Os problemas são menores que parecem: simples contra Santa Maria

Comemoração dura pouco: Ceilândia já pensa no Capital.

Uma derrota para o Brasiliense sempre incomoda. É de se imaginar que,  em meio a diversas dificuldades, este tenha sido mais um problema a ser enfrentado pelo Ceilândia. No mais, o único ponto fora da curva foi a derrota para o Capital. O que é preciso ser visto é que o time já mostrou evolução nos jogos contra o Taguatinga e Brasiliense.

Time já esteve melhor contra o Taguatinga: o copo está meio cheio

Quando os resultados não vem há uma tendência a potencializar as dificuldades e neste momento o trabalho tem sido o de mostrar que o copo está meio cheio. O time tem evoluído. Trabalhar psicologicamente o grupo é um trabalho à parte. Só há uma maneira de seguir adiante:  foco e trabalho. A derrota do final de semana não foi o fim do mundo, nem pode ser.

Defesa tem funcionado. Uma hora a sorte muda

Para o jogo do próximo final de semana, contra o Santa Maria, o Ceilândia já terá Romário e Miranda com mais ritmo e isso é muito importante. Hora de fazer o simples. A defesa está bem. Não há queixas com relação à defesa. O sistema de proteção da defesa também está funcionando.

Individualismo transforma situação de gol em um lance a mais do jogo
Individualismo transforma situação de gol em um lance a mais do jogo: Ceilândia tem apenas que aprender com seus erros

A questão agora é resolver onde o time recupera a posse de bola. O Ceilândia está recuperando muito atrás e perdendo na intermediária de campo.  Tudo é questão de ajuste.

Comentarios

Comentarios