Tag: Paracatu

Top5-DF permanece inalterado: Paracatu e Formosa sobem

Cinco times comandaram os anos 10

As dificuldades financeiras do Ceilândia em 2019 deixaram um rastro de preocupações. Na verdade o time já vinha com dificuldades desde 2018. O Presidente Ari de Almeida por diversas vezes manifestou essa preocupação e disse que uma prioridade em 2019 seria colocar as contas em dia. Ainda não conseguiu.

O Top 8 de 2018 no somatório dos pontos de 14, 15, 16, 17 e 18.

O cenário do futebol local mostra que Brasiliense, Gama, Ceilândia, Luziânia, Sobradinho, Paracatu e Formosa vem consistentemente integrando o G8 do futebol local.  Um olhar atento revela que Ceilândia, Luziânia e Sobradinho caíram em 2019 com  Paracatu, Formosa e Real subindo. É preciso estar atento aos sinais.

Municípios goianos e mineiros da RIDE. Paracatu cavando o seu lugar.

Na pontuação dos últimos 5 anos, o Brasiliense viu o Gama encostar. A campanha alviverde em 2019 foi algo fantástica. Fez 33 pontos a mais que o Ceilândia! Analisando-se em termos de tendências, percebe-se um crescimento lento e consistente dos times do entorno, particularmente de Paracatu e Formosa. O Luziânia já é uma realidade. 

Somatório dos pontos de 15, 16, 17, 18 e 19. Ceilândia, Luziânia e Sobradinho despencam, mas continuam no Top5

O apoio das comunidades locais tem sido importante para esses times da RIDE (Paracatu não faz parte da RIDE, mas está em processo de integração). 

Ari de Almeida: reforços, mas sem fazer loucuras

Ceilândia terá eleições para Presidente

Ari de Almeida: reforços, mas sem fazer loucuras
Ari de Almeida: relação deteriorada com a FFDF

O mandato do atual presidente Ari de Almeida está em vias de se encerrar. Falando ao CeilandiaEC Torcedor, o presidente do Ceilândia disse que em breve deve convocar a assembléia geral para eleição do novo Conselho Diretor do Ceilândia.

Ceilândia contou com um grupo muito comprometido para atravessar o campeonato em uma crise financeira sem precedentes

O Ceilândia passa  por enormes dificuldades financeiras desde o ano passado. As dificuldades se tornaram ainda maior com o fato de que, de acordo com o presidente, algumas expectativas não se realizaram.

Serjão não é unanimidade, mas seu nome é lembrado nas redes sociais

Ari disse não saber se haverá candidatos e se ele próprio será candidato.  Nas redes sociais, alguns torcedores pedem pela volta de Serjão. Outros questionam esse retorno, apontando como um retrocesso.

Ceilândia é um dos poucos que não conta com apoio Distrital. Verbas de patrocínio são irrisórias

O fato é que o Ceilândia, mais que um presidente, está à busca de um novo modelo de gestão.  O Futebol Candango é extremamente deficitário e hoje, seis clubes dependem de padrinhos: Brasiliense, Real e Capital possuem patronos a lhes bancar as despesas.  Paracatu, Formosa e Luziânia possuem prefeituras a ajudar.

Gama é o único time do DF em que a bilheteria ajuda, mas receitas não cobrem as despesas.

O Gama é exceção à regra. É o único time do DF com bilheteria aceitável, mas ainda assim incapaz de fazer frente às despesas. Os demais, incluindo o Ceilândia, sobrevivem às duras penas.

Ceilândia teria contado com a má vontade da arbitragem. As queixas incluem Raposo, mas a ele não se limitam

2019 foi um ano especialmente ruim. A sorte é que o elenco montado mostrou uma compreensão além da que normalmente se encontra.

Além disso, o CeilandiaEC Torcedor manteve contato com alguns operadores do esporte no Distrito Federal que apontaram alguns outros problemas. O novo presidente vai precisar trabalhar para resolver estes e outros.

  1. Problema com a arbitragem – Ceilândia quis cobrar ingressos dos árbitros estagiários e isso foi apontado como fonte de atrito com os árbitros e que poderia ter causado uma certa má vontade dos homens do apito.
  2. Atritos com a imprensa esportiva local, particularmente com relação ao acesso ao Estádio.
  3. Atritos com a torcida alvinegra decorrente da pouca flexibilização dos preços dos ingressos.
  4. Perda de influência junto a FFDF.

 

 

Ceilândia sai do foco! Onde que a classificação foi perdida?

Grupo interessante: Unido diante das dificuldades e mesmo desclassificado

O Ceilândia venceu o Paracatu por 1 x 0, mas o resultado de nada valia ao alvinegro, a não ser para demonstrar que estes jogadores  podem não figurar entre os melhores times dos últimos tempos, mas devem ser respeitados como homens e atletas.

David deu muito trabalho ao Paracatu. Com ele, os melhores ataques

No final das contas fica difícil saber onde o Ceilândia perdeu a classificação, afinal o Gato Preto venceu apenas um dos oito times que terminaram à sua frente. São águas passadas.

Cocada é xodó da torcida: saiu machucado

O jogo foi parelho no primeiro tempo. O Paracatu precisava do resultado por acreditar que poderia terminar no G4. Tentou  tomar a iniciativa do jogo. O Ceilândia como sempre foi valente e manteve o jogo equilibrado. 

Matheus  estreou contra o Paracatu: bela estréia

Jogo disputado de intermediária a intermediária.  Os goleiros trabalharam pouco. A rigor nenhuma chance de gol no primeiro tempo.

Com portões fechados, alguns torcedores improvisaram

Veio o segundo tempo e o Paracatu tomou a iniciativa do jogo. O Ceilândia esporadicamente passava do meio de campo. O time mineiro tinha enorme dificuldade com o último passe. Apesar do domínio, Thiago, que fazia sua estreia, pouco trabalhava.

Gabriel tem talento: a questão é saber aproveitá-lo

A melhor chance do Paracatu veio ao 17 do segundo tempo, mas Cecel chutou para fora. O Ceilândia controlava as ações do Paracatu, mas não oferecia perigo. Aos 32, Wilker, que entrara no lugar de Gabriel, recebeu na entrada da área, driblou o zagueiro e encobriu o goleiro: Ceilândia 1 x 0.

Cleiton Júnior foi uma agradável surpresa nesta reta final: tarde demais

Wilker perseguiu esse gol por muito tempo. Um gol vem sempre em boa hora para o jogador, mas tarde para o Ceilândia. Cocada saiu machucado, Jefferson entrou em seu lugar.

Wilker tira do goleiro: Ceilândia 1 x 0

O Paracatu foi todo ao ataque. Poderia ter empatado, mas Jefferson salvou sobre a linha. O Ceilândia reequilibrou o jogo. Poderia ter feito o segundo, mas faltou um pouco de inspiração e um pouco de ambição. Não importa: vencer é o mais importante.

Ceilândia sai de foco: um time unido, mas que ficou devendo

O Ceilândia está fora das finais do Candangão 2019. É pior campanha do alvinegro na década. O Ceilândia precisa se reinventar dentro e fora de campo. O problema está em saber como. Teremos eleições em breve. Esperar para ver.

Candangão 2019

PosClubeJVEDGPGCSPts
11714303492545
217113331112036
3156451512322
4155731810822
5135532012820
6135351720-318
7134451215-316
8133641513215
9113351110112
1011146511-67
1111038627-213
12110110438-341

Dói… dói no Coração: Luziânia 3 x 1 Ceilândia

Com a derrota para o Luziânia, Gato Preto está virtualmente eliminado

Vida que segue! Os jogadores tem o respeito pelo que fizeram em circunstâncias adversas, mas ainda o sofrimento ainda não acabou. Resta um jogo. Não vale nada em termos de classificação, mas o nome da gente sempre está à prova.

Fazer imagens sob chuva forte, péssima iluminação e distante do foco quase impossível

O jogo desta quarta mal começou e o Ceilândia fez 1 x 0 com David. A vantagem fez mal ao alvinegro. O que se viu em seguida foi um time inseguro. O Gato Preto marcava mal. Dava muito campo ao Luziânia e marcava nos últimos 30 metros de campo.

Kabrine é um dos poucos que se salvam em 2019

Por volta dos 22 minutos o Ceilândia deu a impressão que poderia se encontrar no jogo. Não foi isso que aconteceu. No contra-ataque, Dan empatou aos 27.

Jefferson atuou ao lado de Marcelino: Cocada estava fora

A chuva desabou no Serra do Lago. O jogo até ficou equilibrado até o final do primeiro tempo, mas o Ceilândia jamais foi capaz de chegar ao ataque de maneira estruturada. Sobrava vontade, faltava futebol e organização.

No abafa: Ceilândia perdeu e está eliminado

Veio o segundo tempo. O Ceilândia voltou mais disposto. Disposição  nunca faltou e disso a torcida não cobra. Faltava um plano de jogo e um pouco mais de futebol. Apesar disso, o jogo era parelho, amarrado e ninguém criava.

Aos 10, em escanteio, o Ceilândia mais um dos muitos gols de cabeça em bola parada neste ano. Perivaldo fez 2 x 1. Após o gol, o Ceilãndia assumiu o controle da partida. Mais porque o Luziânia recuou excessivamente.

Jairo mudou o time do jogo contra o Sobradinho: Mandi começou no banco

Apesar da iniciativa, o Ceilândia jamais foi capaz de criar situações claras de gol. Poderia ter empatado aqui e ali, é verdade, mas jamais teve situação clara de gol. Ao revés: a única chance clara de gol criada foi do Luziânia para belíssima defesa de Victor.

O jogo no geral foi ruim: dois times esforçados apenas, mas o Luziânia mais organizado

O jogo encaminhava-se para o seu final quando Wallace sofreu falta. Não reclamaremos da arbitragem. Não vale a pena. O Ceilândia em 2019 perdeu força dentro e fora de campo. Reclamou do árbitro (não diremos o nome). Discutiu com o árbitro!!! Foi expulso… Tentou chutar o árbitro!!! O árbitro em seguida tentou chutar Wallace!!! A turma do deixa disso interveio.

David fez o gol do Ceilândia

Mesmo com um a menos o Ceilândia continuou tendo a iniciativa do jogo. Importante dizer que pela primeira vez o Ceilândia deixou de ser um time “zen” e parecia um time de verdade, com sangue nos olhos, disposto a tudo pela vitória.

O fecho viria aos 49. O Ceilândia naquele momento já não tinha mais pernas… Renatinho bateu de longe e fez um belo gol: Luziânia 3 x 1. 

Todo sofrimento acaba… o de 2019 está chegando ao seu fim. 

No primeiro jogo do dia, o atual campeão enfrenta o Paracatu.

Hoje saem dois semifinalistas

 

No primeiro jogo do dia, o atual campeão enfrenta o Paracatu.
No primeiro jogo do dia, o atual campeão enfrenta o Paracatu. Imagens de KadaEsportes.com.br

Sem muito tempo para treinar, o Ceilândia aproveitou o dia a mais de folga para se preparar para a partida decisiva desta quinta-feira, 15h30, no Abadião, diante do Formosa.  Enquanto jogadores e comissão técnica preocupam-se apenas com o Formosa, a torcida tem tempo para se fixar nos outros confrontos das quartas-de-final.

No segundo jogo do dia, Gama pega o Luziânia
No segundo jogo do dia, Gama pega o Luziânia. Imagens de KadaEsportes.com.br

Nos jogos de meio de semana, oito times entram em campo, mas apenas quatro prosseguem na competição. Os jogos de hoje decidem dois semifinalistas.

Às 20h30, no Bezerrão, enfrentam-se os campeões candangos de 2015 e 2016, Gama e Luziânia.  No outro confronto, às 15h30, no Abadião, o atual campeão  Brasiliense enfrenta o Paracatu. Gama e Brasiliense tem a vantagem oferecida pelo regulamento, mas futebol é sempre complicado.

 

Elivelton comandou o meio de campo: premiado com um gol

Perfeito no primeiro tempo, Gato Preto goleia Paracatu

O Ceilândia fez um primeiro tempo quase perfeito: 3 x 0
O Ceilândia fez um primeiro tempo quase perfeito: 3 x 0

O Ceilândia firmou-se como um forte concorrente a uma vaga no G4 da fase de classificação do Candangão 2018 e, mais que isso, credenciou-se como um forte concorrente ao primeiro lugar da classificação-geral depois de derrotar o Paracatu na tarde deste domingo por 3 x 0.

Ronan não decepcionou: boa atuação
Ronan não decepcionou: boa atuação

O Gato Preto entrou em campo muito desfalcado. Os jogadores que entraram não decepcionaram e fizeram um primeiro tempo que beirou à perfeição.

Julio Ferrari: entrosamento com Formiga tem sido importante para o Ceilândia
Julio Ferrari: entrosamento com Formiga tem sido importante para o Ceilândia

O Paracatu começou tomando a iniciativa do jogo, mas sem ultrapassar a intermediária do campo de defesa do Ceilândia. O Gato Preto foi aos poucos assumindo o controle da partida. Aos 30, Didão enxergou Ronan em profundidade e fez um lançamento perfeito. Ronan deixou a bola escapar, mas Formiga se antecipou e fez Ceilândia 1 x 0.

Bela triangulação: Didão, Ronan e Formiga fez Ceilândia 1 x 0
Bela triangulação: Didão, Ronan e Formiga fez Ceilândia 1 x 0

Com a desvantagem, o Paracatu foi todo à frente. O Ceilândia é mortal nos contra-ataques, mas foi na disposição de Elivelton que o alvinegro fez o segundo gol. Deslocado para a meia, Elivelton desarmou o defensor, invadiu a área, passou pelo goleiro e fez Ceilândia 2  x 0 aos 36. O mais belo gol de Elivelton com a camisa do Gato Preto.

Elivelton comandou o meio de campo: premiado com um gol
Elivelton comandou o meio de campo: premiado com um gol

Nâo demorou e bela jogada pela direita com Formiga. O atacante foi ao fundo e passou sob medida para Emerson Martins fazer 3 x 0.

Cauê teve muito trabalho, mas seu parceiro de defesa preocupa

O Ceilândia ainda poderia ter aumentado o placar no primeiro tempo e desperdiçou ao menos mais uma boa chance.
Veio o segundo tempo e o Ceilândia cedeu campo para o Paracatu até os 25. A postura alvinegra chegou a impacientar parte da torcida, mas o Gato Preto recuperou o controle da partida até o final.

Capitão jogou e fez o time jogar
Capitão jogou e fez o time jogar

Com o resultado, o Ceilândia chega a 19 pontos, um a menos que o Brasiliense.  No meio de semana o Gato Preto tem um jogo  importante contra o Santa Maria. Se vencer o Santa Maria, o Ceilândia decide no sábado, contra o Brasiliense, a primeira colocação-geral da fase de classificação.

Classificação Candangão 2018

PosClubeJVEDGPGCSPts
117103425121333
21710342416833
31593325111430
41373323131024
5154921713421
6135352019118
7135351417-318
8133551218-614
911317816-810
10112271322-98
1111137719-126
1211128719-125
Em 2017 foram três confrontos: jogos decididos no detalhe

Desfalques colocam elenco do Gato Preto à prova

Emerson Martins está garantido: jogador mais utilizado
Emerson Martins está garantido: jogador mais utilizado

O Ceilândia colocará o elenco à prova na tarde deste domingo. Quatrojogadores saíram lesionados da partida diante do Gama: Vava, Allan Dellon, Alcione e Wallace Jesus.  Adelson já não contava com Adriano e Batata (que já não mais faz parte do elenco).

Em 2017 foram três confrontos: jogos decididos no detalhe
Em 2017 foram três confrontos: jogos decididos no detalhe

O jogo deste domingo é importante para as pretensões alvinegras e do adversário.  Adelson  não terá nenhum de seus meias armadores e nenhum de seus atacantes titulares.  Uma engenharia complexa que vai exigir enorme superação dos atletas.

Adelson usou 22 atletas até o momento. Emerson Martins, Gustavo Gago e Cocada foram os atletas que mais vezes entraram em campo.

 

Adelson tem feito bons trabalhos e mais uma fez terá a tarefa de fazer o time evoluir se quiser repetir feitos anteriores

Hora de evoluir

Ceilândia foi surpreendido pelo Gama quando achava ter a partida sob controle
Ceilândia foi surpreendido pelo Gama quando achava ter a partida sob controle

Não foi o dinheiro que transformou o Ceilândia numa das grandes forças do futebol local, foi o trabalho desenvolvido dentro e fora de campo.

Ari de Almeida, presidente do Ceilândia: noites insones
Ari de Almeida, presidente do Ceilândia: noites insones

Sem as mesmas condições financeiras de seus adversários, o Gato Preto diferenciou-se ao compreender que, sem condições de contratar reforços, precisa evoluir coletivamente e, do ponto de vista individual, física e tecnicamente. É natural que alguns jogadores caiam de rendimento. Evoluir vai ser necessário.

Adelson tem feito bons trabalhos e mais uma fez terá a tarefa de fazer o time evoluir se quiser repetir feitos anteriores
Adelson tem feito bons trabalhos e mais uma fez terá a tarefa de fazer o time evoluir se quiser repetir feitos anteriores

O Ceilândia não fez uma má partida diante do Gama. O Gato Preto tomou o gol quando imaginava estar controlando seu adversário. Na linguagem do futebol, um acidente. Um acidente que pode ser fatal na fase decisiva… E os jogos decisivos estão chegando.

Proximos Jogos Paracatu

DataJogo

Proximos Jogos Sobradinho

DataJogo

Neste final de semana será jogada a penúltima rodada da fase de classificação. O Paracatu, tal qual o Ceilândia, ainda luta para conseguir uma posição no G4.

Proximos Jogos Luziânia

DataJogo

Próximos Jogos: Real

DataJogo

Para a partida contra o Paracatu, o Ceilândia tem os desfalques certos de Vavá, Alcione e Allan Dellon. O elenco mostrou que tem qualidades e terá que dar mostras de superação a partir deste final de semana, até o final do campeonato. Com elenco enxuto, Adelson terá que se reinventar mais uma vez.

Ceilândia perdeu diversas oportunidades de empatar

Em jogo de sete lesões, Ceilândia perde para o Gama

Médicos das duas equipes socorrem Marcos Douglas: jogo surreal
Médicos das duas equipes socorrem Marcos Douglas: jogo surreal

O Ceilândia foi derrotado pelo Gama na noite desta quarta-feira por 1 x 0.  O resultado não afasta o Gato Preto do G4, mas o deixa ao alcance de seus adversários mais diretos, casos do próprio Gama e do Brasiliense.

Gago foi mais uma vez discreto: necessidade de melhorar a cada jogo
Gago foi mais uma vez discreto: necessidade de melhorar a cada jogo

Foi um jogo atípico, a começar pelo atraso de 20 minutos. O frio anunciava que esse atraso poderia trazer consequencias nefastas nas musculaturas dos atletas.

Antes do término do primeiro tempo, as duas equipes foram obrigadas a realizar seis substituições, todas por lesões musculares. No caso do Ceilândia, saíram Alcione, Vavá e Allan Dellon.

Allan Dellon foi vítima do esquenta, esfria, esquenta, esfria...
Allan Dellon foi vítima do esquenta, esfria, esquenta, esfria…

Discutir as lesões pode desviar a atenção do fato de que o Gama foi melhor no primeiro tempo. O mandante sempre teve a iniciativa das ações ofensivas. O Ceilândia explorava os contra-ataques. Conquanto o Gama tenha sido melhor no primeiro tempo, as duas equipes se igualaram nas oportunidades de gol.

Com as lesões de Alcione e Allan Dellon, Kazado jogou em função diferente
Com as lesões de Alcione e Allan Dellon, Kazado jogou em função diferente

Veio o segundo tempo e o Ceilândia melhorou.  Ao se dizer “melhorou” deseja-se destacar que o jogo ficou mais equilibrado, mas o Gato Preto era incapaz de criar espaços a partir da intermediária de defesa do Gama.

No primeiro tempo, Gama esteve melhor, mas Ceilândia criou o mesmo número de oportunidades
No primeiro tempo, Gama esteve melhor, mas Ceilândia criou o mesmo número de oportunidades

O Gama, por sua vez, conseguia ultrapassar a intermediária de defesa alvinegra com mais facilidade. Para além de realizar a transição de maneira mais apoiada, o Gama ainda assustava ao cobrar as faltas com rapidez.

Foi em uma dessas jogadas, na qual conseguia fazer a transição apoiada, trocando passes a partir do meio de campo, que o Gama fez o único gol da partida. Fabio Gama fez 1 x 0.

Ceilândia perdeu diversas oportunidades de empatar
Ceilândia perdeu diversas oportunidades de empatar

O Ceilândia acordou com o gol sofrido. Colaborou o fato de o Gama ter ficado com um homem a menos depois que perdeu o quarto jogador por lesão.  O Gato Preto foi ao ataque e perdeu seguidas chances para empatar.

Wallace Jesus teve ao menos três oportunidades para marcar, mas não foi dessa vez
Wallace Jesus teve ao menos três oportunidades para marcar, mas não foi desta vez

No final, o resultado soou injusto para o Ceilândia diante dos diversos gols perdidos e até mesmo por um penalti não marcado em Wallace Jesus. Na tábua de classificação, contudo, ficou a certeza que o Ceilândia ainda depende apenas de si para almejar sonhos maiores.

 

 

Emerson Martins saiu de maca contra Sobradinho: motor do time, preocupa.

77 vezes Ceilândia vs Gama

Gago: uma assistência nos últimos dois jogos, pouco para quem pode mais
Gago: uma assistência nos últimos dois jogos, pouco para quem pode mais

Ceilândia e Gama se enfrentarão nesta quarta-feira pela 9a rodada do Candangão 2018. Será o 77º jogo oficial entre as equipes. O Gama leva vantagem no confronto direto com 31 vitórias, 25 empates contra 20 vitórias do Ceilândia. São 73 gols marcados pelo Ceilândia contra 107 do Gama.

Emerson Martins saiu de maca contra Sobradinho: motor do time, preocupa.
Emerson Martins saiu de maca contra Sobradinho: motor do time, preocupa.

Desde 2010  a estatística é mais equilibrada. São quatro vitórias do Ceilândia contra três empates e três vitórias do Gama.

O confronto deste meio de semana é importante para as duas equipes. O regulamento do Candangão 2018 reserva a vantagem nas quartas-de-final e na semi-final aos times de maior pontuação na primeira fase.

Elivelto e Badhuga: defesa terá trabalho contra o Sobradinho
Nos dois últimos confrontos, empate:  0x0 em 2016  e  1 x 1 em 2017.

UM POUCO DE HISTÓRIA

O primeiro confronto entre Ceilândia e Gama  se deu em uma tarde quente de domingo de julho de 1980.  Na época era uma aventura chegar no Gama. Dois ônibus e muita estrada.  A diferença entre os  times era grande. O Gama treinado pelo icônico Jaime dos Santos venceu o Ceilândia do lendário “Seu Chicão” por 3 x 0;

O primeiro gol do Gama foi marcado por Fantato aos 24. Os jogadores do Ceilândia ainda discutiam entre si atribuindo-se a culpa pelo primeiro gol e sequer viram quando Lino, aos 25, ampliou. O mesmo Lino deu números finais nos acréscimos do segundo tempo.

Dos times que disputaram o campeonato de 1980, ano da estreia do Ceilândia no Candangão, apenas o Gato Preto, Gama e Sobradinho continuam na primeira divisão. Tiradentes, Taguatinga, Guará, Desportiva Bandeirante e Comercial Planaltina fecharam suas portas e o grande Brasília parece seguir no mesmo caminho.

 

Adelson terá todos os jogadores à sua disposição

Ceilândia prossegue rotina de trabalho para a decisão

Ceilândia segue em sua rotina de treinos para a decisão
Ceilândia segue em sua rotina de treinos para a decisão

O Ceilândia continua na sua rotina de treinamentos com vistas ao primeiro jogo da final do Candangão 2017. Nessa quarta os jogadores fizeram um treino técnico-tático.

 O técnico Adelson de Almeida  terá todo o seu elenco à disposição para o primeiro jogo da final. Alguns jogadores reclamam de algumas dores, mas nada que efetivamente preocupe.

Adelson terá todos os jogadores à sua disposição
Adelson terá todos os jogadores à sua disposição

O clima na Cidade do Gato é de tranquilidade possível em dias que antecede jogos decisivos. Nada que não tenha sido vivido pela maior parte do elenco, mas um ingrediente que não pode ser ignorado para o bem ou para o mal.

 

 

 

Ceilândia comemora a classificação para enfrentar um duro adversário

Ceilândia está nas finais do Candangão 2017

Filipe Cirne é seguro no primeiro lance do jogo: árbitro deu cartão amarelo para o jogador do Ceilândia
Filipe Cirne é seguro no primeiro lance do jogo: Pênalti ou não, mas o árbitro deu cartão amarelo para o jogador do Ceilândia

Sabia-se que seria difícil. E foi. O Ceilândia venceu o Paracatu na tarde deste domingo e está nas finais do Candangão 2017. Como prêmio, enfrentará um duro adversário, o Brasiliense que venceu os dois jogos contra o Sobradinho, hoje por 4 x 1.

Didão jogou no sacrifício e foi recompensado: Ceilândia está na final
Didão jogou no sacrifício e foi recompensado: Ceilândia está na final

Foi um jogo complicado. O primeiro tempo foi jogo de um time apenas. O Ceilândia empurrou o Paracatu contra o seu campo e defesa e dominou todas as ações. Apesar de todo o domínio territorial, o Ceilândia criou apenas uma chance concreta, mas Alcione não conseguiu dominar a bola.

Filipe Cirne infernizou a defensiva do Paracatu. Cansado, foi substituído no final
Filipe Cirne infernizou a defensiva do Paracatu. Cansado, foi substituído no final

O resultado foi que, apesar de todo o domínio alvinegro, a melhor chance de gol foi do Paracatu. Na única jogada de ataque do time mineiro, o Paracatu perdeu a oportunidade mais clara de gol do primeiro tempo

Elivelto foi novamente importante
Elivelto foi novamente importante

Veio a segunda etapa e o Ceilândia manteve o rítmo. Domínio alvinegro, mas sem a criação de oportunidades claras de gol. Para piorar, o Paracatu mostrou que era um time perigosíssimo no contraataque e obrigou Pedro a fazer um milagre e salvar a meta alvinegra,

Romarinho vinha fazendo uma partida discreta: decisivo no momento certo
Romarinho vinha fazendo uma partida discreta: decisivo no momento certo

O jogo parecia ter retornado ao seu padrão de normalidade, com o Ceilândia controlando as ações. O destino, contudo, tinha planos diferentes. Aos 8, Carlos Henrique desferiu um chute  que era tão repleto de esperança quanto de despretensão, mas a bola enganou Pedro. Um achado para o Paracatu que abriu o marcador: 1 x 0

Time do Paracatu estava excessivamente pilhado: tolerância da arbitragem colaborou
Time do Paracatu estava excessivamente pilhado: tolerância da arbitragem colaborou

O Ceilândia sentiu o gol por alguns instantes, mas empurrado pela torcida logo recuperou as ações do jogo. Aos 22, Dudu levantou a bola na área e Romarinho pegou a sobra para fazer um belo gol e empatar o jogo: Ceilândia 1 x 1 Paracatu.

Willian Carioca entrou no final: Ceilândia poderia ter ampliado quando o adversário foi para o tudo ou nada
Willian Carioca entrou no final: Ceilândia poderia ter ampliado quando o adversário foi para o tudo ou nada

O gol animou a torcida e o Ceilândia manteve o rítmo. Aos 22, num lance tão repleto de despretensão quanto to de esperança, Romarinho tentou cruzar e a bola encobriu o goleiro do Paracatu e morreu no canto esquerdo da meta adversária: Ceilândia 2 x 1.

Romarinho comemora o segundo gol do Ceilândia
Romarinho comemora o segundo gol do Ceilândia

Após o gol o Paracatu tentou lançar-se à frente. O Ceilândia não repetiu o erro do jogo de Minas Gerais, quando marcou excessivamente atrás. Com a postura alvinegra, restava ao Paracatu jogar. Futebol por futebol o Ceilândia tinha mais a oferecer.

Depois de uma grande partida, comportamentos desnecessários
Depois de uma grande partida, jogadores do Paracatu foram tirar satisfação, comportamentos desnecessários

O resultado foi que nos minutos finais o Ceilândia chegou diversas vezes com mais atacantes que defensores do Paracatu. Poderia ter ampliado o marcador, mas preferiu administrar o resultado.

Ceilândia comemora a classificação para enfrentar um duro adversário
Ceilândia comemora a classificação para enfrentar um duro adversário

Ao final restou aos alvinegros comemorarem a classificação para as finais. Houve tempo para algumas cenas lamentáveis, mas nada que empanasse a festa alvinegra.

Dificuldades fazem e sempre fizeram parte do dia-a-dia do Ceilândia. Sem padrinhos fortes, o Ceilândia está na final. Ceilândia sempre se fez na resistência. 

Filipe Cirne foi o jogador mais importante do Ceilândia em Paracatu. Na volta, vai precisar fazer a diferença

Rotina de decisões: Ceilândia pega o Paracatu por uma vaga na final

Ceilândia tem tomado muitos gols em 2017: desta vez não pode tomar
Zaga não pode tomar gol e, se possível, deve fazer

O Ceilândia pega, neste domingo, 15h30, no Abadião, o Paracatu em jogo de volta das semifinais do Candangão 2017. Na Cidade do Gato há a certeza de que o jovem time do Paracatu é um obstáculo difícil, mesmo fora de casa.  

Filipe Cirne foi o jogador mais importante do Ceilândia em Paracatu. Na volta, vai precisar fazer a diferença
Filipe Cirne foi o jogador mais importante do Ceilândia em Paracatu. Na volta, vai precisar fazer a diferença

Precisando da vitória, o Gato Preto vai procurar fazer o seu melhor retrospecto na competição. O empolgado time do Paracatu, contudo, já demonstrou que tem virtudes quando eliminou o Gama na semana passada nas cobranças de penalidades.

Ceilândia depende muito de Emerson Martins e Alcione
Ceilândia depende muito de Emerson Martins e Alcione

Para se contrapor à juventude do adversário, o Ceilândia mescla experiência com juventude. O técnico Adelson de Almeida deve mandar a campo o que tem de melhor. Didão, que não participou do jogo de ida, com incômodo no adutor, pode voltar.  O treinador, contudo, sempre guarda alguma surpresa. 

O Ceilândia vai precisar do melhor de todos neste domingo contra o Paracatu
O Ceilândia vai precisar do melhor de todos neste domingo contra o Paracatu

Com o empate no jogo de ida, somente a vitória classifica o Ceilândia. Empate leva o jogo para as penalidades. Almir Camargo será o árbitro da partida.

Neste sábado, entre 15h e 16h, serão distribuídas 100 cortesias para os primeiros 100 torcedores que forem ao Abadião. Amanhã os ingressos serão vendidos a partir de 10 reais.

 

 

O Ceilândia controu as ações ofensivas do Paracatu, que ficou dependente das bolas paradas. O Gato Preto não incomodou a defesa do Paracatu

Ceilândia empata com Paracatu e decisão fica para domingo

David substituiu Didão e não comprometeu, aliás como tem sido neste campeonato: discreto e eficiente
David substituiu Didão e não comprometeu, aliás como tem sido neste campeonato: discreto e eficiente

O Ceilândia empatou com o Paracatu em 1 x 1 na tarde desta quinta-feira e, com isso, essa perna da semifinal do Candangão 2017 está completamente em aberto. O jogo de volta será neste domingo, 15h30, no Abadião.

Dos pés de Elivelto saiu o gol do Ceilândia
Dos pés de Elivelto saiu o gol do Ceilândia

É um chavão, mas o jogo teve dois tempos completamente distintos. No primeiro tempo, o Ceilândia freou o ímpeto do adversário e foi senhor das ações. 

A arbitragem incomodou ao apitar faltas semelhantes apenas para um lado e não foi para o lado do Ceilândia
A arbitragem incomodou ao apitar faltas semelhantes apenas para um lado e não foi para o lado do Ceilândia

O Ceilândia apresentou-se muito bem no primeiro tempo. Consciente, empurrou o adversário para o seu campo de defesa e jogou na intermediária do Paracatu. O time mineiro não ofereceu qualquer perigo na primeira etapa.

Romarinho esteve muito marcado, mesmo assim levou perigo
Romarinho esteve muito marcado, mesmo assim levou perigo

O Ceilândia rondou a meta adversária durante toda a primeira etapa, mas faltou o último passe. Se Não foi possÍvel levar perigo como fruto de jogadas trabalhadas, ao menos foi possível levar perigo em jogadas de bola parada. Assim, o Ceilândia esteve próximo de marcar em duas oportunidades.

Chances no primeiro tempo apenas em bola parada
Chances no primeiro tempo apenas em bola parada

Veio o segundo tempo e o Ceilândia perdeu o controle das ações ofensivas. Antes dos dez minutos, o técnico adversário tirou um volante para colocar um atacante. Nem deu tempo para a substituição adversária fazer efeito. No primeiro ataque, Elivelto cobrou escanteio na cabeça de Badhuga e ele fez Ceilândia 1×0.

Ceilândia foi muito superior no primeiro tempo, mas não foi efetivo
Ceilândia foi muito superior no primeiro tempo, mas não foi efetivo

O gol fez mal ao Ceilândia. A substituição feita pelo técnico do Paracatu demonstrava claramente que ele queria aproveitar o fato de que o Ceilândia marcava muito atrás. O Paracatu era um time claramente dividido em dois setores: defesa e ataque. O Ceilândia facilitou a vida do Paracatu quando passou a marcar na metade do seu próprio campo de defesa.

No primeiro ataque do segundo tempo, Badhuga fez Ceilândia 1 x 0
No primeiro ataque do segundo tempo, Badhuga fez Ceilândia 1 x 0

Com o Ceilândia aceitando o jogo do adversário o Paracatu ficou rondando a meta alvinegra. Em um desses lances, bola lançada na área do Ceilândia e Breno empatou aos 24.

O Ceilândia controu as ações ofensivas do Paracatu, que ficou dependente das bolas paradas. O Gato Preto não incomodou a defesa do Paracatu
O Ceilândia controu as ações ofensivas do Paracatu, que ficou dependente das bolas paradas. O Gato Preto não incomodou a defesa do Paracatu

O jogo prosseguiu na mesma toada. Faltava inspiração para o adversário, para o Ceilândia faltava ambição.

Pouco importa. Em jogos decisivos, mais que a exibição, importa o resultado. Se não encaminhou a classificação, o Ceilândia teve o mérito de levar a decisão para casa.  E em casa, o Ceilândia tem tudo para vencer e chegar à final do Candangão 2017. 

Related Images:

Romarinho é o artilheiro do campeonato, mas passou em branco diante do Paracatu

Ceilândia faz ajustes para primeiro jogo da Semifinal 2017

Em 2016, um temporal desabou sobre o Frei Norberto. Em campo, jogo pegado do começo ao fim e empate sem gols
Em 2016, um temporal desabou sobre o Frei Norberto. Em campo, jogo pegado do começo ao fim e empate sem gols

Com a confirmação pela  FFDF de que o  jogo de ida das semifinais do Candangão 2017 será  quinta-feira, 16h, no Frei Norberto, em Paracatu e não quarta como antes prevista (apenas mais uma de muitas mudanças na tabela ou no regulamento), o Ceilândia treinou na tarde dessa segunda no Abadião já com sua programação ajustada para essa data.

Ano passado, Ceilândia reclamou muito desse lance.
Ano passado, Ceilândia reclamou muito desse lance.

O Ceilândia volta à cidade mineira para enfrentar um adversário que, apesar de derrotado no tempo normal,  eliminou o Gama nos penaltis no último domingo. O Paracatu impressionou pela intensidade em um jogo disputado às 15h30. De cara, o time mineiro saiu pressionando a saída de bola do Gama, mas também se expôs demasiadamente aos contra-ataques do alviverde.  

Filipe Cirne é esperança alvinegra para vencer o forte sistema defensivo do Paracatu
Filipe Cirne é esperança alvinegra para vencer o forte sistema defensivo do Paracatu

No jogo da primeira fase, Ceilândia e Paracatu fizeram um jogo intenso do primeiro ao último minuto. O jogo foi decidido  no detalhe. O Ceilândia sabe que não pode bobear.

Este ano, Ceilândia e Paracatu se enfrentaram no Regional: jogo intenso e vitória alvinegra
Este ano, Ceilândia e Paracatu se enfrentaram no Regional: jogo intenso e vitória alvinegra

No ano passado o Ceilândia teve uma mostra do poderá esperar: jogo truncado do primeiro ao último minuto e empate sem gols.

Embora tenha criado poucas situações, o Paracatu é um time intenso e que deu trabalho no primeiro jogo
Embora tenha criado poucas situações, o Paracatu é um time intenso e que deu trabalho no primeiro jogo

O Ceilândia treinou no Estádio Regional nesta segunda. Todos os jogadores estão à disposição do treinador. Indagado sobre as condições do campo, o técnico Adelson de Almeida foi enfático ao dizer que o adversário a ser enfrentado é o Paracatu que chegou às semifinais por méritos próprios.

Romarinho é o artilheiro do campeonato, mas passou em branco diante do Paracatu
Romarinho é o artilheiro do campeonato, mas passou em branco diante do Paracatu

No mais, Adelson disse que  o seu time é experiente e, se quiser alçar maiores voos em 2017, precisa estar preparado para jogar em qualquer lugar e em qualquer condição. Foi assim na Série D do ano passado e foi este ano com viagens difíceis a Dourados e Lucas do Rio Verde, passando pelo jogo em Formosa.

No treino desta terça, Adelson fará os últimos ajustes para o jogo dessa quinta. Para essa partida, Adelson a princípio poderá contar com todos os jogadores. Didão saiu de maca na última partida e ainda preocupa, mas terá tempo para estar em condições de jogar na quinta. Kabrine, depois de longo tempo de inatividade, está à disposição de Adelson.