Tag: Adelson de Almeida

Adelson: Comandante não descansa

Gabriel é peça importante: mudança tática também importante

Um comandante nunca descansa.  Enquantos todos comemoravam o terceiro gol, Adelson sabia que  não podia relaxar.  No mesmo instante já cobrava do time a rápida retomada da concentração.

Mirandinha teve uma atuação discreta: peça importante

Adelson foi especialmente importante ontem. Futebol não é uma ciência exata como a matemática, onde 2 mais 2 são 4. O treinador armou um time mais leve para enfrentar o Santa Maria. Apostou na intensidade seja para vencer as defesas adversárias, seja para minar a capacidade de resistência.

Luziânia fez jogo parelho com Ceilândia: promessa de jogo complicado

Ainda no primeiro tempo, Adelson percebeu que o jogo pedia um atacante de referência. Por isso, sacou o importante Gabriel e colocou Matheus Silva. Deu certo! Matheus acabou sendo o herói da tarde. Fez outras substituições cirúrgicas: jogadoes certos para o jogo certo.

Fora de campo, torcida e dirigentes se dão bem: Luziânia já foi alvinegro
Fora de campo, torcida e dirigentes se dão bem. Dentro de campo, jogos difíceis.

Para o jogo contra o Luziânia, primeiro colocado do Grupo C, Adelson sabe que terá pela frente um time que amarra bem o jogo. O Luziânia conseguiu fazer o gol da classificação tal qual o Ceilândia nos últimos instantes do jogo contra o Unaí. O Luziânia é um time maduro e controlou o Unaí o jogo inteiro.

Ceilandia fez o 3o nos acréscimos, Adelson conteve a emoção e pediu foco

Ceilândia e Luziânia será um jogo diferente: truncado, arrastado… Vai exigir paciência do time alvinegro.

Próximos Jogos do Ceilândia

Ceilândia: último treino antes do jogo de sexta contra o Gama

Adelson esconde o time: respeito pelo Gama

O Ceilândia realizou na tarde desta quarta-feira, no Regional, o treino-apronto para o importante jogo desta sexta-feira diante do Gama.

O técnico Adelson de Almeida manteve a base do time que venceu o Real na estreia por 2 x 1. Para o jogo diante do Gama o treinador ainda não deve contar com Cocada. Mirandinha, que jogou no sacrifício diante do Real, também é dúvida. Ambos não treinaram.

Sob o olhar do treinador: treino-apronto para jogo diante do Gama

O jogo é de vital importância para as pretensões na competição. Uma vitória coloca o alvinegro  no caminho certo na disputa por uma vaga na segunda-fase.

O treino foi disputado: sexta, jogo importante contra o Gama

O sentimento para os lados da Cidade do Gato  é o de que um jogo que normalmente seria muito difícil se tornará ainda mais difícil porque o Gama perdeu na estreia.

Adelson preocupado com o jogo desta quinta

Adelson no comando, estréia contra o Real e 4 rebaixados em 2021

Em 2020, o Ceilândia foi derrotado pelo Real por 2 x 0

2021 promete muita emoção. Não adiante criticar a fórmula. Essa fórmula já existe por aí e já é um fato consolidado. Incomoda que um time, em apenas 6 jogos, poderá se classificar ou ser rebaixado sem enfrentar os seus adversários diretos.

Vice-presidente do Ceilândia e Didão recebem o troféu de campeão da 1a fase do Candangão 2018
Fórmula foi sugerida pelo presidente da Federação, Daniel Vasconcelos

Os custos da competição pesou na definição do formato mais enxuto. A FFDF deverá assumir os custos com arbitragem e ambulâncias, como destacou o presidente do Ceilândia na reunião.

Adelson preocupado com o jogo desta quinta
Adelson terá, à frente do Ceilândia, um desafio tão grande quanto aquele de 2001

A princípio os times foram divididos em 2 grupos. O Ceilândia está no grupo B, ao lado de Capital, Santa Maria, Brasiliense, Sobradinho e Formosa (no grupo A, adversários do Ceilândia, estão Real, Gama, Unaí, Taguatinga, Luziânia e Samambaia).

Como já se noticiava, Adelson de Almeida volta ao comando do Ceilândia. O Gato Preto tem lutado bravamente fora de campo para saldar o passivo trabalhista, mas com certeza terá um elenco limitado. Adelson sabe, como ninguém, transformar um elenco limitado num elenco competitivo.

Rogerio Juidecce, Adelson e Cassius: muito trabalho antes da sequencia de jogos

Ceilândia: 8 jogos em menos de um mês. Domingo: Bolamense

Rogerio Juidecce, Adelson e Cassius: muito trabalho antes da sequencia de jogos
Rogerio Juidecce, Adelson e Cassius: muito trabalho antes da sequencia de jogos

O Ceilândia sofreu com a sequência de jogos no mês de janeiro e início de fevereiro. O desgaste era visível de alguns atletas, principalmente no segundo tempo.  O efeito dos jogos sobre Formiga surgiram em forma de contusão. Gago também sentia a sequência de jogos.

Adelson deve estar agradecendo a semana de folga para recuperar os atletas desgastados. Rogerio Giudecce terá tempo para realizar o polimento no preparo físico dos atletas para uma sequência inimaginável de jogos, trabalho que não teve tempo de realizar com a sequência de jogos disputados.

O Ceilândia deve realizar 8 jogos em aproximadamente um mês. Depois, a se classificar para o mata-mata, o Ceilândia enfrentará outra maratona de jogos, agora decisivos.

Para o jogo deste final de semana, Adelson não deverá contar com Formiga. É difícil apontar um jogador no elenco que possa desempenhar a função tática que Formiga tem desempenhado. Nenhuma mudança é tão simples. Ronan e Wallace Jesus seriam as opções mais óbvias, mas isso implica mudar a maneira de jogar. Esperar e ver.

 

2013: Adelson venceu as fraturas do time, uniu a equipe e a levou à final do returno, mas já era tarde.

No seu jogo 230 dirigindo o Ceilândia, o desafio de repetir Mauro Fernandes

Em 2006: Mauro Fernandes reclama da arbitragem... jogos sempre complicados
Mauro Fernandes levou o Ceilândia à segunda fase da Copa do Brasil em 2006

Adelson de Almeida vai para a sua 9a temporada quase ininterrupta dirigindo o Ceilândia. Nesse período foram 163 jogos oficiais.  

O último treinador a conduzir o Ceilândia, que não Adelson de Almeida,  foi Ricardo Oliveira em 2012 em 3 partidas. De lá para cá, Adelson comandou o Ceilândia em 124 jogos oficiais, com 54 vitórias, 39 empates e 31 derrotas. O aproveitamento do time comandado por Adelson é de 53% de 2012 para cá. Em 2011, Marquinhos Bahia dirigiu o Ceilândia em 4 jogos.

2013: Adelson venceu as fraturas do time, uniu a equipe e a levou à final do returno, mas já era tarde.
Adelson e Dimba tem a missão de levar o Ceilândia à segunda fase da Copa do Brasil 2018

Adelson teve uma primeira passagem pelo Ceilândia entre 2001 e 2003. No total, Adelson de Almeida conduziu o Ceilândia em 229 jogos desde 2001. Desse total, foram 207 jogos oficiais com 82 vitórias, 68 empates e 57 derrotas.

Os bons números do Ceilândia sob o comando de Adelson, contudo, ainda reservam uma boa sorte de desafios em nível nacional. Um deles é repetir o feito do time comandado por Mauro Fernandes em 2006 quando, pela única vez, o Gato Preto passou à segunda fase da Copa do Brasil ao vencer o Bahia, na Fonte Nova, por 2 x 1.

 

Ceilândia prossegue rotina de treinamentos para 2018

Ceilândia enfrenta Avaí pela Copa do Brasil 2018

Ceilândia prossegue rotina de treinamentos para 2018
Ceilândia prossegue rotina de treinamentos para 2018

O Ceilândia vai enfrentar o Avaí-SC na primeira fase da Copa do Brasil 2018.  A competição começa em 31 de janeiro, mas a CBF deve desmembrar a tabela, de modo que ainda não é possível dizer a data do jogo com precisão.

Comissão Técnica tem o desafio de fazer o Ceilândia passar de fase na Copa do Brasil
Comissão Técnica tem o desafio de fazer o Ceilândia passar de fase na Copa do Brasil

Será confronto de jogo único, como foi em 2017,  quando o Ceilândia empatou com o ABC em 1 x 1 e foi eliminado. O empate no tempo normal classifica o Avaí, de modo que o Gato Preto precisa vencer. Se passar, pega o vencedor de Juventude e Interporto-TO (chaveamento C e G).

O Ceilândia jamais enfrentou times catarinenses em competições nacionais. Do lado alvinegro havia a certeza que o chaveamento colocaria o Ceilândia contra um adversário forte: tendo subido no ranking da CBF, o Ceilândia sabe que quanto mais próximo do Top40 mais forte seria o adversário (chaveamento B e F).

Michel Platini volta ao Ceilândia

Ceilândia se reapresenta para 2018 nesta terça

Michel Platini volta ao Ceilândia
Apresentação do Ceilândia para 2017: tempo de preparação pequeno

O Ceilândia se reapresenta hoje à tarde. Sabe-se pouco ou quase nada do time para 2018. O pouco que se sabe indica que uns seis jogadores permanecerão.
 Adelson continua como técnico. O segredo em torno da montagem do time é comum no Ceilândia que prefere limitar pressões externas.
Especula-se que uns seis jogadores do elenco principal permaneçam para a próxima temporada.
Em 2018, o Ceilândia disputará a Copa Verde, Copa do Brasil, Candangão e Brasileiro da Série D.
Em 2018, o CeilandiaEC, que vai para 17 anos no ar, não estará tão presente no dia-a-dia do Ceilândia.

2012: Adelson volta a ser campeão do DF

Adelson quebra mais uma marca: 200 jogos

Adelson em 2002
Adelson era pouco mais que um menino quando assumiu o Ceilândia: fazia de tudo

Adelson atinge nesta quarta, diante do Brasília, a marca de 200 jogos dirigindo o Ceilândia. Para os padrões do futebol local é uma marca difícil de ser alcançada.

Depois de um começo difícil, a primeira vitória veio sobre o invicto Brasiliense
Depois de um começo difícil, a primeira vitória veio sobre o invicto Brasiliense – Reprodução do Correio Braziliense

Adelson começou a sua vida de técnico profissional dirigindo o Ceilândia em 2001. De lá para cá é um dos responsáveis pela guinada que ocorreu na história do Ceilândia nos últimos 15 anos.

Depois da temporada 2003, Adelson retornou em 2010 para ser campeão
Depois da temporada 2003, Adelson retornou em 2010 para ser campeão

O começo não foi nada bom. Nos primeiros cinco jogos, Adelson conheceu quatro derrotas e um empate. O time era formado basicamente por meninos, campeões juvenis do DF de 1998. A primeira vitória dirigindo o Ceilândia veio diante do estrelado Brasiliense em março de 2001.

Adelson entra em campo na final de 2010: ao fundo, William Carioca que seria decisivo
Adelson entra em campo na final de 2010: ao fundo, William Carioca que seria decisivo

Adelson dirigiu o Ceilândia em parte de 2002 e 2003. Ficou seis anos afastado, quando levou os juniores do Brasiliense ao hexacampeonato da categoria. Em 2010, Adelson voltou ao Ceilândia… para ser campeão!!!

2012: Adelson volta a ser campeão do DF
2012: Adelson volta a ser campeão do DF

Dos 199 jogos em que dirigiu o Ceilândia, 175 foram partidas oficiais. O aproveitamento de Adelson na primeira passagem pelo Ceilândia, entre 2001 e 2003, registrou 44 jogos. Foram 15 vitórias, 14 empates e 15 derrotas, com 64 gols a favor e 63 contra.

Os melhores números de Adelson estão em 2016, mas o título não veio. Primeiro, o Candangão..

Já a segunda passagem registra 131 jogos, com 52 vitórias, 45 empates e 34 derrotas. 176 gols a favor e 138 contra.

Adelson sagrou-se campeão metropolitano duas vezes com o Ceilândia (2010 e 2012) e vice em 2016. Os números, todavia,  demonstram que é na Série D que Adelson tem o melhor aproveitamento.  No Campeonato Nacional, Adelson conquistou 58% dos pontos disputados quando dirigia o Ceilândia.

Depois, a frustração na Série D 2016

200 jogos dirigindo um time do Distrito Federal é uma marca de respeito. 

Recordes de Adelson
Maior Sequencia invicta da história do ceilândia, com 15 jogos sem derrota entre março de 2015 e abril de 2016.

Adelson não tinha zagueiros: agora ganhou mais dois
Adelson se transformou em um dos mais bem sucedidos técnicos do futebol do DF

Maior goleada sofrida: 0 x 5 Caxias, em 2011, pela Copa do Brasil

Maior goleada aplicada: 5×0 Comercial-MS (12.6.2016), 5×0 Brasilia(28.4.2002)

Maior sequencia de jogos sem sofrer gols: 5 jogos entre 8.2.2014 e 1.3.2014

Adelson se irritou com as seguidas ligações diretas

Ceilândia pronto para estreia na Copa Verde

Adelson se irritou com as seguidas ligações diretas
Adelson se irritou com as seguidas ligações diretas da defesa para o ataque no jogo-treino contra o Anápolis

O Ceilândia já está pronto para a partida deste domingo, 17 horas no horário de Brasília: estreia na Copa Verde contra o 7 de Setembro, em Dourados, Mato Grosso do Sul.

O vencedor do confronto entre Ceilândia e Sete enfrentará a Luverdense. O vencedor da Copa Verde entra direto nas oitavas de final da Copa do Brasil 2018 e não mais disputa a sulamericana.

Fiel a seu estilo, o  técnico Adelson de Almeida não revela o time. Com exceção dos jogadores à disposição do departamento médico, os demais estão regularizados e à disposição do treinador. A boa notícia é Matheuzinho: o jogador está clinicamente recuperado da cirurgia no joelho.

O mais provável é que Adelson mantenha a base do time que jogou contra o Anápolis. Assim, Pedro manteria a titularidade no gol. Embora tenha iniciado a sua preparação antes que o Sete, a Comissão Técnica sabe que o adversário evoluiu muito nos últimos dias: promessa de jogo complicado.

O Ceilândia viaja amanhã para Dourados. 

Adelson: gripe forte derrubou o comandante

Com Adelson fora de combate, Ceilândia retoma trabalhos

Adelson: gripe forte derrubou o comandante
Adelson: gripe forte derrubou o comandante

O Ceilândia retoma os trabalhos nesta manhã de terça visando ao jogo decisivo deste sábado, 15h30, no Regional, diante do Fluminense da Bahia. Os jogadores passarão por revisão médica.

O técnico Adelson de Almeida pode ser uma baixa nesses primeiros dias da semana. O treinador foi acometido por forte gripe ainda em Feira de Santana, resistiu bravamente durante o jogo, mas depois teve a necessidade de permanecer acamado.

Antes dos treinamentos de hoje, os jogadores passarão por uma avaliação médica. A princípio, o Ceilândia não tem problemas.

Fora de campo continuam os preparativos para o jogo deste sábado. A avaliação da Comissão Técnica é que tanto Ceilândia quanto Fluminense-BA conseguiram os seus objetivos no primeiro jogo. O mais importante, para ambos, era manter a disputa em aberto.

A vitória alvinegra não pode deixar de ser comemorada, mas o discurso oficial é a de que a vitória ficou em Feira de Santana. Para o próximo sábado, o Ceilândia afirma que o Fluminense mostrou que é um bom time. O empate até dá a classificação para o Ceilândia, mas pode lhe tirar o sonho da primeira colocação geral.

Adelson falou com o CeilandiaEC. O treinador disse que o time está consciente das dificuldades, mas também das próprias qualidades.

Ceilândia supera jogo truncado da Aparecidense e recupera a liderança do grupo

O Ceilândia sofreu com as faltas táticas da Aparecidense: arbitragem mais uma vez longe do nível ideal
O Ceilândia sofreu com as faltas táticas da Aparecidense: arbitragem mais uma vez longe do nível ideal

Ceilândia e Aparecidense se enfrentaram na tarde deste sábado, no Regional, em jogo que valia a liderança do grupo A10 da Série D-2016. Como se esperava foi um jogo difícil. O placar final, não diz o que foi o jogo, mas reflete exatamente a diferença entre as equipes.

A proposta de jogo da Aparecidense é simples: jogar e impedir o adversário de jogar. Até aí tudo tranquilo. O problema é que a base da estratégia está centrada em faltas táticas.  Qualquer avanço do adversário, o mais simples que seja, é parado com falta. O bem treinado time da Aparecidense recompõe sua defesa, recupera a bola e avança ordenadamente ao ataque.

Matheuzinho deu muito trabalho no início. Depois, foi dominado pelo sistema defensivo da Aparecidense
Matheuzinho deu muito trabalho no início. Depois, foi dominado pelo sistema defensivo da Aparecidense

O Ceilândia sofreu com isso no primeiro tempo. Aos olhos de um observador desatento, apenas um time jogava e esse time era a Aparecidense. A causa, contudo, talvez não fosse observada: abuso das faltas táticas, razão última do domínio exercido.

Foi assim o primeiro tempo quase inteiro, mas o bom time da Aparecidense tinha um problema: o último passe. Fato é que a Aparecidense rondou a área do Ceilândia por diversas vezes, obrigando em ao menos uma delas a boa defesa de Artur. Noutra, Badhuga providencialmente colocou a bola para escanteio. E só.

Sandro entrou no lugar de Didão. Não comprometeu, mas a falta de ritmo comprometeu a fluidez do jogo do Ceilândia
Sandro entrou no lugar de Didão. Não comprometeu, mas a falta de ritmo comprometeu a fluidez do jogo do Ceilândia

Apesar das dificuldades de conclusão do adversário, a torcida do Ceilândia estava impaciente. O time não conseguia jogar e, talvez, não soubesse a razão. Fato é que temia-se que a qualquer momento a Aparecidense conseguisse uma brecha e abrisse o marcador.

Não foi o que aconteceu.

Nessa sequencia, a maior oportunidade da Aparecidense: Badhuga e Artur Junior vão salvar
Nessa sequencia, a maior oportunidade da Aparecidense: Badhuga e Artur Junior vão salvar

Há muitas diferenças entre os dois times. Uma delas está no fato de que o Ceilândia tem Willian. No apagar das luzes do primeiro tempo, Willian brigou por uma bola perdida, foi a linha de fundo e cruzou. Gilvan, com oportunismo, abriu o marcador. Ceilândia fazia 1 x 0. Logo em seguida o primeiro tempo acabou.

Quando tudo parecia complicado, Willian deixou Gilvan na cara do gol
Quando tudo parecia complicado, Willian deixou Gilvan na cara do gol

Veio o segundo tempo e o cenário aparentemente continuava o mesmo. O time da Aparecidense é uma maquininha. Mantém um padrão desconcertante: falta tática, recompõe a defesa, recupera a bola e avança ordenamente ao ataque.

De qualquer sorte, o Ceilândia também tem um bom time.  Apesar da adversidade, não dava oportunidades para a Aparecidense.  A rigor, nenhum atacante adversário chegava inteiro para concluir.

Badhuga vai fazer o segundo gol
Badhuga vai fazer o segundo gol

Aos 7 minutos do segundo tempo, os times ainda disputavam o domínio da partida. Se fosse uma luta, dir-se-ia que os times trocavam pegadas. Foi nesse cenário de indecisão que tudo mudou.

Cobrança de escanteio, Gilvan cabeceou e a bola sobrou no lado oposto para Badhuga concluir. O goleiro Pedro Henrique ainda tentou tirar, mas a bola já havia atravessado a linha do gol. Ceilândia 2 x 0.

Willian comemora com a torcida
Willian comemora com a torcida

Esse gol mudou por completo o panorama da partida. A Aparecidense desestruturou-se momentaneamente e, antes que se colocasse  de pé, Willlian fez um golaço: Ceilândia 3 x 0.

Depois do terceiro gol, o Ceilândia cuidou em administrar o resultado. Adelson ainda colocou Wanderson, Kabrine e Formiga los lugares de Sandro, Matheuzinho e Willian, mas o Ceilândia já estava satisfeito com os 3 x 0.

Mario tem sido importante. Hoje, subiu pouco ao ataque
Mario tem sido importante. Hoje, subiu pouco ao ataque

Algumas lições talvez sejam mais importantes que o resultado em si. A principal lição é a de que podem existir advesários que utilizem o padrão de jogo da Aparecidense: falta tática, recomposição, avanço ao ataque. Isso incomodou o Ceilândia, principalmente diante de uma arbitragem complacente, desmoralizada pelo ato final do volante Geovane que chutou a bola para fora quando essa estava sob a autoridade do árbitro.

Outro coisa importante foi ver Artur fazer defesas importantes. Isso dá confiança de que, se necessário, o arqueiro estará lá. Por fim,  a vitória foi importante porque dá ao Ceilândia, momentaneamente, a primeira colocação do grupo.

20160709cec3x0aparecidense_093

Gabriel também teve trabalho: Aparecidense não é brilhante, mas é um time metódico e equilibrado

Ceilândia x Aparecidense: liderança em jogo numa partida duríssima

Badhuga comemora: alegria durou pouco tempo em Aparecida de Goiânia
Badhuga comemora: alegria durou pouco tempo em Aparecida de Goiânia

O Ceilândia volta a campo neste sábado, 15h30, no Regional, para enfrentar a Aparecidense, líder do grupo A10, da Séreie D 2016.

O time alvinegro tem jogado um bom futebol na D-2016, mas enfrentará um adversário dificílimo. A Aparecidense é um adversário duro fora de seus domínios, particularmente por possuir uma defesa sólida e por não desperdiçar as poucas oportunidades que cria.

Matheuzinho deu muito trabalho à Aparecidense: vai ter muito trabalho neste sábado
Matheuzinho deu muito trabalho à Aparecidense: vai ter muito trabalho neste sábado

A Aparecidense lembra muito o Ceilândia do primeiro semestre, mas é melhor: é um time metódico e equilibrado. Sorte que o Ceilândia de agora é um time mais maduro, tática e  tecnicamente muito superior ao do primeiro semestre.

Já o Gato Preto, com a vinda dos novos jogadores, mudou bastante a maneira de jogar: alia a coesão do sistema defensiva a uma boa transição da defesa para o ataque. Continua sendo um time pragmático, como são os times treinados por Adelson. Mostrou isso no último final de semana.

Aparecidense é um time equilibrado: Ceilândia teve problemas pelos lados e pelo meio. Promessa de jogo duro
Aparecidense é um time equilibrado: Ceilândia teve problemas pelos lados e pelo meio. Promessa de jogo duro

Para a partida deste sábado, o Ceilândia tem alguns problemas de ordem física. Didão é a maior preocupação. Sem ele, o time muda a forma de jogar e, ao menos durante boa parte do jogo contra o Araguaia, perdeu a coesão no meio de campo.  Adelson definirá o que fazer apenas hoje, no apronto.

Gabriel também teve trabalho: Aparecidense não é brilhante, mas é um time metódico e equilibrado
Gabriel também teve trabalho: Aparecidense não é brilhante, mas é um time metódico e equilibrado

O Ceilândia precisa da vitória se quiser a liderança do grupo. Qualquer outro resultado deixará a classificação em aberto. Se perder, não mais poderá alcançar a Aparecidense. Se empatar, dificilmente o fará. Jogo decisivo, mas daqui para a frente será sempre assim: cada jogo uma decisão.

Ceilândia enfrenta um novo Araguaia

Ceilândia sabe que não pode menosprezar a bola
Ceilândia sabe que não pode menosprezar a bola

Ceilândia e Araguaia fazem na tarde deste sábado, 15h30, no Estádio Regional, jogo que decide qual dos dois se habilita a decidir com a Aparecidense a liderança do grupo A10 da Série D 2016.

Sabedor da importância do jogo, o Araguaia resolveu mudar meio time para a partida deste sábado. Embora não se tenha informações precisas, o mais certo é que o técnico Kiko Araujo privilegie os jogadores recém contratados, casos de Alaor, Renteria, Café e Jeanzinho.

Kiko Alagoano fez dois e preocupa o Ceilândia
Kiko Alagoano fez dois e preocupa o Ceilândia

Em entrevista ao GloboEsporte que você lê clicando aqui o técnico do Araguaia, Kiko Araujo, prometeu time ofensivo para o jogo deste sábado:

– Infelizmente sofremos com falhas individuais e perdemos mais uma dentro de casa. Agora para ainda pensar em classificação precisamos ir lá e recuperar os pontos perdidos aqui em Barra do Garças. Só a vitória nos interessa e vamos jogar ofensivamente buscando voltar de lá com os três pontos .

 

Adelson tem a responsabilidade de preparar o time nessa reta final
Adelson tem a responsabilidade de preparar o time nessa reta final

O CeilândiaEC apurou que as prováveis mudanças se darão do meio para a frente. No meio, o técnico Kiko Araújo conta com as entradas dos recém contratados Alaor  e do colombiano Renteria. Na frente, a principal alteração estaria na entradas de Café ao lado de Marcelo, este no lugar de Gaúcho.

Alaor tem 20 anos. No campeonato brasileiro sub20 de 2015, marcou gols de média distância e pelo alto. Renteria combina força com alguma técnica. Essas duas entradas mudam a forma de jogar do Araguaia.

Willian e Baiano: equilíbrio do time precisa ser mantido
Willian e Baiano: equilíbrio do time precisa ser mantido

Dessas alterações, contudo, apenas uma indica uma mudança significativa no sistema de jogo do Araguaia: a entrada de Café indica que o Araguaia procura espelhar o sistema de jogo do Ceilândia. Café é um atacante de lado de campo, tanto pela direita quanto pela esquerda.

O Ceilândia, a seu turno, também fará alguns ajustes, mas taticamente. O time faz nesta quinta-feira o seu treino apronto. Adelson desconversa quanto a mudanças no time, o que é pouco provável.

Ceilândia está confiante, mas o Araguaia nada tem a perder

A principal preocupação do treinador está na mudança de mentalidade da equipe. Preparar a o time para que se adapte rapidamente às exigências de cada rodada daqui por diante, deixando o jogo passado no passado, é a tarefa mais urgente. Para o treinador, o Ceilândia precisa se preocupar com um jogo por vez daqui em diante, se quiser chegar à Série D.

Se não houve mudança de última hora, o Ceilândia deve mandar a campo Artur, Gabriel, Badhuga, Wallace e Mario. Didão, Klécio, Baiano e Willian; Matheuzinho e Gilvan.

 

Badhuga ataca: Ceilândia precisa de bom resultado em Barra do Garças

Ceilândia faz ajustes para enfrentar o Araguaia

Gilvan foi um dos mais exigidos no treinamento
Gilvan foi um dos mais exigidos no treinamento. Léo, voltou aos treinamentos

Pressão faz parte do dia-a-dia do jogador de futebol. O Ceilândia considera ter um time experiente o suficiente para saber que acidentes acontecem no futebol, mas também sabe que não existe paz possível sem vitórias.

Consciente que precisa de um bom resultado, o O Ceilândia realizou, na manhã desta quinta-feira, o último treino com vistas à importante partida deste final de semana contra o Araguaia.

Artur está mantido no gol alvinegro: erros acontecem
Artur está mantido no gol alvinegro: erros acontecem

O técnico Adelson de Almeida não deve fazer alterações na equipe, com exceção do zagueiro Trevizan, cujo contrato deverá ser rescindido. Wallace deve voltar ao time.

Adelson considera que a equipe jogou bem contra a Aparecidense. Para o treinador, o time precisa de pequenos ajustes. É nisto que trabalha.

O goleiro Artur, vítima da uma dos azares da profissão de goleiro contra a Aparecidense, está mantido.

Badhuga ataca: Ceilândia precisa de bom resultado em Barra do Garças
Badhuga ataca: Ceilândia precisa de bom resultado em Barra do Garças

No treinamento desta quinta-feira, o Ceilândia focou essencialmente no posicionamento do time.

Ceilândia e Araguaia estão empatados na segunda colocação do grupo A10 com 3 pontos.

O Ceilândia viaja para Barra do Garças nesta sexta-feira. No sábado, o time treinará na cidade matogrossense.

Resultado coloca Ceilândia na obrigação de vencer em Barra do Garças

O calvário de Artur

Artur: atuação comprometida por falha grotesca: poderia ter passado, mas optou por um chutão que antes já falhara
Artur: atuação comprometida por falha

Artur começou a sua carreira sob os olhos de Adelson de Almeida nas categorias de base do Brasiliense. Quis o destino que ambos se reencontrassem, anos depois, na disputa da Série D.

Artur veio para o Ceilândia numa posição em que Léo fizera boa campanha no Campeonato Candango. Adelson optou pela experiência de Artur. Léo sequer tem sido relacionado para os jogos.

Artur é produto de um futebol antigo, procurando adaptar-se ao futebol moderno. Jogar com os pés é peça importante na atuação do goleiro.

Artur orienta: goleiro não pode falhar
Artur orienta: goleiro não pode falhar

Artur voltou para o segundo tempo frio ou ao menos foi essa a impressão que passou. Não aquecera em campo para a segunda etapa. É bom lembrar que a temperatura do ar caiu 4 graus entre 17 e 19 horas.

No primeiro tempo do jogo contra a Aparecidense, Artur já mostrara  dificuldade na reposição de bola ao menos em duas oportunidades.

Na terceira oportunidade, Artur jogou a bola nos pés de Willian e o jogador da Aparecidense não perdeu a oportunidade. Esse gol, logo aos 2 minutos do segundo tempo, devolveu todo o esforço da equipe à estaca zero.

Resultado coloca Ceilândia na obrigação de vencer em Barra do Garças
Resultado coloca Ceilândia na obrigação de vencer em Barra do Garças

O Ceilândia sentiu o gol do empate e não foi a mesma equipe do primeiro tempo. A Aparecidense foi melhor até fazer o terceiro gol.

Artur  chegou a ser exigido ao menos mais uma vez, em chute de longa distância e fez boa defesa. No geral não foi muito exigido: as bolas que passaram pela defesa resultaram em gols adversários. Artur nada pode fazer nos outros gols.

Vida de goleiro é difícil.