Tag: Tety

Em 2008, no Abadião, Brazlândia tirou o Gato da Copa do Brasil

Amanhã será um dia tenso…

Dimba sofre um ippon contra o Formosa: caçado em campo nos últimos jogos
Dimba sofre ippon diante do Formosa: caçado em campo nos últimos jogos. Nesse lance, foi jogado para o alto e precisou de atendimento médico.

A aparente tranquilidade na Cidade do Gato esconde a tensão para a partida de amanhã.

O Ceilândia vem em fase ascendente, com um padrão de jogo definido e com uma média superior a dois gols por partida no segundo turno. Em compensação, a defesa também tomou uma média de quase dois gols por partida.

Para piorar, nas últimas quatro partidas, o CEC teve assinalado contra si três penaltis, quase um por jogo. Embora reclamasse alguns penaltis, o CEC não teve assinalado qualquer penalti a seu favor nos últimos jogos.

Em janeiro de 2012, China e Tety comemoram na vitória sobre o Brazlândia. Ambos já deixaram o time
Em janeiro de 2012, China e Tety comemoram na vitória sobre o Brazlândia. Ambos já deixaram o time

Nas últimas duas partidas o time teve que correr atrás do marcador. Contra o Ceilandense chegou a estar perdendo por 2 x 0 e empatou; contra o Formosa, saiu na frente, permitiu que o Formosa virasse e, somente no final, virou novamente.

Se isso pode demonstrar a força de superação do grupo, por outro lado mostra que o CEC está namorando com o azar.

Para a comissão preocupa o fato de que contra o Formosa o CEC sofreu com a bola aérea do adversário. Talvez parte dos problemas estivesse no fato de que Darci, que voltava de longo período de inatividade, estivesse inseguro. Agora, com um jogo e mais uma semana de trabalho, é de se esperar que Darci esteja mais habituado.

Em 2008, Rodrigo Félix em ação: Brazlândia, com incentivo financeiro dos adversários, tirou o CEC das finais em pleno Abadião.
Em 2008, Rodrigo Félix em ação: Brazlândia, com incentivo financeiro dos adversários, tirou o CEC das finais em pleno Abadião.

Adelson sabe que a vitória contra o Brazlândia é importante, mas sabe que é mais importante garantir o primeiro lugar no grupo.  O Brazlândia é um time que mexe bem a bola no meio de campo. Isso vai demandar muita atenção dos volantes e dos laterais para impedir as inversões de bola.

No mais, o CEC vai ter que jogar sério, muito sério e aproveitar as oportunidades criadas. Não se prevê um jogo de muitos gols nesse sábado. Vai ser um jogo tenso, mas o CEC tem tudo para fazer prevalescer a sua melhor técnica.

Somente com o primeiro lugar é que o time pode levar alguma vantagem nas finais do turno. Ganhar o segundo turno para o CEC é uma obsessão. Sem isso, todo o projeto 2012 vai por água abaixo.

Related Images:

CEC: Derrota e lição

China, destaque no primeiro tempo. Depois, cansou
China, destaque no primeiro tempo. Depois, cansou

O confronto de hoje colocou lado a lado as duas equipes apontadas como favoritas à competição. Nesses jogos, a lógica do futebol é simples: em jogos de poucas oportunidades, vence aquele que as aproveita melhor. Essa lição o Ceilândia terá que aprender.

Na tarde deste domingo, jogando no Elmo Serejo, o Gato foi melhor que o Brasiliense na maior parte do tempo. Por alguma ironia, o Ceilândia foi vítima de seu próprio veneno. Com espaço para jogar, o CEC começou tomando a inciativa da partida e até poderia ter saído na frente com Cassius ou mesmo em um gol contra, lance que obrigou ao goleiro amarelo a fazer grande defesa.

Apesar do domínio, o CEC deixava espaços para o Brasiliense. A rigor, o Brasiliense chegava de maneira mais lúcida ao gol do CEC que o contrário. Mesmo assim, se tivesse que existir um vencedor no primeiro tempo, esse vencedor seria o Ceilândia.

Marangon, outro com primeiro tempo impecável
Marangon, outro com primeiro tempo impecável

Veio o segundo tempo e a partida parecia seguir o mesmo padrão. O CEC tinha mais posse de bola, rondava a área do Brasiliense, mas não criava situações claras de gol. O Brasiliense, por sua vez, era perigoso nos contra-ataques e só. Para o torcedor amarelo era muito difícil assistir o seu time se contentar em contra-atacar o Ceilândia. Para o torcedor alvinegro, a aflição estava nas chances perdidas.

O jogo era equilibrado. Times com propostas diferentes, mas os goleiros não trabalhavam. Num dos poucos momentos que Daniel descuidou de Adrianinho, o meia fez grande jogada e Diego Lira, de bico, abriu o marcador para o Brasiliense.

Panda, melhor atuação até agora. Defesa não teve culpa no gol
Panda, melhor atuação até agora. Defesa não teve culpa no gol

O Ceilândia mostrou que está equilibrado. Retomou as rédeas da partida, mas não conseguiu entrar na área do Brasiliense. Se teve uma chance de empatar, essa chance veio nos pés de Cassius, que errou o alvo.

O Brasiliense manteve-se fiel ao seu estilo, explorando os contra-ataques. Foi perigoso e poderia ter ampliado a vantagem, mas Diego Lira perdeu cara-a-cara com Pedro.

No final da partida Adelson colocou Rogerinho e Tety. De nada adiantou e os dois nada produziram. Dimba também entrou e até jogou bem, mas o CEC não tinha pernas.

A derrota coloca o CEC agora na obrigação de não tropeçar diante do Botafogo-DF.

Related Images:

CEC faz hoje último apronto

Luiz Felipe: fora dos planos por enquanto
Ricardo Oliveira faz mistério

Darci , Batata, Panda, Badhuga e Wallisson; Daniel, André Oliveira, Rogerinho e China; Dimba e Cassius. Essa é uma provável formação do CEC para a partida desta quarta-feira diante do Legião.

O técnico Ricardo Oliveira disse ao SiteCEC que não é refém de um esquema apenas. Por isso, durante os treinamentos tem alternado o modo de jogo, à procura da formação ideal. Nessas ocasiões o time alternou o modo de jogar do 4-4-2 para o 3-5-2 e dentro destes esquemas há sempre pequenas variações. A certeza quanto ao time que começa contra o Legião somente será desfeita no treino de hoje à tarde. Sessenta dias de espera enfim chega ao final.

O goleiro Darci não trabalhou a semana inteira e por isso é dúvida. Pedro pode ser a novidade  na camisa 1. No ataque também há dúvida: Cassius e Gil Bala treinaram entre os titulares com Dimba. A movimentação de Gil Bala foi presenteada com um gol no treinamento de sábado, mas há outras variáveis a serem consideradas pelo técnico.  A mais importante diz respeito a consistência do time, que sempre permitia contra-ataques aos adversários.

Badhuga treinou entre os reservas. Tety é opção
Badhuga treinou entre os reservas. Tety é opção

O CEC ainda corre atrás de contratações: depois de Victor, Maurício, Everson, Anchieta e Pedro Vinicius, mas com as dispensas de Edmar e Heleno, o CEC continua com um elenco pequeno. O Técnico Ricardo Oliveira disse precisar de jogadores versáteis  e que  se adaptem à diversas propostas de jogo.

Dúvidas à parte a verdade é uma só: o CEC acordou e está pronto.

Related Images:

Proposta das Arábias pode tirar Dimba do CEC

Dimba assiste ao gol de voleio de Tety no treino de hoje
Dimba assiste ao gol de voleio de Tety no treino de hoje

Dimba treinou normalmente na tarde desta sexta-feira no Rorizão e garante que enquanto a proposta não fica preto no branco fica no Ceilândia. Dimba foi sondado por um clube do Catar com uma proposta que julgou fantástica. Surpreso com a proposta, Dimba foi logo avisando que tinha 38 anos: “vai lá que estão pensando que tenho 30!”. Não há dúvida, o clube das Arábias quer levar o artilheiro do Gato. Pesa a favor do artilheiro o fato de estar em excelente forma física.

Para a torcida do Gato ainda resta esperança. Dimba afirmou que foi apenas sondado e que para ir será necessário que o clube interessado ponha a proposta no papel. A proposta é de fato muito interessante para um contrato de três meses.

Enquanto isso, o técnico Marquinhos Bahia realizou nesta tarde um treino com bolas paradas combinado com saída de bola.  Depois do treino os jogadores participaram de um rachão para descontrair. O time para enfrentar o Capital está definido: Darci, Batata, Badhuga, Eciene e Wallison; Daniel,  André Oliveira, Rogério e China; Cassius e Tety.

Badhuga fará dupla com Eciene: Panda está machucado
Badhuga fará dupla com Eciene: Panda está machucado

IRANILDO e PANDA

Iranildo e Panda não treinaram com os jogadores. Panda está lesionado e não jogará amanhã. Já Iranildo retomará amanhã o seu trabalho de condicionamento físico.  O preparador físico Divino Ferreira afirmou que Iranildo precisa de um trabalho de base que o permita disputar o campeonato e as competições do ano inteiro. Ferreira afirmou que já trabalhou com Iranildo  em três oportunidades e que o conhece bem. A Comissão Técnica está tranquila: Iranildo está se sentindo bem ambientado e  está entusiasmado com a possibilidade de voltar a ser campeão candango.

 

Related Images:

Capitão Dimba reestreia contra o Capital

Dimba, três anos vestindo a camisa do Gato
Dimba, três anos vestindo a camisa do Gato

O técnico Marquinhos Bahia já utilizou quase todos os jogadores em dois jogos preparatórios. Uma observação mais atenta, contudo, demonstra que Marquinhos tem trabalhado com um grupo restrito de jogadores. Não vai nenhuma crítica a esse comportamento, afinal o técnico precisa montar a sua equipe-base.  Um dos setores que o técnico Marquinhos Bahia pouco mexeu foi no ataque, com Cassius e Tety. Os dois atletas foram aqueles que mais permaneceram em campo nos dois amistosos. Agora um dos dois vai ter que sair para dar lugar ao capitão do Gato, campeão do Distrito Federal em 2010. Dimba está de volta.

Dimba retornou aos trabalhos quase uma semana depois que os demais atletas. Com 38 anos de idade, Dimba já não é um menino mas compensa isto com profissionalismo.  No último sábado, enquanto o time jogava contra o Brazlândia, Dimba corria com os atletas que não foram aproveitados naquela partida. A torcida espera pela volta do capitão.

Para Marquinhos o dilema é que tanto Cassius quanto Tety vem jogando bem. O mais provável é que o maior artilheiro da história do Ceilândia dê lugar ao capitão do time: Cassius.

Se Dimba retorna, Iranildo ainda é dúvida. Apesar de terem aproximadamente a mesma idade, Dimba parece em melhores condições físicas que Iranildo. O franzino Iranildo parece precisar de mais duas semanas de trabalho intensivo para recuperar a forma física. O problema é que o campeonato começa em duas semanas e Iranildo talvez precise de mais tempo. Problema para o técnico Marquinhos e o preparador físico resolverem.

Related Images:

CEC bate Brazlândia em amistoso: 2 x 0

China, Cassius e Tety comemoram o segundo gol do Gato
China, Cassius e Tety comemoram o segundo gol do Gato

O Ceilândia enfrentou o Brazlândia na tarde deste sábado, no Abadião, e venceu por 2 x 0. Na avaliação geral o time se portou bem. Mostrou um pouco mais de consciência na transição que no jogo passado. Mesmo assim, não foi fácil.

No primeiro tempo, o Gato mostrou as mesmas oscilações da partida anterior. Enquanto Maninho esteve em campo, o Brazlândia foi um time que levava perigo. De algum modo contribuiu para isso o fato de que os volantes do Gato vinham marcar um pouco atrás. A sorte do Gato é que, além de ter uma defesa melhor postada que na partida anterior, Darci voltou a repetir a boa atuação e fez ao menos duas boas defesas.

Tety comemora: importante nesse início de trabalho
Tety comemora: importante nesse início de trabalho

Corrigido o erro, o time portou-se melhor. Com um primeiro tempo equilibrado, o gol veio num lance de bola parada. China bateu falta e o goleiro adversário contribuiu para que o Gato saísse na frente.

No segundo tempo o CEC foi senhor das ações. Não que mostrasse grande consciência, nem é de se esperar que o faça no nível atual dos trabalhos. O fato é que o CEC contava com as falhas de posição do adversário e era sempre perigoso com Tety e com Cassius.

Num desses lances, cruzamento da direita, a bola passou por Cassius mas não passou por Tety que, de primeira, mandou para o fundo das redes: Ceilândia 2 x 0.

Enquanto o jogo seguia, um grupo de jogadores treinava à parte. Dentre eles, Dimba. Para as próximas semanas o time-base do CEC, com Dimba e Iranildo, enfim pode ser apresentado à torcida.

Related Images:

Alcione, Andre Oliveira e Guilherme: CEC sofreu pelo lado esquerdo.

Os problemas do técnico Marquinhos Bahia

Anapolina perde gol feito: Time precisa trabalhar
Anapolina perde gol feito: Time precisa trabalhar

A derrota em Anápolis não foi uma catástrofe, mas acende o sinal de alerta: o futebol é resultado. Uma análise mais fria, contudo, revela que o time não foi tão mal para o seu estágio de preparação.

Na primeira etapa era fácil identificar a falha no posicionamento dos meias mais avançados da equipe. China e Alcione estavam mais a direita do ataque do Ceilândia. Alcione marcava mal a saída de bola adversária, recuando para a linha com André Oliveira e mais centralizado. Em suma, Alcione não tinha função. Sobrou para André Oliveira fazer seguidas faltas combatendo a saída de bola da Anapolina pela esquerda da defesa do CEC.

Por essa razão,  o lado esquerdo da defesa do Ceilândia penou porque Guilherme ficava sempre no um contra dois. Foi assim no gol da Anapolina. Naquele momento Marquinhos até que percebeu o problema e pediu para Tety recuar, nem tanto para marcar, mas possivelmente para puxar contra-ataque, quem sabe? Tety não é marcador, fez apenas sombra e no cruzamento saiu o gol da Anapolina.

Alcione e China: faltou transição e marcação na saída de bola adversária
Alcione e China: faltou transição e marcação na saída de bola adversária

O posicionamento da equipe sacrificou um jogador: China, que não teve oportunidade de ser corretamente avaliado. O mesmo aconteceu com o atacante Cassius, preso entre os dois zagueiros. Tety se movimentou bastante, mas sofreu com a falta de estrutura tática do Ceilândia (nada de anormal considerando que a equipe fez apenas um treino coletivo antes do jogo).

André Oliveira chega atrasado. Problemas de marcação no meio de campo complicaram a vida da lateral-esquerda.
André Oliveira chega atrasado. Problemas de marcação no meio de campo complicaram a vida da lateral-esquerda.

Edimar e André Oliveira, em função mesmo da falta de estrutura tática, também não puderam ser avaliados. André Oliveira mostrou que tem um futebol viril, mas não muito mais que isso. Os volantes tiveram nítida dificuldade para sair jogando. Os laterais, Edu Bayer e Guilherme também não mostraram a que vieram, ao menos ofensivamente. Não mostraram variações no posicionamento, permanecendo na defensiva durante o primeiro tempo.

Defesa sofreu pelo lado esquerdo: problema de marcação na meia
Defesa sofreu pelo lado esquerdo: problema de marcação na meia

Diego Morais e Thiago Eciene permitiram que atacantes da Anapolina aparecessem entre eles em situações claras de gol. Talvez tenha faltado entrosamento, mas pareceu claramente que o problema era de posicionamento. Numa das jogadas o homem a aparecer cara a cara com Darci era do meio de campo adversário. Problema dos volantes.

Darci não foi exigido. Na única vez que o foi mostrou boa técnica e fez uma bonita defesa. Nas outras vezes que interveio, Darci mostrou que tem uma técnica de solo apurada e, pelo alto, não fez feio. O Ceilândia parece que começa bem a partir do gol.

Alguns jogadores, casos de Panda e Daniel, que entraram depois, mostraram que estão fora de forma, e muito. Não lhes faltou vontade. O relógio está ligado e Panda e Daniel precisam entrar em forma logo. Há várias razões: a principal é que a torcida deposita grande esperança nesses jogadores.

Related Images:

Um time cheio de caras novas

China, trabalhando em silêncio
China, ao lado de Iranildo, trabalhando em silêncio

O provável time base de Marquinhos Bahia até deve ser conhecido do torcedor alvinegro: Darci, Luiz Carlos Badhuga, Panda, Daniel, Iranildo, Dimba e Cassius são jogadores conhecidos da torcida do Gato. Em meio a esses jogadores, chama a atenção a presença de três atletas vindos do Tocantinópolis: Tety, China e Gil Bala.

Tety e China jogaram o campeonato metropolitano de 2011 pelo Botafogo-DF. Tety foi uma das armas secretas do adversário alvinegro e China foi um dos titulares no meio de campo. No segundo semestre, Tety e China se juntaram a Gil Bala no  Tocantinópolis na fracassada campanha desse time na série D 2011.

Nesse início de trabalho percebe-se que Tety se apresenta um pouco mais ambientado que China e Gil Bala, afinal é conhecido dos torcedores e da imprensa. China trabalha quieto, normalmente é um dos últimos da fila. Gil Bala é ainda mais discreto e talvez seja o jogador que mais tenha a provar.

Gil Bala à direita de China: faro de gol
Gil Bala à direita de China: faro de gol

Conhecido por seu espírito guerreiro, Gil Bala tem também a  fama de goleador . Era querido pela torcida do Tocantinópolis. China já tem 30 anos. É um meio de campo criativo e que faz lá os seus golzinhos. Dizem que é um bom batedor de faltas. Em meio aos nomes badalados, trabalhando em silêncio, China pode ser uma boa surpresa.

Tety é um atacante à moda antiga. Baixinho e rápido, conseguiu fazer um gol de cabeça na alta defesa do Ceilândia em 2011. Com certeza três boas opções colocadas à disposição de Marquinhos Bahia.

Related Images: