Com requintes de crueldade: Brasiliense 2 x 1 Ceilândia

Há derrotas e derrotas. A de hoje foi particularmente cruel porque o placar não reflete o que foi o jogo… ou reflete. Claro, o adversário venceu por méritos próprios.

O Ceilândia dominou as ações quase que completamente. Coletivamente o Ceilândia fez a sua melhor partida do ano. Os erros individuais fizeram a diferença.

No primeiro tempo, apesar do domínio, o Gato Preto não criou situações claras de gol. O adversário explorava os contra-ataques e os erros individuais do lado esquerdo da defesa. Assim, aos 37 fez 1 x 0 com Marcão.

Veio o segundo tempo e até os 15 o Brasiliense não havia passado do meio de campo. Quando passou, saiu a jogada do segundo gol, marcado por Keynam.

PosClubeJVEDGPGCSPts
1119111871128
211731168824
311524118317
411434710-315
511353119214
611326911-211
711155712-58
811119822-144

Daí para a frente só deu Ceilândia. O Gato Preto rondou a área amarela o jogo inteiro, mas não conseguia furar a defesa adversária.

De tanto insistir, o Ceilândia diminuiu com Pítio aos 45. Foi todo ao ataque, poderia ter tomado o terceiro no segundo ataque dos amarelos, mas Kayser fez a segunda defesa milagrosa do dia. Pressão do Ceilândia e nada.

Foi uma derrota dolorida porque se sabe que o Ceilândia jogou mais. O Campeonato não se resume ao jogo de hoje. Tem volta… tem jogo…