deram números finais ao marcador.

O jogo deixa duas impressões: a primeira bastante positiva. No primeiro tempo o CEC mostrou um jogo bem estruturado e construiu o marcador mantendo-se consistente na defesa, no meio  e no ataque.

Os primeiros minutos do segundo tempo demonstraram certa instabilidade, mas o time soube se recuperar durante o jogo e ampliar o marcador.

Nas quartas-de-final o Ceilândia enfrentará o Gama.

 

CEC bate Bandeirante e garante classificação

CEC volta a vencer e garante classificação
CEC volta a vencer e garante classificação – Foto: Arquivo CeilandiaEC

Depois de dois empates seguidos, contra Brasilia e Guará, o Ceilândia enfim voltou a vencer.

Jogando no Abadião, o alvinegro venceu o Clube Atlético Bandeirante-Novo Gama por 5 x 2.

O resultado  garante o CEC na próxima fase da competição.

Na última rodada o CEC enfrenta o Botafogo-SAD precisando de uma vitória para melhorar a posição na tabela.

Cruzeiro e Guará fazem um confronto direto, na última rodada, disputando uma vaga.

O Brasília já garantiu a primeira colocação do Grupo A.

No Grupo B também só resta uma vaga. Brasiliense e Sobradinho fazem outro confronto direto por essa vaga.

Demais resultados da rodada,

 

GUARA 1 X 0 BRAZLANDIA
C.A.B/N. GAMA 2 X 5 CEILANDIA
BOTAFOGO – DF/SAD 0 X 1 BRASILIA F.C.
GAMA 1 X 1 CAPITAL
S.E.S.P/ASAC 1 X 8 LUZIANIA
SANTA MARIA 0 X 1 BRASILIENSE

Classificação – Grupo A

Pos Equipe Pts JG V E D GM GS SG
1 Brasília 16 6 5 1 0 21 2 19
2 Ceilândia 11 5 3 2 0 11 5 6
3 Botafogo 10 5 3 1 1 12 7 5
4 Guará 8 5 2 2 1 7 8 -1
5 Cruzeiro 6 5 2 0 3 4 7 -3
6 Brazlândia 0 5 0 0 5 2 14 -12
7 Bandeirante 0 5 0 0 5 9 23 -14

 

Classificação – Grupo B

 

Pos Equipe Pts JG V E D GM GS SG
1 Gama 12 6 3 3 0 10 4 6
2 Capital 10 5 3 1 1 11 3 8
3 Luziânia 10 5 3 1 1 14 8 6
4 Sobradinho 9 5 3 0 2 10 3 7
5 Brasiliense 7 5 2 1 2 10 11 -1
6 Santa Maria 3 5 1 0 4 4 11 -7
7 Planaltina 0 5 0 0 5 7 25 -18
Juniores: CEC enfrenta o seu primeiro real desafio

Juniores: CEC tem desafio real

Juniores: CEC enfrenta o seu primeiro real desafio
Juniores: CEC enfrenta o seu primeiro real desafio

Depois de haver folgado na terceira rodada, o CEC volta a campo neste meio de semana para enfrentar o Brasília. Será a oportunidade para os comandados do técnico Binha mostrarem o amadurecimento do trabalho.

Ceilândia e Brasília são os únicos times com cem por cento de aproveitamento no Grupo B. O Brasília venceu os seus três jogos, o Ceilândia venceu as duas partidas que disputou.

A análise da diretoria identifica que o time tem potencial, mas vai exigir trabalho e atenção do seu treinador.  Para uma equipe que veio para ser campeã, alguns reforços são necessários.

Em caso de vitória, o Brasília praticamente assegura uma vaga para as quartas-de-final da competição. O Ceilândia precisa da vitória para não permitir que o adversário abra seis pontos de vantagem.

Jogo complicado nesta quinta, 15h30, no Jaguar.

Ceilândia evolui: dever de casa sem susto: 2 x 0

CEC dominou o Brazlândia: evolução recompensada com a vitória
CEC dominou o Brazlândia: evolução recompensada com a vitória

O Ceilândia fez na tarde desta quarta-feira, 15h30, no Estádio Regional, a sua segunda partida pelo Campeonato de Juniores 2013.

O jogo foi todo do Ceilândia. No primeiro tempo, apesar do amplo domínio, o alvinegro foi incapaz de criar situações claras de gol. Diferente da partida diante do Cruzeiro, o CEC possuía volume de jogo, algo mais próximo de um jogo estruturado, mesmo assim, foi incapaz de criar situações claras de gol.

O único gol veio na cobrança de pênalti de Rafael.

Edson é abraçado pelos companheiros: segundo gol alvinegro
Edson é abraçado pelos companheiros: segundo gol alvinegro

No segundo tempo, o CEC continuou mandando no jogo, apesar de haver mostrado alguns momentos de instabilidades. A partida ficou ainda mais tranquila quando o Brazlândia passou a contar com um homem a menos.

No final da partida, Edson fechou o marcador fazendo o já então merecido segundo gol do Ceilândia.

Agora, o CEC folga no próximo sábado e volta a jogar no dia 12, quando enfrentará o Brasília.

Juniores começam com o pé direito

Bola no chão foi artigo de luxo no jogo contra o Cruzeiro
Bola no chão foi artigo de luxo no jogo contra o Cruzeiro

A notícia da vitória do CEC sobre o Cruzeiro deve ser dividida em três etapas: os fatos, as justificativas e o jogo.

OS FATOS

Vamos aos fatos: por mais que doa, o fato é que existem peladas melhores do que o visto no jogo de hoje. Também existem campeonatos de balões mais interessantes. Foi um jogo difícil de ser assistido.

AS JUSTIFICATIVAS

Ficou claro, para quem assistia, que principalmente o time do Ceilândia sentia a falta de ritmo de jogo. O campo duro também não ajudava.

Mau posicionamento no meio de campo: CEC sempre chegava atrasado
Mau posicionamento no meio de campo: CEC sempre chegava atrasado

O JOGO

O jogo foi muito disputado. No primeiro tempo o Ceilândia foi melhor e teve as melhores ações. Isso não invalida o fato de que o time foi incapaz de apresentar sequer uma jogada de ataque estruturada. As chances que teve foram fruto de bolas paradas ou do acaso.

Naquilo que mais se aproximou de uma jogada estruturada, o CEC desperdiçou: Lucas Gois saiu cara a cara com o goleiro e perdeu. Na sequencia, Hugo teve que bater duas vezes para abrir o marcador.

CEC comemora o gol de Hugo. Naquele momento o CEC era melhor
CEC comemora o gol de Hugo. Naquele momento o CEC era melhor

Veio o segundo tempo e o Cruzeiro voltou melhor. O meio de campo do Ceilândia mostrava claramente a falta de tempo de bola. Invariavelmente chegava atrasado, principalmente os volantes.

No ataque, os meias e atacantes eram incapazes de segurar a bola. O resultado foi que a cada ataque do Ceilândia correspondia um contra-ataque do Cruzeiro, com a diferença de que, invariavelmente, o Cruzeiro chegava de modo mais estruturado.

O Cruzeiro foi melhor no segundo tempo. O Ceilândia defendia-se como podia. Os primeiros 20 minutos do segundo tempo davam a impressão de que a qualquer momento o empate viria.

CEC só voltou a ameaçar no final do jogo
CEC só voltou a ameaçar no final do jogo

Binha mudou o esquema de jogo para o 4-4-2 e o time melhorou ou ao menos ficou mais equilibrado. Daí até o final, o jogo foi cheio de tensão.
No final da partida o Cruzeiro teve um jogador merecidamente expulso. Não havia tempo para mais nada.

O Ceilândia não apresentou um bom futebol, mas jogou o suficiente para começar o Candanguinho 2013 com o pé direito. O jogo ressaltou que a vitória decorreu da atuação coletiva e não de individualidades.

No próximo final de semana enfrentará o Brazlândia no Estádio Regional de Ceilândia.

AGAP: Juvenil está nas quartas

CEC passa pelo Madureira e está nas quartas de final da AGAP
CEC passa pelo Madureira e está nas quartas de final da AGAP

SUB 17

O time sub17 do Ceilândia não deu chances para o azar e, jogando pelas oitavas de final da Copa AGAP venceu o Madureira. O jogo foi disputado na Cidade do Gato.

No primeiro tempo os times perderam boas oportunidades e o placar não saiu do zero. No segundo tempo, Lucas fez CEC 1×0. Arthur fez o segundo e Matheus Carneiro fechou o placar em 3 x 0.

O Sub17 do CEC provavelmente enfrentará o América FC na próxima fase.

Agap: Infantil vence, juvenil permanece inconstante

CEC tem oscilado muito, principalmente o time juvenil
CEC tem oscilado muito, principalmente o time juvenil

O Ceilândia EC sub 15 – Infantil, às 09h00min, no campo Sintético QNM 14 de Ceilândia, enfrentou a equipe do Esperança FC. Mesmo muito desfalcado por contusões, não encontrou resistência.  Felipe Barros fez 1×0 aos cinco minutos. A partir foi construindo a goleada:Daniel Santos (4), Jonathan Antonio e Alex Souza fecharam 07×00 no primeiro tempo.

No segundo tempo mesmo com algumas alterações o placar foi aumentando: Matheus Vila, Daniel Santos, Ramon Sousa (3), Felipe Barros, Ítalo Alves. Daniel Ferreira fechou a goleada 15×00.

CEC: Matheus Souza (Felipe Abreu), Douglas Willian (Arthur Sousa), Daniel dos Anjos (Gabriel Oliveira), Leonardo Marques (Dario Martins), Natanael Queiroz, Alisson Melo (Lucas Alves), Jonathan Antonio (Daniel Ferreira), Felipe Barros (Ítalo Alves), Alex Sousa (Ramon Sousa), Daniel Santos, Matheus Vila (Ayrton Silva).

O Ceilândia EC sub 17 – Juvenil, às 11h00min, no campo Sintético QNM 14 de Ceilândia, enfrentou a equipe do Esperança FC, com inicio de muitos erros de passes, mas com predomínio muito grande na partida, abriu o placar a 22 minutos com Kaio Nunes que ampliou pra 02×00 aos 35 minutos.

Na volta do intervalo o individualismo reinou. O time cansou de perder gols e o castigo veio aos 8 minutos quando o Esperança diminuiu. Lucas Vogado de fora da aérea faz bonito gol, 03×01 para o CEC. No final, o individualismo continuava e o time começou a errar e em 5 minutos cedeu o empate. Castigo por excesso de confiança e individualismo.

CEC: Ismar Gomes, Bruno Gonçalves, Carlos Eduardo, Jorge Lucas, Yuri Victor (Ayrton Leonardo), Gabriel Victor (Antonio Matheus), Danilo Martins, Kaio Nunes, Lucas Vogado, Wallace Valeriano (Ronaldo Ribeiro) e Ronaldo Rodrigues (Lucas Damas).

Coragem, violência e vergonha!

Juvenil reclamou muito, mas segurou o empate
Juvenil reclamou muito, mas segurou o empate

A rigor, no futebol de base, há uma linguagem raivosa que não se coaduna com o moderno futebol ou com o que se deseja numa sociedade ideal. Boa parte de pais e professores parece estar sempre projetando seus insucessos para o campo de jogo, para o filho em particular, como se uma vitória, a qualquer custo, diminuísse as suas frustrações como pessoa.

O resultado é um só: em vez do futebol produzir melhores pessoas, melhores cidadãos, produz exatamente o contrário porque a linguagem raivosa, a intimidação, a violência  passam a ser tidas como algo aceitáveis para que se consiga um objetivo que, no final das contas, nada acrescenta. Lamentável!

Os meninos do Ceilândia tiveram uma importante lição de vida na terceira rodada da Copa Agap 2013: jogar no Ceilândia tem um custo.  Alguns tentarão ganhar de você utilizando-se de todos os meios, da intimidação à violência e você não deve se deixar abater ou procurar alcançar o sucesso com os mesmos meios.

O final de semana não foi dos melhores para os times infantil e juvenil do CEC. O time reclamou muito da violência do Sobradinhense e da conivência da arbitragem.

Infantil foi dominado e teve dois jogadores retirados de campo por contusão
Infantil foi dominado e teve dois jogadores retirados de campo por contusão

JUVENIL SOFRE COM A VIOLÊNCIA, MAS EMPATA

O CEC foi melhor toda a partida, mas foi contido pela violência do Sobradinhense e permissividade da arbitragem. Dois jogadores sofreram muito com a violência do Sobradinhense: Kaio Nunes e principalmente Keven.

O Juvenil desperdiçou muitas oportunidades, mas saiu na frente com Kaio Nunes. Keven foi caçado no primeiro tempo e era parado sempre com violência. Veio o segundo tempo e Keven não resistiu e saiu contundido.

Tanta pressão, dentro e fora de campo testou os nervos dos meninos, embora o adversário tenha chegado ao empate. No final, ficou a lição: ´sob qualquer que seja o nível de pressão é importante manter a pegada, o ritmo e a cabeça.

INFANTIL É GOLEADO

O time infantil não teve a mesma estrutura. O Sobradinhense começou melhor e fez 1 x 0. O CEC ainda sofria com a violência do adversário, muito fruto do comportamento que vinha de fora.

Num desses lances, Tiago Gomes recebeu um chute na boca que lhe arrancou alguns dentes. Sangrando, o  atleta teve que ser socorrido ao Hospital de Base para reimplante dentário. No final da partida, Leonardo deixou o campo em virtude da violência adversária.

O resultado final foi 4 x 0 para o Sobradinhense. Para os meninos, ficou a lição: nem sempre vão jogar num ambiente adequado à prática do futebol. Para alguns, é necessário vencer a qualquer custo.

Para o Ceilândia, não fica bem o discurso de vítima. Mas a organização deve dar as condições mínimas para que o futebol seja praticado e isso inclui responsabilidade do mandante e uma boa arbitragem.

Agap 2013: Tropeço e vitória

Sub 17: foi dominado pelo adversário e deixou a vitória escapar
Sub 17: dominou  adversário e deixou a vitória escapar

O Ceilândia EC sub 17 – Juvenil, às 11h00min, no campo do Cruzeiro Cárcara, contra o Cruzeiro FC, fez um jogo muito equilibrado,  com  pouco de domínio do CEC no primeiro tempo, mas  com gol de Danilo Martins saiu com a vantagem.

No segundo tempo, o CEC dominou amplamente a partida, não traduziu em gols as oportunidades criadas e ainda viu o Cruzeiro empatar no apagar das luzes. Final 01×01

CEC: Ismar Gomes, Bruno Gonçalves (Carlos Eduardo), Matheus Carneiro, Jorge Lucas (Iury Victor), Antonio Matheus, Victor Falcao, Carlos Fontes (Keven Almeida), Danilo Francisco (Lucas Henrique), Kaio Nunes, Ronaldo Rodrigues.

Infantil: virada depois de sair atrás no marcador
Infantil: virada depois de sair atrás no marcador

O Ceilândia EC sub 15 – Infantil, 09h00min, teve um péssimo primeiro onde não acertou nada e ainda viu o HD Sport marcar 1×0.

Na volta do segundo tempo com a entrada de Arthur e Alex o rumo da partida mudou. O  CEC alugou meio campo, Matheus Montalvão empatou, seguiu pressionando e Alex Sousa virou em menos de 10 minutos.  O HD Sport só levava perigo nos contra ataques, mas mesmo assim quase empatou. No final, Alex Sousa fez CEC  3×1. Três pontos complicados.

CEC: Matheus Souza, Luis Gustavo (Arthur Souza), Natanael Queiroz©, Leonardo Marques (Daniel dos Anjos), João Victor (Dario Martins), Matheus Montalvão, Jonathan Antonio (Alex Sousa), Matheus Vila, Tiago Gomes, Daniel Marques, Felipe Barros.

Base começa Copa Agap 2013 com pé direito

Juvenil começa bem: 5 x 0
Juvenil começa bem

Os comandados do técnico Antônio Gomes começaram a Copa Agap com o pé direito.

O Ceilândia EC sub 17 foi até a Base Aérea e enfrentou a boa equipe do Educação Esportiva (Fluminense) e mesmo com muitos erros venceu o seu adversário por 3 x 0.

Logo aos três minutos Danilo Martins abriu o placar para o Gato Preto.

O  CEC criava várias jogadas, mas finaliza mal, ate que numa boa jogada Matheus Carneiro fez o segundo.

Na volta do segundo tempo, mesmo com as alterações o CEC manteve-se melhor e Ronaldo Rodrigues fez Ceilândia 3 x 0 sobre o Educação Esportiva (Fluminense).

CEC: Ismar Gomes (Julio Alexander), Bruno Gonçalves (Victor Falcão), Jecson Rodrigues (Ronaldo Ribeiro), Gabriel Victor (Ruan Lucas), Jorge Lucas, Lucas Vogado, Matheus Carneiro, Lucas Henrique (Danilo Francisco), Kaio Nunes (Keven Almeida), Tiago Albuquerque (Ronaldo Rodrigues).

Infantil: responsabilidade de manter o título
Infantil: responsabilidade de manter o título

INFANTIL GOLEIA

O Ceilândia EC sub 15 – Infantil, 16h00min, mesmo não fazendo uma boa partida,  não teve dificuldades de vencer a equipe da Educação Esportiva (Fluminense), com 5 X 0.

No primeiro tempo, o CEC  apresentou muitos erros de passes, mas jogou o suficiente para sair para o intervalo vencendo por 2 x 0.

No segundo tempo melhorou os passes e finalizou a partida com o placar de 5×0.

Felipe Barros (2), Daniel Santos (2), e Tiago Gomes fizeram os gols do CEC.

CEC: Matheus Souza (Thiago Alisson), Arthur Souza (Luis Gustavo), Natanael Queiroz©, Leonardo Marques (Gabriel Oliveira), João Victor, Matheus Montalvão (Alisson Melo), Jonathan Antonio (Matheus Vila), João Paulo, Tiago Gomes (Dario Martins), Daniel Marques (Alex Sousa), Felipe Barros (Gabriel Oliveira).

Em rede nacional: Base do CEC é destaque na TV Justiça!

Cuidados com a produção
Cuidados com a produção

Há um trabalho social importante que poucos dão atenção, mas ele existe. Quase que diariamente, mais de uma centena de crianças se vêem envolvidas em atividades esportivas.

Para as crianças há sempre o sonho de se tornar jogador de futebol profissional. Esse sonho pode se realizar, ou não.

Antonio Gomes fala do trabalho
Antonio Gomes fala do trabalho

Uma coisa é certa: nos treinamentos, nos jogos, as crianças e adolescentes aprendem regras, aprendem a conviver com outros, aprendem a vencer e a perder.

De vez em quando os olhos da sociedade se volta para esse trabalho.

Trabalho da meninada
Trabalho da meninada

 

Nessa semana o trabalho realizado pelo professor Antonio Gomes, cheio de dificuldades e quase ao abandono, passou por um desses momentos de reconhecimento.

Uma equipe da Tv Justiça acompanhou o treinamento da meninada. Hora de dizer que existe e que é importante. Um pequeno passo em direção ao reconhecimento de um trabalho importante.

Base faz rifa para sobreviver

Edson, a direita, doou bolas para a base
Edson, a direita, doou bolas para a base

Em busca de recursos, a base do Ceilândia EC realizou junto com seus atletas a venda de uma rifa de uma bicicleta pela Loteria Federal, bilhete premiado 107.

Infelizmente a campanha se deu pela metade dos bilhetes vendidos. Com a arrecadação deu pra cobrir algumas despesas, bem com o valor do prêmio, R$ 329,00.

O senhor Julio Nunes pai do atleta Bruno Gonçalves fez a entrega dia 18/02/2013 ao Senhor Edson Fernando. O Senhor Edson Fernando agradeceu por ser comunicado, pois não havia conferido o bilhete nem lembrado dos mesmos que estavam guardados. Em seguida marcou para que no dia seguinte o senhor Julio voltasse que o mesmo iria fazer a doação do prêmio em bolas (oito bolas) para a base do CEC. No dia 21/02/2013 o senhor Julio recebeu das mãos do senhor Edson Fernando 22 bolas topper TRG.

Nossos sinceros agradecimentos ao Senhor Edson Fernando que sempre tem colaborado para manutenção deste projeto que se mantém com muitos sacrifícios, juntos com seus atletas e pais.

Base do CEC é campeã da cidade

Mirim, vice-campeão e invicto 2012
Mirim, vice-campeão e invicto 2012

A base do Ceilândia vive dias difíceis.Mesmo assim dá mostras da sua capacidade. Os times infantil e juvenil sagraram-se campeões da cidade neste final de semana. O time mirim chegou na final, terminou a competição invicto, mas ficou apenas com o vice-campeonato.

Nada disso, contudo, comove quem faz futebol na cidade. O futebol de base deveria ser visto mais que competição, é na verdade trabalho social para mais de cento e vinte crianças. Isto não tem preço.

MIRIM É VICE-CAMPEÃO, MAS TERMINA INVICTO

A final do campeonato mirim colocou frente a frente as duas melhores equipes.  Ceilândia e estrelinha chegaram invictos na final e fizeram um jogo muito disputado. o Ceilândia saiu na frente com um bonito gol de Ruan Chrisley, mas faltando três minutos para o final o Estrelinha empatou.

Nos penaltis, mais emoção. o Estrelinha venceu por 6 x 5.

O CEC teve o artilheiro da competição Hudson Guilherme com 17 gols e a defesa menos vazada (Matheus Souza).

 

INFANTIL CAMPEÃO DE CEILANDIA 2012

 

A final do campeonato infantil colocou frente a frente não apenas dois dos melhores times de Ceilândia, mas do Distrito Federl. Ceilândia e Ceilandense fizeram um jogo emocionante.

O CEC saiu na frente com Luiz Gabriel, mas o Ceilandense foi atrás do marcador e empatou a partida. Não demorou muito e Ronaldo Rodrigues fez 2×1 para o Ceilândia. Veio o segundo tempo e mesmo com um atleta a menos o Ceilandense empatou a partida de penalti, o zagueiro Geovane cortar a bola com a mão.

O CEC voltou a pressionar, Ronaldo Rodrigues foi derrubado na área, pênalti que ele  mesmo bateu e colocou o CEC na frente outra vez 3×2. Após a vantagem,  o CEC se fechou e garantiu a vitória e o título invicto.

O CEC ainda teve o artilheiro da competição Ronaldo Rodrigues com 10 gols e a defesa menos vazada (Alan Gomes).

JUVENIL É CAMPEÃO DA CIDADE

Na decisão da categoria juvenil o Ceilândia enfrentou o Girassol. Jogo difícil, truncado. O Ceilãndia teve uma posse de bola avassaladora, mas parou na defesa e no goleiro adversário.

O resultado disso foi que a partida foi decidida nos penaltis.  O goleiro do CEC Julio defendeu logo o primeiro, Danilinho fez 1×0, o nº 10 do Girassol empatou 1×1; Danilo perdeu 1×1, Julio apareceu de novo boa defesa, 1×1; Carneiro fez 2×1 para o CEC e Julio defendeu seu terceiro pênalti deixando a definição para Carlinhos dar o titulo invicto ao CEILANDIA EC.

O Artilheiro da competição Yuri Maciel do Dom Bosco, oito gols, a defesa menos vazada: União e Girassol com sete gol.

Infantil também está na final

Ceilândia 100%: mirim, infantil e juvenil nas finais

Infantil também está na final
Infantil também está na final

O Ceilândia classificou-se para as finais do campeonato da cidade em todas as categorias. O último time a se classificar foi  o da categoria infantil que jogou contra a equipe do Cerro.

A partida começou equilibrada, com o CEC tomando o controle da partida e abrindo o placar com gol de Junior.  Regino fez o segundo. Com  tudo sob controle, a zaga do CEC erra passe próximo a área e o Cerro diminuiu.

No segundo tempo continuou no mesmo ritmo: o CEC pressionando e o Cerro tentando os contras ataques.  Ronaldo Rodrigues em boa jogada definiu 3×1

O CEC infantil se junta às categorias MIRIM e JUVENIL nas finais que devem ser sábado no campo sintético. O Infantil enfrenta o Ceilandense que classificou após empate de 1×1 contra a equipe do União no clássico da cidade.

QUARTAS DE FINAIS:

Ceilandia(24) 03×01 Cerro(16) – União(15) 01×01 Ceilandense(19).

Guaraense comanda: não faltou espírito de luta para o CEC

Candanguinho 2012: Acabou para o Ceilândia

Bela defesa de Alan: Ceilândia foi surpreendido pelo Brasilia
Bela defesa de Alan: Ceilândia foi surpreendido pelo Brasilia

O Candanguinho 2012 acabou para o Ceilândia. Jogando nesse sábado, nos Eucalíptos, o Ceilândia precisava reverter as vantagens do Brasília e do Guaraense nas categorias infantil e juvenil respectivamente. Não deu.

No primeiro jogo do dia, o Brasília foi mais uma vez superior ao Ceilândia. Jogando calcado num forte esquema defensivo, o Brasília não deu a menor chance para o Ceilândia. O time alvirrubro abriu vantagem de 2 x 1 no primeiro tempo. No segundo tempo, o Ceilândia tentou na base da vontade vencer a defesa adversária. O Brasília controlou o Ceilândia com facilidade e sempre esteve mais próximo do terceiro que o time alvinegro.

Forte marcação do Brasília: adversário tinha uma proposta de jogo bem definida.
Forte marcação do Brasília: adversário tinha uma proposta de jogo bem definida.

No final da partida estava claro que o Brasília garantira a classificação. O Ceilãndia se irritava com competente marcação do adversário. O Brasília fez o terceiro e os meninos mostraram o quanto estavam frustrados ao ter dois expulsos. Brilhante atuação do Brasília.

As esperanças agora estavam com o time juvenil. O Ceilândia começou a partida com muita disposição, mas estava claro mais uma vez que o time da Guaraense era superior. Não demorou muito para que o adversário abrisse o marcador.

Juvenil não passou pela Guaraense
Juvenil não passou pela Guaraense

O Ceilândia perdeu-se com a vantagem do adversário e permitiu que a Guaraense abrisse 3 x 0.

Veio o segundo tempo e Vitor Junior diminuiu o prejuizo, mas logo em seguida a Guaraense ampliou para 4 x 1.

Guaraense comanda: não faltou espírito de luta para o CEC
Guaraense comanda: não faltou espírito de luta para o CEC

O Ceilândia, se não conseguia pelo talento, conseguiu diminuir na base do coração: Felipe Teixeira e Thomaz Magno diminuiram o prejuizo para 4 x 3. O Ceilândia pressionou, mas não conseguiu o empate. Guaraense classificada.

Com os resultados, o time fecha o calendário do DF sem se classificar para as semi-finais.