Tag: CRAC

Ceilândia teve jogos difíceis com Aparecidense em 2012

Adversários conhecidos: Ceilândia se reapresenta na terça

Ceilândia teve jogos difíceis com Aparecidense em 2012
Ceilândia teve jogos difíceis com Aparecidense em 2012

O Ceilândia se reapresenta nesta terça para a disputa do Campeonato Brasileiro da Série D 2016.As primeiras informações dão conta de um time muito diferente daquele que disputou o Candangão 2016.

A diretoria prefere não divulgar os nomes enquanto os contratos não forem assinados. O fato é que a diretoria indica contratações de jogadores que atuaram pelo Brasília, pelo Brasiliense e pelo Gama no campeonato local.

A apresentação está prevista para a proxima terça-feira.

No grupo estava o CRAC, que acabou subindo para a Série C
No grupo estava o CRAC, que acabou subindo para a Série C

O esforço da diretoria é elogiável do ponto de vista desportivo. Do ponto de vista da gestão do clube, há sempre o temor de que o ônus financeiro traga problemas a longo prazo. Até agora a diretoria sempre atuou com os pés no chão.

A CBF divulgou a tabela da Série D. O Ceilândia está no Grupo A10 e estréia no dia 12 de junho, em local ainda a definir, contra o Comercial  de Mato Grosso do Sul. A tabela traz uma armadilha: o CEC sai em seguida para fazer dois jogos fora, contra Aparecidense e Araguaia.

O Luziânia, outro time candango, enfrentará Sinop, Anápolis e Sete de Setembro-MS.

Mudanças no Ceilândia

Fabio Paulista em ação contra o Ceilândia em 2012: reforço alvinegro
Fabio Paulista em ação contra o Ceilândia em 2012: reforço alvinegro

Logo após ter feito sua melhor partida pelo Ceilândia, o volante Goeber deixou o clube. Foi a segunda passagem do jogador pelo alvinegro candango, sem sucesso.

Em compensação a diretoria trouxe outros dois atletas: o zagueiro Fabio Paulista de tantos confrontos entre Ceilândia e CRAC de Catalão e o lateral-esquerdo Paulo Regis.

Paulo Regis já se apresentou. Fábio Paulista deve apresentar-se amanhã, quinta-feira.

O Ceilândia de há muito buscava um zagueiro. Fábio Paulista é um velho conhecido alvinegro. Na última vez em que enfrentou o Ceilândia o zagueiro foi expulso, juntamente com Dimba, no empate em 2×2 entre Ceilândia e CRAC em Catalão.

A apresentação de Fabio Paulisa naquele jogo não foi, digamos, muito impressionante. A despeito disto o CRAC classificou-se para a Série C naquele ano, enquanto que o Ceilândia empacou na Friburguense na semi-final da região Centro-Sul.

A saída de Goeber foi de algum modo inesperada. O volante fez uma boa partida diante do Santa Maria, sendo um dos poucos que através da movimentação dava opção aos companheiros.

O Ceilândia faz hoje treino-coletivo visando ao jogo do próximo sábado contra o Formosa. Depois de quatro derrotas consecutivas, duas pelo campeonato, time não tem muita opção: ou vence ou entra em crise.

O Ceilândia precisa se reinventar!

Mal a partida começou e Darci foi buscar a bola no fundo da rede
Mal a partida começou e Darci foi buscar a bola no fundo da rede

Adelson é um homem de convicção. Um time dirigido por Adelson não sofre 7 gols em apenas dois jogos. Pior: o Ceilândia, em 8 confrontos, sofreu inacreditáveis 14, isso mesmo, Q U A T O R Z E  gols!  Adelson não faz concessões, mas o seu time atual faz.

Antes do jogo começar o placar do Abadião apontava: Ceilândia 2 x 3 Visitante. Parecia um mal presságio que prontamente Antônio Gomes, o treinador da equipe de base, estava disposto a afastar quando trocou os números do placar.

A derrota de hoje, diante da Aparecidense, não mostrou um time treinado por Adelson. Um time treinado por Adelson não chega atrasado nas disputas de bola. Um time treinado por Adelson é um time vibrante na defesa, o time do Ceilândia de hoje não vibra.

Allan Dellon: mais uma vez isolado no meio
Allan Dellon: mais uma vez isolado no meio

O jogo mal começou e a Aparecidense abriu o marcador. O sempre questionado Darci não teve culpa, como não teve em nenhum dos gols de hoje. O problema é que goleiro não pode se acostumar a sofrer gol. Não pode engolir em seco a indignação por ver meta que defenda mais uma vez vazada.

Não demorou muito e a Aparecidense fez 2 x 0, novamente de fora da área. O Ceilândia era um arremedo de time. Liel e Dudu faziam uma partida para esquecer.

O CEC assumiu o controle da partida, mas a falta de criatividade beirava a indingência. Allan Dellon, mais uma vez sozinho na armação, não conseguia e, nas condições, jamais conseguiria, sozinho, livar-se de sua sombra. A posse de bola era do Ceilândia, mas quem comandava a partida era a Aparecidense. Dimba, que havia perdido uma clara chance momentos antes, diminuiu o marcador aos 21.

Dimba perdeu essa chance, mas é o mais lúcido do time
Dimba perdeu essa chance, mas é o mais lúcido do time

Veio o segundo tempo e os piores pensamentos passaram pela cabeça do torcedor. A Aparecidense assumiu o controle da partida. Adelson mexeu no time. Retirou um dos zagueiros (Perivaldo) e colocou um meia. Esperava-se que o time melhorasse, mas um pequeno detalhe fez com que o time permanecesse desequilibrado: os dois meias, agora Tallys e Allan Dellon, caiam pelo lado direito do ataque alvinegro.

Adelson colocou Zé Carlos e o time ficou com três atacantes. Aos 40, uma luz no final do túnel: Badhuga diminuiu. Ainda havia tempo.

Badhuga fez um gol, mas o time sofreu 14 nos últimos 8 jogos
Badhuga fez um gol, mas o time sofreu 14 nos últimos 8 jogos

A lei de Murphy não falha: quando uma coisa tem que dar errado, fatalmente vai dar errada. O resultado é que o Ceilândia tomou dois gols nos últimos 5 minutos. Resultado: uma derrota vergonhosa dentro de casa e um time que precisa se reinventar em todos os aspectos: tática e mentalmente.

O Ceilândia também precisa se reinventar fora de campo: é inaceitável que o campeão da cidade, em 4 jogos disputados em casa, não tenha levado, somando todos os jogos, míseros quinhentos torcedores. Algo precisa ser feito!

O Ceilândia vai precisar recuperar a honra ferida diante da Friburguense.

Related Images:

Dimba pega dois jogos e volta contra Aparecidense

Dimba no STJD
Dimba no STJD – Crédito: Daniele Carvallho:Justiça Desportiva.com.br

Os dois jogadores protagonizaram a confusão aos 23 minutos do segundo tempo, quando o placar já marcava 2 a 2. De acordo com a súmula, Dimba deu um empurrão na altura do pescoço de Fábio Paulista, que revidou com outro empurrão – na altura do rosto –, jogando o atacante do Ceilândia no chão. Ambos foram a julgamento ontem.

O árbitro Daniel Martins dos Santos foi informado da agressão pelo assistente Fábio Rubinho. Ao ser expulso, Dimba teria se dirigido ao assistente de forma grosseira e o teria ofendido.

A punição para a ofensa ao assistente é pesada: no mínimo quatro jogos. Dimba poderia ficar fora da competição.

A importância do julgamento pode ser medida pelo comportamento da direção do CEC. Dimba foi ao Rio de Janeiro.

Ao ser ouvido, disse: “Estou bastante envergonhado de estar aqui. O que foi colocado na súmula não ocorreu desta maneira. Antes de entrar na área, eu tinha levado uma cotovelada e o árbitro não viu. Fui até o assistente realmente, perguntar o que ele tinha dito ao árbitro. Disse que só gostaria que ele falasse a verdade. Jamais iria falar isso (o que está na súmula) para ele. Se eu estou na Série D, porque falaria isso? Jogo futebol e sou apaixonado pelo que faço. Tenho 38 anos e mostro exemplo para os meus filhos. Já era para eu ter parado, mas sou dedicado aos meus projetos sociais em Brasília, dos quais tenho orgulho”.

Osvaldo Sestário defendeu o jogador. “Destaco que o caso é de Série D e sabemos as dificuldades que os clubes passam. E o clube conseguiu recursos para que ele estivesse presente. Me impressionou muito o depoimento do Dimba. É um jogador que já passou por vários clubes, inclusive de Série A. Ele veio aqui para contar o que realmente aconteceu. A última expulsão do jogador foi em 2010, então é considerado primário. Vi sinceridade no que ele falou. O árbitro coloca que ele foi reclamar de forma grosseira. Geralmente, quando um árbitro se sente ofendido, escreve isso na súmula, o que não foi feito”.

Os argumentos convenceram os auditores que aplicar a pena de suspensão de um jogo pela troca de empurrões e desclassificaram a infração mais grave para o  artigo 258 § 2º(Assumir qualquer conduta contrária à disciplina ou à ética desportiva não tipificada pelas demais regras deste Código) e também aplicaram um jogo.

No total, a suspensão de dois jogos. O menor dos problemas. Como já cumpriu um jogo de suspensão, contra o Sobradinho, pode voltar contra a Aparecidense. Dimba está fora da partida contra o CENE, mas volta na fase decisiva.

Related Images:

Ceilândia garante classificação. Agora, luta pelo primeiro lugar

Ceilândia é o primeiro a se classificar. CENE e CRAC são favoritos a segunda vaga
Ceilândia é o primeiro a se classificar. CENE e CRAC são favoritos a segunda vaga

A combinação de resultados deste sábado garantiu a classificação à semi-final do grupo centro-sudeste da Série D Nacional. Com o empate do Sobradinho diante da Aparecidense, o time goiano somente poderá chegar a 13 pontos, não mais alcançando o Ceilândia.

Na outra partida do grupo, o CRAC enfrentou o CENE. Esse resultado eliminaria um dos times da concorrência direta com o Gato: Deu CRAC por 4 x 2. Esse resultado elimina o CENE de concorrência direta com o Ceilândia e, de quebra, deixa o time pantaneiro na obrigação de vencer o Ceilândia e depender de uma combinação de resultado. O CENE não mais depende apenas de si.

Alheio a tudo isso, o Ceilândia teve uma semana de trabalho que tinha dupla finalidade: preparar o time para os dois últimos jogos da fase de grupo e já iniciar a preparação para a semi-final do grupo centro-sudeste da D Nacional. O campeão do grupo centro-sudeste garante uma vaga na C Nacional 2013.

O provável adversário do Ceilândia sai dentre Friburguense, Nacional-MG e Volta Redonda. O primeiro colocado do grupo do Ceilândia pega o segundo colocado do grupo sudeste. No momento, o Friburguense é líder.

Dimba e Fabio Paulista: expulsos

Julgamento de Dimba preocupa

Dimba sai revoltado de campo. Fora dele, muita pressão sobre a arbitragem
Dimba sai revoltado de campo. Fora dele, muita pressão sobre a arbitragem

O Ceilândia aproveita a semana de folga da na série D para se preparar para a reta de chegada da competição. Daqui para a frente, não haverá mais folga.

Nessa preparação, Adelson de Almeida se preocupa com os cartões de sua equipe. Panda forçou o cartão na última partida e não enfrentará o CENE. É presença certa diante da Aparecidense.

Um jogador em especial ainda preocupa: Dimba. O atacante foi expulso diante do CRAC, na partida de ida, em Catalão. Até a presente data, Dimba ainda não foi julgado. O motivo da expulsão, em si mesmo, é trivial: troca de empurrões com o adversário, o zagueiro Fábio Paulista. O árbitro diz na súmula que Dimba empurrou o adversário e este em seguida o empurrou, ponto.

Zé Carlos: gols salvadores, mas um time diferente
Zé Carlos: gols salvadores, mas um time diferente

Na sequência, o árbitro diz na súmula que Dimba chamou o bandeirinha Fábio Rubinho de  mal intencionado e vagabundo. Como a súmula normalmente não é contestada em julgamentos da Justiça Desportiva, provavelmente Dimba pegue mais de um jogo de punição. Isso preocupa.

A preocupação é relativa, até porque Zé Carlos tem entrado bem e feito gols salvadores. De qualquer forma, o Ceilândia muda completamente as suas característica sem Dimba.

Related Images:

Panda, suspenso, não pega o CENE

Panda está suspenso e não pega o CENE
Panda está suspenso e não pega o CENE

Adelson resolveu mudar a defesa na última partida. Para muitos foi uma surpresa que ele sacasse Perivaldo e colocasse Liel na defesa. A mudança colocou Thompson na cabeça de área. Perivaldo vinha de boa atuações.

O fato é que o Ceilândia cresceu nos últimos três jogos e fez, contra o CRAC, uma partida realmente muito boa. A vitória colocou o Ceilândia na condição de depender de um ponto nas duas partidas para garantir a classificação.

Com a vitória encaminhada contra o CRAC, Panda forçou o terceiro cartão amarelo. Com isso não viajará para Dourados-MS, quando o Ceilândia enfrentará o CENE.  André Oliveira e Perivaldo são outros jogadores com dois cartões amarelos.

Nessa segunda, houve jogo pelo grupo A6 da D Nacional. Jogando em Nova Serrana, Minas Gerais, o Nacional empatou com a Friburguense em 1 x 1. O Nacional lidera o grupo com 10 pontos em 6 jogos, mas a Friburguense tem 9 pontos em 5. Provavelmente a Friburguense termine em primeiro e o Nacional-MG em segundo.

 

Related Images:

Cassius, Dimba e Zé Carlos: Dura briga no ataque

Dimba: a estrela da companhia
Dimba: a estrela da companhia

É inegável que o Ceilândia tem evoluído positivamente nos últimos jogos. Faltando seis jogos para definir uma vaga à Série C, a torcida vê com esperança a briga por uma vaga no ataque.

Cassius, Dimba e Zé Carlos. Três atacantes para duas vagas. Nem por isso os três atacantes tem deixado de brilhar. Cada um tem sido importante a seu modo nessa reta de chegada da Série D Nacional 2012.

Dimba é titular incontestável da posição no ataque. Com o artilheiro, o Ceilândia tende a ser um time mais coeso. Fez dois gols importantes na competição, nos empates contra o Sobradinho e CRAC.

Cassius tem sido absolutamente importante na disputa da primeira bola, além de ajudar na coesão do time. O entrosamento com Dimba ajuda muito. Foi o  herói na virada diante do Sobradinho por 3 x 2.

 

Zé Carlos tem estrela: gols na hora certa
Zé Carlos tem estrela: gols na hora certa

Na última partida, contra o CRAC, tanto Dimba quanto Cassius fizeram uma partida taticamente perfeita, mas não fizeram gol. Nessa hora surgiu, mais uma vez , a estrela de Zé Carlos. Assim como na partida contra o CENE, Zé Carlos saiu do banco para fazer o gol da vitória alvinegra.

Adelson sabe que a briga por uma vaga no ataque é importante, mas destaca a experiência dos jogadores. São atletas que brigam por uma posição no ataque, mas sabem que o importante é jogar bem, mostrar virtudes e, acima de tudo, fazer gol.

Dimba preocupa. O atacante aguarda julgamento pela expulsão diante do CRAC. O juiz carregou na súmula, afirmando que Dimba ofendera ao bandeira após a expulsão. Com a fase final se aproximando, Adelson se preocupa, mas tem certeza que a estrela de Zé Carlos pode brilhar mais uma vez.

Related Images:

Ceilândia vence

O Capitão Dimba voltou: correu muito e foi substituído
O Capitão Dimba voltou: correu muito e foi substituído

Ceilândia e CRAC fizeram mais uma partida extremamente disputada, mas desta vez a vitória foi alvinegra.

Foi uma partida extremamente truncada no primeiro tempo. O Ceilândia até começou melhor, mas aos poucos se pode perceber que o CRAC é um time muito forte defensivamente e seria difícil vencer a barreira alvianil.

No segundo tempo a partida mudou de figura. Depois de todo o primeiro tempo sem criar sequer uma oportunidade de gol, o Ceilândia chegou à meta adversária logo no segundo minuto. Lançamento de Kabrine que Cassius escorou de cabeça para o chute de Tallys.

Tallys substituiu Allan Dellon, suspenso
Tallys substituiu Allan Dellon, suspenso

O Ceilândia continuou dominando e pela primeira vez na partida mostrava consistência defensiva sem se expor aos contra-ataques do CRAC.

O Ceilândia continuou dominando a partida e rondando a meta adversária. O domínio, contudo, não se refletia em gol.

Adelson de Almeida resolveu mudar. Tirou Dudu e colocou Luiz Fernando. Tirou Dimba e colocou Nelisson, e tirou Cassius e colocou Zé Carlos.

Zé Carlos bate na saída de Donizete: gol importante
Zé Carlos bate na saída de Donizete: gol importante

Aos 37 minutos, na primeira jogada da qual participou, Zé Carlos foi mais uma vez decisivo: cara a cara com Donizete, Zé Carlos errou na primeira, mas, na segunda, mandou para o fundo das redes. Ceilândia 1 x 0 CRAC.

O time catalano até que tentou ir ao ataque, mas faltava força ofensiva. Mesmo assim os adversários chegaram com perigo aos 43, com Juninho Paraíba cabeceando para fora.

O Ceilândia administrou a vantagem e garantiu a vitória. Agora, o CEC folga nesta semana e torce para que o Sobradinho não perca para a Aparecidense. Esse resultado classificaria o CEC antecipadamente para a fase seguinte.

Related Images:

Sem dar sopa para o azar

Tallys vai enfrentar o seu maior desafio
Tallys vai enfrentar o seu maior desafio

O Ceilândia enfrenta na tarde deste sábado o CRAC de Catalão, no Abadião, em  sua antepenúltima partida da fase de classificação.

Na memória as dificuldades da partida em Catalão: a pressão sobre a arbitragem, os diversos cartões, a expulsão de Dimba, mas, essencialmente, um jogo duro e leal dentro de campo.

O Ceilândia foi melhor na maior parte do tempo, mas a entrada de Juninho Paraíba que seguidamente levou vantagem sobre o então estreante Dudu mudou o ritmo da partida. Embora carecesse de volume de jogo, o CRAC foi muito perigoso e poderia ter saído com a vitória.

Juninho Paraíba deu trabalho para a defesa alvinegra
Juninho Paraíba deu trabalho para a defesa alvinegra

Nas últimas quatro partidas o Ceilândia sofreu sete gols, média de quase dois por partida. Embora o ataque tenha correspondido, marcando nove gols, a preocupação do técnico Adelson é a de que isso possa revelar um nível de instabilidade na defesa e que isso possa comprometer eventual classificação.

Para a partida de hoje, o time terá uma formação mais conseradora, com Tallys ocupando o lugar de Allan Dellon. Tallys vem oscilando entre boas partidas e partidas apenas regulares. Uma coisa é inegável: o seu rendimento tem aumentado. O Ceilândia, com Tallys, perde o último passe de Allan Dellon, mas ganha em consistência tática.

Como foi em Catalão, a partida de hoje promete ser travada e complicada. Numa partida como essa, a presença de Allan Dellon seria imprescindível.

Related Images:

Cartões assombram Adelson

Allan Dellon desfalca o Ceilândia contra o CRAC
Allan Dellon desfalca o Ceilândia contra o CRAC

O quadro não mudou: o Ceilândia não se embriaga com pontuação alcançada pela simples razão de que tem a absoluta certeza de que  muito cedo para garantir a classificação. É preciso vencer o CRAC e esperar o que vai acontecer nas próximas rodadas.

Ao final dessa rodada, o Ceilândia terá um jogo a mais que CRAC e Aparecidense com a tabela marcando a partida contra o CENE para a cidade de Dourados, no Mato Grosso do Sul. Em outras palavras: a classificação será decidida nos confrontos diretos.

Dimba volta, mas julgamento preocupa
Dimba volta, mas julgamento preocupa

Adelson já começa a ter problemas com cartões amarelos. Além de ter diversos jogadores pendurados com dois cartões, Adelson não poderá contar, neste final de semana, com Allan Dellon  que tomou o terceiro cartão amarelo diante do Sobradinho.

A administração dos cartões é especialmente importante porque depois da partida diante do CRAC, o Ceilândia vai folgar uma semana e depois sair para enfrentar o CRAC. Isso reforça a necessidade de um bom resultado neste final de semana.

 

Related Images:

Aparecidense entra na briga

Allan Dellon: não brilhou, mas tem sido útil para o time
Allan Dellon: não brilhou, mas tem sido útil para o time

Depois da importante vitória contra o Sobradinho, a difícil constatação: a classificação vai ser decidida no confronto direto contra CRAC e CENE.

Embora matematicamente, Sobradinho e Aparecidense ainda tenham chances, os resultados dentro de campo demonstram que essas duas equipes conseguiram arrancar apenas um ponto de Ceilândia, CRAC e CENE.

Foi assim que o CeilandiaEC começou o seu post desta segunda. A verdade, contudo, é outra: a Aparecidense venceu o CENE e entrou na briga. A informação recolhida na internet é a de que o jogo terminara empatado sem gols.

A análise do grupo demonstra que, a se manter o atual nível de aproveitamento, seriam necessários 16 pontos para se classificar. Ceilândia, CRAC e CENE passam a se enfrentar a partir da 6a rodada. Isso não muda.

No próximo sábado, o Ceilândia enfrenta o CRAC. Se vencer, ficará em boa situação para se classificar, mas ainda não poderá baixar a guarda. Restarão mais 3 jogos para o CRAC (dois em casa: CENE e Sobradinho e um fora: Aparecidense) que vencendo chegará a 15.

Para a partida deste sábado, diante do CRAC, o Ceilândia espera ter o retorno de Dimba.

Related Images:

CEC não terá Dimba contra Sobradinho

Dimba humilhou a defesa do CRAC. No final, foi expulso
Dimba humilhou a defesa do CRAC. No final, foi expulso

Depois do bom jogo contra o CRAC em Catalão, o Ceilândia volta a enfrentar enfrentar mais um Leão, o Sobradinho.

Para essa partida, Adelson de Almeida não contará com Dimba. O artilheiro foi expulso em Catalão e não vai enfrentar o Sobradinho.

O substituto mais provável deve ser Cassius. Por uma questão de caracaterística, Adelson deve fazer pequenas mudanças na equipe, de modo que Cassius, que foi muito mal na última partida contra o Sobradinho, possa render.

Thompson pega o elevador: recuperando o bom futebol
Thompson pega o elevador: recuperando o bom futebol

Adelson provavelmente contará com os reforços de Didão e Alcione. Alcione não joga desde a partida diante do Grêmio Anápolis, vencida pelo Ceilândia por 2 x 0. Didão jogou pela última vez contra o CENE, na vitória alvinegra por 3 x 2.

Em qualquer das opções, parece que Thompson vai para o banco. Thompson fez a sua melhor partida contra o CRAC. Depois de apresentações ruins, o lateral precisava de uma boa atuação, até porque nessa reta final o Ceilândia vai precisar de jogadores polivalentes.

A comissão técnica admite que o grupo começa a ser decidido no próximo sábado. Daqui para a frente, todos os jogos são decisivos, mas o time sabe que está recuperando o seu melhor futebol, crescendo na hora certa.

Related Images:

Decisão entre amigos

Thompson fez a sua melhor partida com a camisa do CEC. Deve sair se Didão voltar
Thompson fez a sua melhor partida com a camisa do CEC. Deve sair se Didão voltar

O Sobradinho está numa situação complicada na Série D Nacional. Depois de haver começado a competição sem ter tido o tempo necessário para se preparar, o alvinegro serrano está em situação crítica na competição.

Os cálculos iniciais demonstram que seriam necessários 15 pontos para se classificar. O Sobradinho só pode chegar a 14 pontos. Somente uma improvável combinação de resultados pode permitir a classificação do time de Sobradinho.

De qualquer sorte, o Sobradinho ainda tem chances matemáticas de classificação.  E será contra um adversário desesperado que o Ceilândia jogará no próximo sábado. Qualquer outro resultado que não a vitória, elimina o Sobradinho.

Kabrine: de seus pés saíram os gols do Ceilândia
Kabrine: de seus pés saíram os gols do Ceilândia

O Ceilândia também tem os seus problemas. Apesar do bom resultado em Catalão, o CEC está apenas há dois pontos do terceiro colocado, o CRAC. Um mal resultado em Sobradinho pode colocar ainda mais pressão no  Ceilândia.

Adelson de Almeida tem um problema a mais para essa partida: o artilheiro Dimba foi expulso em Catalão e não vai jogar. O time perde muito com a saída de Dimba. O artilheiro do time na temporada jogou muito em Catalão e nenhum jogador tem as suas características.

Notícias ruins por um lado, boas em outra medida: é possível que Didão, lesionado na panturrilha,  volte. O mesmo pode acontecer com Alcione, vítima de uma dor persistente no joelho.

Related Images:

Ceilândia deixa a vitória escapar em Catalão

Dimba comemora o segundo gol do Ceilândia
Dimba comemora o segundo gol do Ceilândia

O Ceilândia empatou em dois gols com o CRAC nesta tarde e com isso terminou o primeiro turno como o primeiro colocado do grupo A5 da Série D Nacional. Foi uma partida com todos os ingredientes de uma partida decisiva.

O jogo foi muito truncado, com as defesas levando vantagem sobre os ataques. Nos primeiros dez minutos o CRAC foi melhor, não porque tivesse qualidade para tanto, mas porque o Ceilândia errava muitos passes e até laterais.  Por sorte do Ceilândia, o CRAC parece ter um problema crônico no último passe.

Não demorou e Allan Dellon saiu na cara do goleiro Donizete, tocou por cobertura e saiu para o abraço.

Allan Dellon fez o primeiro do Ceilândia
Allan Dellon fez o primeiro do Ceilândia

Depois do gol alvinegro o CRAC começou a pressionar, mas a arbitragem. O Ceilândia manteve-se tranquilo e perdeu o segundo com Zé Carlos. Aos 34, contudo, Kabrine cobrou escanteio na cabeça de Dimba que ampliou: 2 x 0.

Tão logo sofreu o gol, o CRAC trocou Binha, que reclamava de contusão na coxa direita, e colocou Juninho Paraíba.

O Ceilândia manteve-se melhor. Os erros de passe, contudo, não poderiam passar sem punição. Na verdade, no finalzinho do primeiro tempo, Kabrine errou o lateral e armou o contra-ataque adversário e Nino Guerreiro diminuiu.

Veio o segundo tempo e o jogo continuou na mesma toada. O Ceilândia era mais consciente, mas o CRAC era mais intenso. De qualquer forma uma coisa não mudava: as defesas levavam vantagem sobre os ataques.

Pressão constante sobre a arbitragem
Pressão constante sobre a arbitragem

Num desses raros momentos em que o ataque levou vantagem sobre a defesa, Juninho Paraíba, que ganhava todas de Dudu pela direita, ganhou de Liel na corrida e cruzou para Dinei empatar aos 9 minutos. Depois disso o CRAC teve ao menos uma chance clara de passar a frente, mas parou na boa defesa de Darci.

Na metade do segundo tempo, Dimba caiu em campo como se fora agredido. Mais pressão sobre a arbitragem e o primeiro a ser expulso foi exatamente Dimba. Depois, o árbitro expulsou o zagueiro do CRAC.

Depois das expulsões o jogo acalmou e o Ceilândia foi melhor. Poderia até ter feito o terceiro, mas Luiz Fernando chutou para fora.

O resultado deixa o CEC na liderança, um ponto à frente do CENE e dois à frente do CRAC. Pequena vantagem, para um grupo tão disputado.

Related Images: