Liel sobrou em um campeonato marcado pelo baixo nível técnico: um jogador acima da média, mas incapaz de fazer o Ceilândia jogar

1, 2, 3… Ceilândia!!!

Léo foi um dos destaques da competição: defesas milagrosas ao longo de toda a competição
Léo foi um dos destaques da competição: defesas milagrosas ao longo de toda a competição

O Ceilândia é um time pragmático. Ao longo da competição sempre jogou o que precisava jogar.

Para a decisão deste sábado, precisando de três gols de diferença para levar o título Candango de 2016, o Ceilândia sabe que terá que jogar como jamais jogou neste campeonato. Uma dura missão para o elenco mais qualificado da competição, mas cujos resultados em campo estão longe de representar essa qualificação.

Gabriel entrou e arrumou a lateral direita do Ceilândia: precisa manter a curva de crescimento
Gabriel entrou e arrumou a lateral direita do Ceilândia: precisa manter a curva de crescimento

A verdade pode doer, mas é preferível a verdade… sempre.  Há quem torça para jogadores, por diretores, por funcionários.

Há quem torça para o Ceilândia Esporte Clube, alguns desde 1979:  assistiram, em campo, debaixo de sol ou de chuva, mais da metade dos 739 jogos oficiais da equipe, não importando quem fosse o presidente, o técnico, o jogador ou o roupeiro.

Wallace é a grande revelação da competição: ao lado de Badhuga formou um dos melhores miolo de zagas
Wallace é a grande revelação da competição: ao lado de Badhuga formou um dos melhores miolo de zagas

A vantagem do Luziânia é enorme em todos os aspectos, mas isso não impressiona o Ceilândia: O Gato Preto sempre jogou pensando na competição, acreditando que, nos momentos decisivos, faria o que precisaria ser feito.

Além da diferença de gols conquistada no primeiro jogo, o time do entorno sul foi mais constante que o Ceilândia ao longo de toda a competição. A diferença de vitórias talvez explique muito das críticas feitas ao Ceilândia: o Luziânia tem 9 vitórias em 16 jogos, quase o dobro do Ceilândia que tem 5. São 34 pontos conquistados contra 24 do Gato Preto. Nos últimos 4 confrontos diretos, 2 vitórias do Luziânia e 2 empates.

Klécio ficou um mês afastado: mesmo sem ritmo e longe da melhor forma, tornou-se o jogador mais perigoso do ataque alvinegro
Klécio ficou um mês afastado: mesmo sem ritmo e longe da melhor forma, tornou-se o jogador mais perigoso do ataque alvinegro

O Ceilândia, todavia, está na final. Nos jogos finais aumentou o volume de jogo com as chegadas de Bruno Morais e Claudecir. Isso não se materializou em resultados:  são dois empates, duas derrotas e apenas uma vitória, com dois gols marcados e quatro sofridos.

O time cai no segundo tempo, mas o volume de jogo diante do Luziânia no primeiro tempo do último sábado dá alguma esperança.

Liel sobrou em um campeonato marcado pelo baixo nível técnico: um jogador acima da média, mas incapaz de fazer o Ceilândia jogar
Liel sobrou em um campeonato marcado pelo baixo nível técnico: um jogador acima da média, mas não quis ou não conseguiu liderar o Ceilândia

O trabalho da semana foi bom e dá esperanças, mas é preciso saber que tarefa é apenas difícil, não impossível.

Adelson deve mexer no time. Todos sabem do que Léo, Gabriel, Badhuga, Wallace, Mário Henrique, Liel, Didão, Klécio, Allan Dellon, Bruno Morais e Claudecir são capazes e do que precisam fazer. Terão que se doar como nunca, jogar como nunca, lutar como nunca. A final se aproxima…

 

Related Images:

Comentarios

Comentarios