Tag: Gama

Lição de humildade: Ceilândia 0 x 2 Gama

Willian foi mais uma vez muito lúcido, mas o time sofreu com a forte marcação

Sob a ótica do torcedor não é bom perder para um dos mais tradicionais adversários. Sob qualquer ótica não é bom ser derrotado. O fato é que o Ceilândia foi derrotado na tarde chuvosa desta sexta-feira, no Regional, por 2 x 0. O adversário, o Gama. O Ceilândia não vence o Gama desde 2014 (7 jogos). Com isso igualou-se a série de 7 jogos em que o Gama não venceu o Ceilândia, entre 1986 e 1988.  A maior série sem vitórias é do Ceilândia: 9 jogos entre 1992 e 1999.

Ceilândia não conseguia espaço no começo

O Gama começou melhor no jogo de hoje. Mostrou uma intensidade que não era esperada pelo Ceilândia. Toda jogada parecia decisiva para os jogadores do Gama e não tanto para o Ceilândia. Os times pareciam em rotações diferentes.  Como resultado, o Gama empurrou o Gato para o seu campo de defesa.

O Ceilândia se viu encaixotado na marcação do Gama desde o início

Não demorou e o Ceilândia equilibrou um pouco as ações e passou a rondar a área alviverde.   O Gato Preto tentava cadenciar o jogo como tentativa de frear a vontade do Gama. O Gama tinha um senso de urgência que o Ceilândia não tinha. O Ceilândia talvez tenha acreditado que o impeto do Gama diminuiria e, de certo modo tinha razão.

Wisman foi apenas discreto.

O que o Ceilândia não contava é que o senso de urgência do Gama daria resultado logo no começo. Aos 17, o Ceilândia erra passe na saída de bola ainda no campo defensivo. Contra-ataque e Daniel bate cruzado: 0 x 1 Gama. Minutos depois, lance idêntico: Ceilândia erra saída de bola e Caique bate cruzado: 0 x 2 Gama.

Veio o segundo tempo e o Ceilândia foi senhor das ações. Não criou situações claras de gol, mas obrigou Thiago a fazer ao menos duas boas defesas. O Gama, contudo, esteve mais próximo do terceiro que o Ceilândia do primeiro. Michael fez um milagre e deixou o jogo como terminaria: Ceilândia 0 x 2 Gama.

Mariano deu mais trabalho para a defesa do Gama

Para o Gato Preto não é o fim do mundo. O jogo deixou boas lições ao time alvinegro. A principal delas é que o jogo cadenciado pode ser útil, mas não é a única solução. Um pouco de senso de urgência pode ser útil. O time vai precisar em Unaí.

O Ceilândia começou  com: Michael; Andrezinho, Liel, Medeiros e Mateus Bochecha;  Werick, Klécio, Mirandinha  e Willian; Alysson e Wisman. O técnico foi

Adelson de Almeida, que completou 250 jogos no comando alvinegro.

Ceilândia: último treino antes do jogo de sexta contra o Gama

Adelson esconde o time: respeito pelo Gama

O Ceilândia realizou na tarde desta quarta-feira, no Regional, o treino-apronto para o importante jogo desta sexta-feira diante do Gama.

O técnico Adelson de Almeida manteve a base do time que venceu o Real na estreia por 2 x 1. Para o jogo diante do Gama o treinador ainda não deve contar com Cocada. Mirandinha, que jogou no sacrifício diante do Real, também é dúvida. Ambos não treinaram.

Sob o olhar do treinador: treino-apronto para jogo diante do Gama

O jogo é de vital importância para as pretensões na competição. Uma vitória coloca o alvinegro  no caminho certo na disputa por uma vaga na segunda-fase.

O treino foi disputado: sexta, jogo importante contra o Gama

O sentimento para os lados da Cidade do Gato  é o de que um jogo que normalmente seria muito difícil se tornará ainda mais difícil porque o Gama perdeu na estreia.

Feminino: Ceilândia vence o Gama na estreia do Candangão 2020

Ceilândia começa o Candangão com vitória

O time feminino do Ceilândia estreou com vitória no Candangão 2020. Jogando contra um adversário que desde o minuto inicial jogou com 8 jogadoras, o alvinegro comemora a vitória, mas mostrou que tem um longo caminho a percorrer.

Ceilândia começou bem, mas aos poucos ficou ansioso pelo primeiro gol

Pesou muito a ansiedade do time. O Ceilândia começou bem estruturado, mas o tempo foi passando e como o gol não vinha, essa consistência foi aos poucos se perdendo. Se não foi pelo jogo consistente, foi pela vontade.

Herika fez boa partida. Ceilândia precisa ganhar corpo.

O primeiro gol veio apenas aos 40 do primeiro tempo. Herika fez bela jogada pela esquerda de ataque e foi derrubada dentro da área. Penalti que a sua companheira Erika bateu com perfeição: Ceilândia 1 x 0.

Com 8 jogadoras, Gama pouco pode fazer.

Veio o segundo tempo e o jogo continuou na mesma batida. O Ceilândia, por razões óbvias, tomava toda a iniciativa do jogo. O Gama defendia-se como podia. A goleira alviverde fazia uma grande partida.

O segundo gol demorou a sair. Veio apenas aos 23 do segundo tempo. Sandra recebeu belo passe e fez Ceilândia 2 x 0.

Ceilândia mostrou bons novos valores.

O Gama era valente, mas aos 34 do segundo tempo o jogo foi encerrado após duas jogadoras do alviverde terem deixado o campo de jogo lesionadas.

Erika comemora o primeiro gol do Ceilândia

O Ceilândia tem razões para comemorar, mas sabe que o campeonato está apenas começando e terá pela frente adversários mais preparados que o Gama.

Num campeonato curto, o  resultado de hoje coloca o Ceilândia  numa boa posição na briga por  vaga nas semifinais. Há um problema:  o time fará pausa no Candangão para disputas em outras categorias. Há uma boa notícia: Melissa já está inscrita e deve reforçar o Ceilândia na sequencia da competição.

Nome
Melissa
Posição
Meio-Campo
Altura
1,63m
Ligas
Feminino
Temporadas
2019, 2020
Nascimento
8 de outubro de 2019
Idade
1

Gato Preto ainda respira: Ceilândia 3 x 0 Paranoá

Alex foi muito importante na mudança da estrutura de jogo do Ceilândia. Saiu lesionado.

O Ceilândia venceu o Paranoá na manhã deste sábado e mostrou que ainda não está morto no Candangão 2020. O Gato Preto vinha sendo motivo de muitas críticas, mas sabe algumas críticas à qualidade do elenco eram injustas. Trabalho nunca faltou.

O Ceilândia perdeu algumas boas chances, como esta.

O Ceilândia foi sempre melhor que o seu adversário. Começou pressionando o time do Paranoá desde o primeiro minuto. As chances não tardaram a surgir.

Felipe desviou para fazer o primeiro gol do Ceilândia em 2020

Por nervosismo ou não, o fato é que o Ceilândia perdeu ao menos duas boas chances de gol até que Felipe desviou a falta cobrada por Daniel e fez o primeiro gol do Gato Preto no Candangão 2020.  33 minutos do 1o tempo e Ceilândia 1 x 0.

Paulinho fez novamente boa partida. Sofreu este penalti: Ceilândia 2 x 0

Não demorou e Eduardo fez belo lançamento para Paulinho. Paulinho, que vinha dando muito trabalho para a defesa do Paranoá, invadiu a área e foi derrubado. Penalti! Murilo se encarregou da cobrança e ampliou o marcador aos 36 do 1o tempo: Ceilândia 2 x 0.

Henrique esteve muito seguro. Primeiro jogo sem sofrer gol em 2020

Após o segundo gol o Ceilândia relaxou um pouco e acabou dando campo para o Paranoá. A defesa portou-se bem e evitou que o adversário levasse perigo à meta defendida por Henrique.

Murilo e Daniel: Ceilândia venceu pela primeira vez em 2020

Veio o segundo tempo e a torcida lembrava que o Gato Preto sofrera gol em todos os 10 primeiros minutos do segundo tempo de todos os jogos até aqui. O Ceilândia voltou aceso, mas pareceu um pouco desorganizado.  Havia muita distância de Daniel para Vinicius (que entrara no lugar de Alex), Eduardo e Paulinho, do que se aproveitava o Formosa para vir com a bola dominada. 

Juan e Vini entraram no segundo tempo: Vini fez o terceiro

Passada a dificuldade inicial, o Ceilândia reassumiu o controle do jogo. Não levava grandes perigos à meta do Paranoá, mas também não corria riscos. Daniel parecia cansado, mas Gauchinho resolveu o problema trazendo Gabriel e Juan para o jogo. 

Bela jogada entre Gabriel, Juan e Vinicius. Vini fez um belo gol

O Ceilândia controlou a partida. aos 31 do 2o tempo, Juan, Gabriel e Vinicius fizeram bela jogada pela esquerda. Vinicius preferiu a jogada individual e fez um belo gol, o terceiro do Gato Preto: Ceilândia 3 x 0.

Halyver fez uma partida quase impecável.

Após o terceiro gol os times se acomodaram em campo. O Ceilândia controlou a partida até o final e comemorou a sua primeira vitória no Candangão 2020. 

Ao final, time retribuiu o carinho dos poucos, mas fiéis torcedores alvinegro.

A vitória é importante porque mostra um trabalho em evolução. Há muito que evoluir.  O Gato Preto não foi perfeito, mas mostrou que ainda não está morto.

Ceilândia sem tempo para respirar: Quarta, Brasiliense.

Ceilândia é um time confuso com a bola e perdido sem ela. Meio de campo tem dificuldades defensivas e ofensivas. Para resolver só trabalho, muito trabalho.

O Ceilândia ainda junta os cacos da goleada sofrida diante do Gama. Antes do campeonato começar dizia-se que o time tinha uma tabela complicada para quem começara a preparação tão tarde. Dizia-se que se deveria esperar resultados a partir da quarta rodada.

3 jogos já se foram e a verdade é que ninguém esperava o vareio do último sábado.  Quem olha de fora vê um copo quase que inteiramente vazio. O time procura ver o que tem de positivo no copo: uma base suficiente para sobre ela montar um time. Só essa base não resolve, para dar a volta por cima o time vai precisar de união e trabalho. Se conseguirá saberemos ao fim do campeonato.

Gauchinho tem muito trabalho pela frente

Para o jogo desta quarta-feira o Ceilândia deve sofrer algumas modificações. Gauchinho não terá tempo para trabalhar. A maior parte do trabalho deve estar voltada para o aspecto psicológico. O time precisa acreditar que tem condições de dar a volta por cima. O problema é que o adversário vem de uma goleada ainda maior que a sofrida pelo Ceilândia.

Para esta semana o time deve receber dois reforços: um zagueiro e um atacante. O meio de campo tem sido muito criticado por não conseguir proteger a defesa e não conseguir realizar a transição da defesa para o ataque. Para esse setor só a mão mágica de Gauchinho.

O jogo desta quarta será às 15h30, no Serejão, contra o Brasiliense.

 

 

Uma lição dolorosa: Ceilândia 0 x 6 Gama

Ceilândia é um time confuso com a bola e perdido sem ela.

É difícil não notar a sensação é de terra arrasada. A maior goleada em 40 anos da história de confrontos entre Ceilândia e Gama, A maior goleada do Candangão 2020.  Três derrotas em três jogos, dez gols sofridos e nenhum marcado.  Último colocado. O Gama fez hoje mais gols do que fizera nos últimos 6 jogos somados contra o Ceilândia . O fundo do poço. 

Ceilândia pouco incomodou a defesa do Gama

Vai ser uma noite difícil. O Ceilândia de hoje repetiu os mesmos erros do Ceilândia dos jogos anteriores.  Dessa vez nem a defesa foi capaz de segurar a goleada. O Gato Preto tem sérios problemas do meio de campo para a frente, tanto ofensiva quanto defensivamente. Muito já se disse aqui. 

Jogadores do ataque tem muitas funções. É preciso simplificar.

O caldo de cultura estava criado para a goleada de hoje. O Ceilândia até começou equilibrando as ações de intermediária a intermediária. Bastou um cochilo e a porteira foi aberta. Platini fez 1 x 0 aos 18. Aos 27, de penalti, Platini fez 2 x 0. Dois minutos depois, Esquerdinha fez 3 x 0.

Veio o segundo tempo e aos 8  Wallace fez 4×0. Um minuto depois, Julio fez 5 x 0. O Gama continuou soberano. Aos 22, Alba, de penalti, fez 6 x 0. 

Penalti claro: Gama está noutro nível

Não se pode dizer que o Ceilândia não foi valente. Pode-se até questionar que o time (salvo raras exceções) é excessivamente meigo nas disputas de bola, mas não se questiona a disposição.

O problema é que valentia não ganha jogo, é preciso jogar futebol. O Ceilândia precisa urgentemente funcionar coletivamente(isso é um trabalho do treinador),  voltar a jogar futebol. Mais que perder jogos, está perdendo o respeito dos adversários.

Cena comum no jogo de hoje: gol do Gama

Gauchinho precisa agir rápido. Apesar da valentia e da entrega e de 4 ou 5 bons valores, o Ceilândia ainda não funciona coletivamente. Quando um time não consegue jogar coletivamente depende das individualidades. O problema é que  3 ou 4 jogadores individualmente não estão rendendo como esperado. 

Está na hora de calçar as sandálias da humildade. Gauchinho chegou agora, mas a responsabilidade de fazer o time funcionar coletivamente é dele. Terá muito trabalho. 

Um grande escritor americano, Henry David Thoreau dizia: simplifique, simplifique. Nós podemos ter qualquer coisa que quisermos em nossa vida, mas nós não podemos ter tudo que queremos. Está bem.. hoje não podemos ser campeões, mas podemos ao menos recuperar a nossa dignidade.

Ceilândia vive dias de definições dentro e fora de campo

Ceilândia volta a enfrentar o Gama: Em 2019 derrota em casa por 1 x 0.

Tudo que o Ceilândia precisava era de uma semana tranquila de trabalho antes do jogo importante deste sábado diante do Gama. Quem conhece um pouco de futebol sabe que isso dificilmente aconteceria após duas derrotas consecutivas. As cobranças iriam aparecer. Estão acontecendo.

Marcelo Conte, à direita, sai do Ceilândia

A pressão por resultado faz parte do dia-a-dia. Se o resultado não vem, há cobranças dentro e fora de campo. Vão ser necessários  paciência e equilíbrio. Nem sempre esses produtos estão à disposição.

Péssima primeiro tempo contra o Real. Time não evoluía

Dentro de campo a primeira vítima foi o técnico Marcelo Conte, demitido nesta terça. As cobranças pareciam visíveis já na semana passada. Havia questionamentos sobre a dificuldade de evolução do time e até mesmo dos métodos de treinamento, considerados antiquados. O primeiro tempo ruim diante do Real pesou e houve intervenção durante o jogo.

Marcelo Conte não é mais treinador do Ceilândia

Fora de campo as estruturas de poder ainda estão se acomodando. As disputas são naturais no mundo do futebol e tendem a ficar mais evidentes no início de trabalho. Aqui também vai ser necessário equilíbrio porque o tempo não para e sábado, 15h30, tem jogo importante.

Os dias são de instabilidade, mas os jogadores, técnicos e dirigentes  sabem o mundo que vivem.  A direção agiu rápido e trouxe Gauchinho que dirigirá o Ceilândia no próximo sábado.

Base: Sub-17 garante vaga nas 8as. Sub-15 vai ter que suar.

Os times Sub15 e Sub17 do Ceilândia enfrentaram o Gama neste final de semana.  Tanto Ceilândia quanto Gama precisavam de vitória para garantir antecipadamente as classificações para o mata-mata. 

SUB17 GARANTE A CLASSIFICAÇÃO 

No primeiro jogo do dia, os times sub-17 fizeram um jogo extremamente disputado.  O Ceilândia começou melhor. Conseguia espaço para realizar a transição pelo meio e chegou diversas vezes com perigo ao ataque.  O Gato Preto fez 1×0, em cobrança de penalti. Poderia ter ampliado, não fez.

Um instante de instabilidade e o Gama empatou, também em cobrança de penalti. Veio o segundo tempo e o Ceilândia perdeu a transição com a bola no chão. Fez o jogo do Gama que é um time mais forte fisicamente. O jogo ficou feio e terminou em 1 x 1.

SUB-15 PAGA O PREÇO DO MAL COMEÇO

Na segunda partida do dia,  o Sub15 do  Ceilândia sequer teve chance de se organizar em campo. Num chutão de muito longe, a bola surpreendeu o goleiro alvinegro logo no primeiro minuto. Não deu tempo: logo em seguida o Gama fez 2×0. O Ceilândia sentiu. Penalti e Gama 3 x 0. 

Foi então que a comissão técnica entrou em campo. Pediu para os meninos se acalmarem e jogar bola. O Ceilândia cresceu de produção, mas já era tarde. Final: Ceilândia 1 x 4 Gama.

O time Sub15 agora precisa vencer o Gaminha na última rodada e torcer para que o Legião vença o Planaltina EC. Não é impossível, mas ficou difícil.

Base: Juvenil e Infantil goleiam Brazlândia

Sub-17 manteve a liderança na luta pelo bicampeonato.

Jogando na tarde quente deste domingo na Metropolitana, o Gato Preto venceu o Brazlândia tanto na categoria Sub-17 quanto na Sub-15. Com as vitórias, o Gato Preto segue firme na luta pela liderança do Grupo A da competição.

Sub-17: jogo começou difícil, mas aos poucos o Ceilândia fez valer seu melhor jogo.

No primeiro jogo do dia o Ceilândia Sub-17 venceu o Brazlândia por 4 x 0. O resultado mantém o Gato Preto na liderança do Grupo A, seguido de longe pelo Planaltina EC que venceu o Gaminha por 1 x 0.

Ceilândia mantém liderança do Grupo A Sub-17

Depois foi a vez do Ceilândia Sub-15. O time alvinegro construiu o resultado final de 3 x 0 e segue firme na sua perseguição à Aruc, líder do grupo e que venceu o Capital por 3 x 1.

Mau estado do gramado não foi obstáculo a mais uma vitória alvinegra

Nos campeonatos Sub-15 e Sub-17 as equipes do Grupo A enfrentam as do Grupo B. No próximo final de semana, o Ceilândia mede forças com o Gama,  líder do Grupo B.

Camisa 13 comemora sob chuva intensa: Ceilândia 1 x 0 Sobradinho

Mas eles não gostam do Ceilândia, quem gosta do Ceilândia somos nós!

Mas eles não gostam do Ceilândia, quem gosta do Ceilândia somos nós!

Israel de Brito

 

            Futebol e dinheiro no Distrito Federal são praticamente palavras rivais. O Ceilândia nunca foi um time rico, mas sempre foi um time guerreiro e acima de tudo, organizado dentro das quatro linhas. Reflexo disto, fomos campeões Candangos com um orçamento bem menor que os dos nossos rivais.

Ceilândia se apresentou em 18 de dezembro

Acostumamos-nos com uma temporada que não vai apenas até abril, pois nossa trajetória no Candangão sempre foi de fazer inveja aos endinheirados e temos a Série D como uma rotina no nosso calendário. Os jogadores que se destacam com a Camisa do Gato Preto acabam arrumando as malas e partindo para clubes que infelizmente possuem a possibilidade de oferecer um contrato melhor que o nosso.

Tatuí deixou o Ceilândia e foi para o CRAC

            Mas o Ceilândia de 2019 não é sequer o reflexo dos times das temporadas passadas. Os jogadores arrumam as malas, vão embora, pois sabem que estão no meio de uma barca furada. O exemplo mais recente, Tatuí, que surpreendeu o torcedor e foi jogar pelo CRAC. Fruto de uma campanha sofrível no Candangão que rendeu apenas duas vitórias na atual temporada, contra os virtuais rebaixados Bolamense e Santa Maria.

Ceilândia teve muita dificuldade contra o Real.

            Afinal, por quais motivos eu estaria aqui escrevendo esse texto? O Ceilândia de hoje não condiz com a sua história e exala desorganização. Na temporada de 2019, enquanto os outros clubes do DF apresentavam o seu elenco, começavam seus treinos, novos uniformes e realizavam todos os trâmites de início de temporada, o Gato Preto foi na contramão. Fez tudo isso pouco antes da estreia do Candangão e o reflexo foi o suado empate contra o Real. Na próxima rodada, vencemos o frágil Bolamense com uma goleada e a torcida voltou a sonhar.

Ceilândia não deu trabalho ao Brasiliense

            Não é minha intenção falar sobre todos os jogos da temporada. O que me deixa revoltado e toda a sua torcida com o Ceilândia Esporte Clube de 2019 é a desorganização em campo. Contra o Brasiliense jogamos recuados, temerosos, assustados, mais preocupados em não tomar gol do que fazer. A bola pune, o futebol é cruel e qualquer um sabe que “quem não faz, leva”.

Ceilândia teve 15 dias de preparação antes de enfrentar o Gama

            Nossa esperança era a parada para o carnaval. Uma paralisação de 15 dias. Dias preciosos para treinar o time, acertar as falhas, colocar ordem na casa, afinal, enfrentaríamos o líder Gama dentro da nossa casa. Nada mudou! Mais uma vez, um time frágil, visivelmente remendado e repleto de improvisações que assistiu o Gama praticamente realizar um jogo treino no último final de semana.

Kabrine comemora com a torcida: Torcida sempre esteve presente

            A torcida sempre esteve presente, em dias de um sol para cada torcedor contra o Gama ou em uma manhã chuvosa e fria contra o Brasiliense, dentro do Abadião, Serejão, Bezerrão ou Mané Garrincha. A Camisa 13, mesmo durante os revezes não parou de cantar e empurrar. O torcedor do Ceilândia está lá na alegria e na tristeza. Esse texto é apenas um desabafo. Quem acompanha o Gato Preto sabe quem são os culpados e quem realmente sofre com os insucessos.

Ceilândia foi derrotado pelo Gama no último sábado.

Antes de escrever esse desafogo entalado na garganta de todos nós, rememorei uma fala do Mano Brown em uma derrota do Santos em pleno dia dos pais. Ele desabafou “A gente cria um filho porque ama o filho. A gente põe comida na boca, dá remédio, leva pra escola, veste…  Não precisa ser formado em medicina. Não precisa ser formado em culinária pra dar comida pra um filho. É só você amar. Então, se os caras gostassem do Santos, ele não tava desse jeito. Mas eles não gostam do Santos, tio. Quem gosta do Santos somos nós.”

Pois bem, torcedor do Ceilândia. Se “eles” gostassem do Ceilândia – e sabemos que não gostam – não tava desse jeito. Eles não gostam do Ceilândia! Quem gosta do Ceilândia somos nós!

Cordialmente,

Israel de Brito

 

Gracias a la vida que me ha dado tanto”

Mercedes Sosa.

Ceilândia derrotado pelo Gama: 1 x 0

Formiga começou dando trabalho para a defesa do Gama: saiu lesionado logo no começo

O Ceilândia foi derrotado pelo Gama na tarde deste sábado por 1 x 0 . O resultado não retira o Ceilândia  do G8, mas mostra que o time, contra adversários do mesmo nível, vai precisar construir uma melhor colocação.

Michel, Helinho e Gago tiveram espaço para trabalhar no primeiro tempo. No segundo: anulados pelo Gama

O Ceilândia não fez uma má partida, mas também não foi capaz de envolver o Gama. Foi um jogo de poucas oportunidades, mas as melhores oportunidades do jogo foram sempre do Gama.

Gago viveu bons momentos no primeiro tempo. No segundo: anulado

O alviverde começou melhor. Tomou a iniciativa do jogo, mas a defesa do Ceilândia estava bem posicionada. Kabrine, deslocado para o meio, ajudava Sami para conter as ofensivas do Gama pelo lado esquerdo da defesa alvinegra. 

Cocada fez uma partida quase impecável, mas o Ceilândia pouco atacou

Aos poucos o Ceilândia equilibrou o jogo. O Gama marcava mal pelo meio e o Ceilândia encontrava saída com Michel, Gago e Helinho. O problema é que o Ceilândia chegava apenas pela direita, com Murilo. 

Defesa foi muito exigida numa tarde em que o Ceilândia quase nada criou

O primeiro tempo seguiu equilibrado. A rigor houve apenas uma situação de gol, mas a defesa do Ceilândia conseguiu interceptar e  afastar a bola. Cocada e Felipe fizeram uma partida quase irrepreensível. O futebol, contudo, condena o quase…

David estreou. Naquele momento o Ceilândia já não tinha força

Veio o segundo tempo e o Gama voltou melhor. Nos dez primeiros minutos, o Ceilândia mal passou do meio de campo. Tartá acertou uma bola no travessão alvinegro. Quando o Ceilândia fez as suas primeiras transições para o ataque sofreu o gol: Nunes, aos 12.

Depois do gol o Gama cedeu espaço para o Ceilândia. O Gato Preto era valente, mas faltava sempre o último passe.  O Ceilândia insistiu, insistiu, mas não passou da área de defesa alviverde. O Gama, ao contrário, em contra-ataques, teve a oportunidade de ampliar, mas Vitor fez ao menos duas defesas importantes.

Victor fez ao menos duas boas defesas: Gama perdeu melhores oportunidades.

Nos minutos finais o Ceilândia pareceu ter jogado a toalha. O time tentava, mas o Gama, melhor postado, controlou o jogo até o final. Pouco para tanta luta.

O Ceilândia enfrentou adversários sabidamente inferiores e sabidamente superiores. Teve um acidente no meio do caminho, contra o Capital. Agora terá pela frente adversários do meio da tabela. Aqui decidirá a que veio.

Agora, Gama. Depois, adversários diretos. Vida dura para o Gato.

Vilson de Sá: importante em um momento difícil

O Ceilândia terminou a sua preparação para o jogo de amanhã, 15h30, no Abadião, diante do Gama. O trabalho na semana foi bom.  

Jairo já tem uma sombra para Romário: Cleiton Júnior regularizado

E meio a diversas dificuldades, o time tem se superado. Agora terá pela frente uma sequência de confrontos diretos contra times que estão lutando por um lugar no mata-mata e, em particular, por uma vaga no G4.   Para o confronto de amanhã, Jairo Araujo terá à sua disposição o atacante Cleiton Junior.

Cocada é uma das poucas certezas para amanhã

Cleiton vem, neste momento,  com a missão de ser a sombra de Romário. Cleiton é mais experiente, mas ainda vai precisar de algum tempo para chegar no nível ideal. Gol ele sabe fazer.

Caio dá combate em Formiga. Jefferson e Vinicius observam
Ceilândia e Gama jogam amanhã às 15h30, no Abadião

No mais, o Ceilândia deve manter o time que goleou o Santa Maria. Os ingressos estão sendo vendidos no site do Bilhete Candango (www.bilhetecandango.com.br) e tambémn serão vendidos nas bilheterias do Estádio.

Nome
Cleiton Junior
Posição
Atacante
Altura
1,86m
Peso
81kg
Ligas
Campeonato Candango
Temporadas
2019
Nascimento
6 de abril de 1986
Idade
34

Ceilândia cuida dos últimos detalhes antes de enfrentar o Gama

Victor é peça importante no Ceilândia 2019

O Ceilândia fez na tarde desta quarta-feira um dos seus últimos treinos antes do jogo deste sábado, 15h30, no Abadião, diante do Gama. O técnico Jairo Araújo teve a oportunidade de testar algumas alterações na equipe alvinegra. Fora de campo elogios ao profissionalismo dos atletas.

Treino movimentado na tarde desta quarta: Mandi impede o avanço de Kabrine

O treino foi movimentado. Dentre as novidades em campo estava Cleiton Junior. O atacante ainda precisa ser regularizado para poder enfrentar o Gama. 

Cleiton Junior, sem colete, pode estrear contra o Gama

Atualmente na sexta colocação, o Ceilândia precisa da vitória para se firmar na competição. É certo que uma vitória ajuda e dá moral para a sequência difícil que o Gato Preto terá.

Os ingressos para o jogo serão vendidos pela internet no endereço www.bilhetecandango.com.br. Toda a responsabilidade pela bilheteria está com a empresa responsável.

Jairo prepara o time. Ceilândia traz Cleiton Junior

Ceilândia foi surpreendido pelo Gama quando achava ter a partida sob controle
Em 2018, Ceilândia foi surpreendido pelo Gama quando achava ter a partida sob controle

Oito pontos separam o Ceilândia do líder Gama. Enquanto o Gato Preto vai aos poucos entrando no ritmo da competição, o adversário vem de uma sequência muito boa de resultados.  Já classificado para o mata-mata, o Gama precisa de uma vitória para garantir-se no G4.

Ceilândia e Gama: jogos sempre tensos

Enquanto a classificação para o adversário já é uma realidade, o Ceilândia precisa da vitória para consolidar-se como um dos pretendentes a uma vaga no mata-mata. Há tempos Ceilândia e Gama não se enfrentam em uma situação que para o Gato Preto seja tão adversa.

Gago foi mais uma vez discreto: necessidade de melhorar a cada jogo
Gago é um dos cinco jogadores do elenco atual que já enfrentou o Gama pelo Ceilândia.

O técnico Jairo Araujo teve quinze dias para trabalhar o Gato Preto. O time veio melhorando aos poucos. Nessa reta final espera-se um pouco mais de consistência e de intensidade para enfrentar Gama, Formosa, Sobradinho, Luziânia e Paracatu. O Ceilândia não vai ter moleza nessa reta final.

Romário terá a sombra de Cleiton Junior

Uma boa notícia para Jairo é que o Ceilândia possivelmente contará com Cleiton Junior.  O atacante de 32 anos tem muitos gols em seu currículo e isso pode ser importante nessa reta final. No mais, o time deve ser o mesmo da goleada sobre o Santa Maria. Almir Camargos será o árbitro.

Candangão 2019

PosClubeJVEDGPGCSPts
11714303492545
217113331112036
3156451512322
4155731810822
5135532012820
6135351720-318
7134451215-316
8133641513215
9113351110112
1011146511-67
1111038627-213
12110110438-341

Evolução colocada à prova: Sábado, 15h30, Ceilândia x Gama

Ceilândia depende muito de Gago. Sábado, vai depender de todos. Jogo muito difícil

O Ceilândia vem se recuperando no Candangão 2019. Agora vai ter uma sequência de jogos difíceis contra adversários diretos na disputa por uma vaga no mata-mata. O primeiro desafio vai ser no sábado, 15h30, no Regional, contra o Gama.

Ceilândia evoluiu depois do jogo contra o Brasiliense: contra o Gama será outra história

O intervalo de 15 dias entre a 6a e a 7a rodadas foi bom para o Gato Preto. O Ceilândia precisava desse tempo para se acertar porque vai enfrentar um adversário que há duas semanas mostrava mais consistência e intensidade que o alvinegro. Jairo Araújo precisava desse tempo de trabalhar.

Allan Dellon fez o gol da última vitória alvinegra em 2014

Deve ser um jogo difícil! Ceilândia e Gama vão se enfrentar pela 78ª vez e o Gato Preto não vence o seu adversário desde 2014. De lá para cá, quatro jogos com dois empates e duas derrotas alvinegras. No total são  20 vitórias alvinegras, 25 empates e 32 derrotas.