Autor: Witon

Ainda está difícil, mas o Ceilândia está vivo: 2 x 1

Americano foi feliz e fez Ceilândia 1 x 0

Acabou a zica! O Ceilândia ficou um turno sem vencer, mas enfim a vitória veio. O Gato Preto não vinha jogando mal, apenas tropeçava na sua própria ansiedade.

Muita comemoração no primeiro gol: merecida

Hoje, aqui em Mato Grosso, o Ceilândia foi feliz. Os primeiros 15 minutos foram extremamente equilibrados, com o Ceilândia tendo as melhores chances. Aos 15,  Americano fez Ceilandia 1 x 0,  em jogada de Matheus Faleiro.

Defesa suportou bem a pressão pelo meio, mas sofreu pelos lados

Após o gol, o Ceilândia deu campo para o Operario. O Gato Preto sofreu muito com a bola jogada nas costas dos laterais. 

Ceilândia teve as melhores chances do jogo

O Operário pressionou,  mas sem pressa. O gol saiu como estava ensaiado: pelos lados. Nelsinho empatou aos 35.

Clemente fez o segundo gol em 2 jogos: Ceilândia 2×1

Veio o segundo tempo e jogo parecia seguir o roteiro do primeiro tempo: Espaços pelos lados e logo aos 2 minutos o Operario teve chance virar o marcador, mas o cabeceio saiu longe da meta de Kayser.

Clemente comemora com Fernandinho Brito

O fantasma do primeiro tempo não durou muito tempo. Essa foi a última vez que o Operario chegou pelos lados. O jogo voltou a ficar equilibrado.

Foi bom ver Gabriel jogar em alto nível, mas a defesa sofreu pelos lados

Aos 15, o Ceilândia voltou a ficar novamente à frente do marcador: Clemente, mais uma vez, aproveitou o cruzamento para livre de marcação fazer Ceilândia 2 x 1.

Ceilândia acertou marcação no segundo tempo

O Operário foi todo ao ataque, mas já não chegava com a qualidade do primeiro tempo. Bem fechado na defesa, o Ceilãndia perdeu algumas boas oportunidades de contra-ataque.

Kayser fez defesa importante no final do jogo

O jogo se encaminhou para o final e o árbitro deu inacreditáveis 11 minutos de acréscimo. O Ceilândia controlou o ímpeto do Operário, poderia ter ampliado para 3 x 1, mas o marcador ficou como estava: Ceilândia 2 x 1. Antes, Kayser fez bela defesa.

Desta vez a defesa não falhou pelo alto

O Gato Preto mantém as chances de classificação. Ainda depende de uma combinação de resultados, mas não está morto quem luta… e o Gato Preto ainda está na luta.

Ação 2×1 Ceilandia. Classificação fica muito dificil

Se Falero tivesse sido feliz nessa conclusão, a história seria diferente.

Parte da torcida se revolta com mais uma derrota. Compreendemos, mas estamos com a parte da torcida que está apenas triste.

O Ceilândia mais uma vez jogou melhor que o adversário. Desta vez não sofreu gol no final, como foi nos últimos jogos, foi no começo.

Ceilandia pressionou bastante, mas não foi feliz

O Gato Preto tomou a iniciativa do jogo. O Ação explorava as bolas longas, aproveitando o fato de que o Ceilândia tinha dificuldade com a primeira bola.

Aos 15, a bola sobrou para Daniel que foi muito feliz e fez um golaço: Ação 1 x 0.

Geovane ganha pelo alto

O Ceilândia perdeu seguidas oportunidades de empatar, mas apenas uma oportunidade foi clara e consciente.

Aos 37, novo contra-ataque e Daniel fez novamente: Ação 2 x 0.

Ferrugem foi mais uma vez o ponto de equilibrio do time

O Ceilândia foi todo ao ataque. Poderia ter diminuído, mas o chute de Ferrugem explodiu no travessão.

Veio o segundo tempo e logo no primeiro minuto, Clemente diminuiu. Clemente fez uma excelente partida.

Clemente fez o gol do Ceilandia

O Gato Preto foi todo ao ataque. Insistiu, insistiu, insistiu e nada de gol. 

Não achamos que seja hora de achar culpados. Há quem pense que sim. Pensamos que é hora de descobrir soluções. 

Ceilandia volta a Cuiaba na proxima semana, agora para enfrentar o Operario

Pensamos muitas coisas, mas temos acompanhamos um velho ditado: o fígado é um péssimo conselheiro.

 

Ceilândia eliminado na 3a fase da Copa do Brasil 2022


O Ceilandia foi novamente derrotado pelo Botafogo e novamente por 3 x 0. Apesar do placar, o Ceilandia não jogou mal.

No primeiro tempo, apesar do Botafogo ter a iniciativa na maior parte do tempo, o Ceilandia se manteve equilibrado na maior parte do tempo.

O único momento em que o Ceilandia se desequilibrou, sofreu o primeiro gol. Naquele momento, o Ceilandia nao percebera que estava contra as cordas nos ultimos 7 minutos. Precisava quebrar o ritmo do adversario, parar o jogo. Não se parte para a troca de socos quando se está contra as cordas. Boxeador usa o clinche.

Created with GIMP

Veio o segundo tempo e o panorama da partida se manteve, mas o Ceilândia já não chegava como no primeiro tempo.

Os gols vieram com alguma naturalidade, fruto da intensidade do adversário. A intensidade do Botafogo é algo desconhecido do Ceilandia nas competições que participa.

Created with GIMP

No geral o Gato Preto não jogou mal. Jogou o futebol que joga e que parece suficiente para lhe conferir uma das melhores campanhas da Série D 2022. Obviamente que não era suficiente para passar pelo Botafogo. A intensidade do jogo alvinegro impressiona.

Agora o Ceilândia volta suas atenções para a Série D. Não há razões para se envergonhar porque o time.lutou, lutou e lutou. Para o torcedor é o que importa.

Domingo, enfrentamos nosso rival. É para esse jogo que nossos corações se voltam.

 

Ceilândia x Botafogo-RJ: Fichas na mesa


Ceilândia e Botafogo voltam a se encontrar hoje à noite pela Copa do Brasil.
Para o Ceilândia é uma tarefa difícil em várias dimensões. No plano físico-técnico ficou a a diferença apresentada no primeiro jogo.

No primeiro jogo Ceilândia sofreu muitos desarmes na altura do meio de campo.

No plano tático é de se esperar uma diferença menor. O Ceilândia do primeiro jogo era um time muito diferente daquele que uma semana antes havia decidido o Campeonato Candango. O trabalho e o time evoluíram de lá para cá.

Velocidade do Botafogo surpreendeu Ceilândia

No plano emocional há de se esperar menos erros pessoais. No estratégico o Ceilândia sabe que inverter o resultado é possível, mas pouco provável. Então é provável que não jogue todas as suas fichas enquanto  o confronto demonstrar que não poderá ser revertido.

Adelson e auxiliares: no primeiro jogo, 7 dias de trabalho de remontagem do grupo para Serie D.

Em outras palavras: o Ceilândia entraria no jogo de hoje com um pé no Engenhão e outro no Defelê porque  domingo tem Brasiliense pela Série D.

Ceilândia e Brasiliense se enfrentam domingo: um pé no Engenhão e outro no Defelê.

Claro, todos conhecemos Adelson. Ele não é de jogar a toalha e muito constantemente encontra saídas pouco ortodoxas para problemas difíceis. Hoje, o problema é de custo-benefício.

Ceilândia vai a Anápolis, segura o GEA e volta com empate

No passe de Matheus Guarujá, a melhor chance do Ceilândia com Hiury

O Ceilândia foi ao Jonas Duarte enfrentar o Gremio Anapolis. Durante a maior parte do jogo, o Ceilândia entregou a bola para o adversário. O Gremio Anapolis apesar da posse tinha grande dificuldade na transição e se tornou presa facil para o sistema defensivo alvinegro.

Kayser foi um mero expectador: volantes e defesa controlaram as ações do GEA

Essa foi a toada do jogo: o Ceilândia se desfazia rapidamente da bola para em seguida recupera-la no campo de defesa. O Gremio Anapolis tinha uma transição lenta que facilitava muito a vida da defesa alvinegra.

Hiury e Filipinho jogaram muito avançados. Deixaram muito espaço para os volantes

Veio o segundo tempo e se esperava que o panorama mudasse. Nao mudou integralmente. A diferença agora foi que o Ceilândia conseguia retomar a bola na sua intermediaria.

Filipinho correu muito. Saiu exausto.

Na metade do segundo tempo os tecnicos fizeram diversas alteraçoes. No Ceilandia entraram Peninha, Hericlis e Werick.

O Ceilandia foi melhor nos ultimos 15 minutos

O jogo ficou mais franco, sem as posses de bola intermináveis nos campos de defesa. Ainda assim, apesar dos dois times terem  chegado uma ou outra vez, os dois goleiros não trabalharam.

Matheus Guaruja deu muito trabalho ao GEA, mas faltou aproximação

Em termos de campeonato foi um bom resultado. O Ceilândia vai ter agora uma sequencia de jogos em casa contra Operario-VG-MT e Ação-MT. Depois de 3 semanas de trabalho é de se esperar que mostre o padrão de jogo que se espera.

Diferença entre expectativa e realidade: Goianésia 2×0

É muito difícil tirar a realidade do Ceilândia pelo resultado de hoje, mas é o que temos para servir.

Jogando na tarde deste sábado, o Ceilândia foi derrotado pelo Goianesia por 2 x 0.

O jogo foi essencialmente equilibrado, mas o Goianesia soube explorar melhor as chances criadas.

O resultado não diz o que foi o jogo, mas é suficientemente claro para demonstrar que o Gato Preto ainda precisa de ajustes.

Adelson começou com duas alterações em relação a semana passada. Tarta no lugar de Werick e Rato no lugar de Crystian.

O Goianésia começou melhor. Tomou a iniciativa do jogo e explorou a velocidade pelas laterais para incomodar o Ceilândia.

O Gato Preto lutou como pode, mas era incapaz de segurar a bola no ataque: a bola batia no ataque e voltava rapidamente.

Não se quer retirar o mérito do Goianésia porque o time goiano venceu por seus proprios méritos. Mas a maneira como o Ceilandia subia desequilibrado ajudou.

Os gols vieram no inicio de cada tempo. Aos 16 do primeiro e aos 16 do segundo.

O Ceilandia foi melhor que o Goianesia no segundo tempo inteiro. Foi também incapaz de criar situações claras de gol.

Ser derrotado nunca é bom, mas é melhor que tenha sido agora. Há a certeza que o Ceilandia tem um bom time, mas entre a expectativa e a realidade há sempre um distância a ser percorrida.

No proximo sabado, Ceilandia enfrenta o Gama, agora valendo 3 pontos.

Em meio às festas, foco em 2018

Goleiros treinam em separado. Wendell, ao centro, é um velho conhecido da Copa Verde

O Ceilândia retornou aos trabalhos depois da breve folga para o Natal. Os atletas realizaram trabalhos físicos e técnicos.

Emerson treina forte: bom nome de 2017 e de quem se espera um salto de qualidade em 2018

Faltando menos de um mês para a estreia na Copa Verde, o Gato Preto sabe que precisa trabalhar muito se quiser repetir a campanha de 2017. Sabe tambem que vai ter que se superar mais ainda se quiser conquistar os títulos que fizeram falta  no ano passado.

Batata demonstra aplicação  no treino físico

A comissão técnica elogia o trabalho feito até o momento e a dedicação do elenco. Na avaliação da Comissão, os jogadores novos como Ronan, Cauê e Vavá, ao lado da estrutura herdada de 2017, Dudu, Elivelto, Didão, Emerson e Alcione, podem dar muitas alegrias ao torcedor alvinegro. 

Treino técnico: Adelson ainda terá muito trabalho

Ainda  na visão da Comissão Técnica o momento é de trabalhar técnica, física, tática e mentalmente o elenco para uma temporada que promete ser longa. Os resultados, afirmam, dará a medida do trabalho e do compromentimento de cada um. 

[efb_likebox fanpage_url=”ceilandiaec” box_width=”600″ box_height=”” locale=”pt_BR” responsive=”1″ show_faces=”1″ show_stream=”0″ hide_cover=”0″ small_header=”0″ hide_cta=”0″ animate_effect=”fadeIn” ]

2017 tem um começo difícil para o Ceilândia

Ceilândia inicia nesta quinta jogos das semifinais 2017

Ceilândia sabe que, para 2017, vai precisar de elenco forte mais que um time forte
Ceilândia já disputou 4 mata-mata em 2017:  agora, o mais importante

Restaram quatro times: Brasiliense, Ceilândia,  Paracatu e Sobradinho. Nesta quinta, a partir das 15h30, Brasiliense e Sobradinho se enfrentam no Estádio Nacional, no primeiro jogo das semifinais do Candangão 2017. 

Pouco depois, às 16h00, em Paracatu, o Ceilândia enfrentará o empolgado time da cidade mineira, que vem de eliminar o Gama nos penaltis. 

A previsão é de que os jogos sejam equilibrados. O Ceilândia tem, dentre os favoritos, a tarefa mais complicada.

Os jogos de volta serão disputados no próximo domingo às 15h30.

Ceilândia se veste de preto e branco: 2×0

   
O Ceilândia recuperou-se dos recentes tropeços ao vencer o Brasiliense na tarde deste sábado, no Regional, por 2×0.

 
Foi a primeira vez que o CEC jogou como visitante no Regional enfrentando o Brasiliense. 

   
O Gato Preto entrou em campo com uma estrutura diferente. Destaque para a entrada de Sandro que entrou no lugar de Romarinho, única alteracao em relacao ao time que tropecou contra o Planaltina-GO. A outra novidade foi Mario Henrique que entrou no lugar de Kabrine, suspenso

 
O jogo teve dois periodos distintos. No primeiro tempo o Ceilandia foi sempre superior e teve o merito de aproveitar as chances que criou. 

   

Na primeira, Liel achou Mario Henrique em boas condicoes para abrir o marcador aos 32.

Na segunda, o mesmo Liel serviu Filipe Cirne que fez o segundo gol alvinegro aos 39.

 
No segundo tempo, o Brasiliense tomou a iniciativa de jogo, mas foi incapaz de criar situacoes claras de gol.

O Ceilandia cuidou de administrar a perigosa vantagem. No final, Léo teve pouco trabalho e o placar permaneceu inalterado.

  
O resultado devolveu um pouco da autoestima alvinegra e as cores preto e branco ao Estadio Regional.

No final, comprovou-se o que já se sabia: o Ceilândia é forte. Resta outra comprovação: ser constante o suficiente para pleitear o título… mas isso é um trabalho que nao se alcancçará agora, mas passo a passo. 

Na foto de Clebio Jr, Clube do Esporte DF, o Ceilândia de amarelo: Gato não jogará

Beni: Ceilândia não joga no Abadião Amarelo

Na foto de Clebio Jr, Clube do Esporte DF, o Ceilândia de amarelo: Gato não jogará
Na foto de Clebio Jr, Clube do Esporte DF, o Ceilândia de amarelo: Gato não jogará

O Ceilândia não tem a maior  torcida do DF, mas o Ceilândia tem história. Ao lado de Gama, Sobradinho e Brasília, o Ceilândia é um dos poucos remanescentes da década de 70 ainda em atividade e, mais importante, na primeira divisão do futebol local.

O Ceilândia tem uma história que precisa ser respeitada. A informação chegada ao CeilandiaEC é a de que Neimar Trindade, ajudante parlamentar júnior comissionado, do Gabinete do Senador Hélio José, teria autorizado pintar o estádio de amarelo porque a tinta teria sido ganha de um comerciante da cidade. É de se perguntar se ele teria coragem de fazer o mesmo no Bezerrão.

Neimar Trindade seria um dos novos homens fortes do futebol do DF ao lado do Senador Hélio José. Ao tempo em que teria forte ingerência na gestão do Estádio Regional da Cidade, Neimar surge nas atas da Federação local como “representante dos torcedores do futebol do DF”.

Já Beni Monteiro, o homem forte do futebol do Ceilândia, afirmou que o Ceilândia tem tudo para disputar o campeonato 2016. Antecipou, contudo,  que o Ceilândia não vai jogar no Estádio Regional pintado de amarelo.  Trata-se de um desrespeito à bandeira da cidade, às cores dos times da cidade e à história dos times da cidade.

A informação chegada ao CeilandiaEC dá conta que o Brasiliense de fato vai mandar seus jogos no Estádio Regional. Quanto a isso, não há  oposição. O Brasiliense é bem vindo, mas é absolutamente constrangedor que os moradores da cidade sejam desalojados para que um estranho ocupe o espaço.

A decisão está nas mãos de Neimar Trindade Frota um homem que, por sua vivência no futebol de Ceilândia, deveria melhor compreender a sua história e seus valores.

Almir garante: Ceilândia joga!

Almir: Ceilândia disputa!
Almir, com Dimba e Cassius em 2011: Ceilândia disputa!

O quadro é de indefinição no Ceilândia. Com pouco mais de um mês para os inícios de sua preparação para o Campeonato Metropolitano de 2015, o Ceilândia não sabe ainda se disputa ou não a competição. Enquanto isso, já há times treinando.

A diretoria está dividida. Beni Monteiro perdeu o encanto com o futebol e estaria disposto a licenciar o clube por dois anos. Para ele, se dedicariam a explorar comercialmente o centro de treinamento com o futebol e o restante da área com vaquejada. Parte do clube já contaria com baias para cavalos.

Outra parte da diretoria resiste. Almir de Almeida, sempre otimista, garantiu ao CeilandiaEC que o CEC disputará o campeonato de 2016.

A diretoria se reúne nesta segunda. Na pauta, a decisão de disputar ou não a competição. Há outro problema: a Administração da cidade, numa atitude no mínimo desrespeitosa com a própria cidade, pintou o estádio de amarelo. Ceilandense é rubro-anil; o Ceilândia é alvinegro e, por fim, as cores da bandeira de Ceilândia são azul e branca.

Em campo, alguma dificuldade com a bola

20 dias da estréia

Treino com bola: atletas ainda tecnica e fisicamente longe do ideal
Treino com bola: atletas ainda tecnica e fisicamente longe do ideal

O Ceilândia iniciou a sua segunda semana de preparação para o Campeonato Candango de 2015.

Não há tempo a perder. Diante do pouco tempo para a preparação, já na última sexta-feira os atletas tiveram contato com bola.

No sábado, os atletas tiveram um misto de atividade recreativa e de jogo-treino diante de um combinado amador.

Nesta segunda: treinos físico e técnico. Para fechar, treino alemão
Nesta segunda: treinos físico e técnico. Para fechar, treino alemão

Nesta segunda-feira, 5/1, os atletas começaram efetivamente o trabalho técnico com bola. A preparação física não foi descuidada.

Em campo, Adelson organizou um treino-alemão. Percebe-se que há muito por fazer, algo natural, aceitável até. Tecnica e fisicamente os jogadores ainda parecem longe de suas condições ideais.

Em campo, alguma dificuldade com a bola
Em campo, alguma dificuldade com a bola

O técnico Adelson de Almeida acredita que a intensidade dos treinamentos irá aumentar gradativamente.Para Adelson o que os atletas precisam, nesse momento, é concentrar-se no trabalho, visto que o tempo é curto.

Outro problema enfrentado está na dificuldade para conseguir amistosos

Gol no treinamento: Ceilândia procura o melhor caminho para 2015
Gol no treinamento: Ceilândia procura o melhor caminho para 2015

 

Por agora, apenas um amistoso está confirmado, em 18 de janeiro, diante do Caldas.

Enquanto isso… trabalho, trabalho, trabalho…

Related Images:

2008: Ceilândia e Gama no antigo Mané Garrincha - longe de sua torcida, Gato perdeu vínculo com sua cidade

Esperanças em 2015

2002: estádio cheio para jogo contra o Brazlândia. Público menor ano após ano
2002: estádio cheio para jogo contra o Brazlândia. Público menor ano após ano

Há algo de novo no ar… Pela primeira vez, em anos, parece que teremos um bom Campeonato Candango. Muito disso se deve ao fato de se acreditar que o Gama terá um bom time. O futebol local depende muito da energia positiva do Gama, de sua torcida em particular.

Do lado do Ceilândia o ano também será de ressurgimento. Ainda longe de empolgar a sua torcida, a diretoria apostou por um planejamento “pés-no-chão”.

A base do elenco será aquela que disputou, sem muito sucesso, o campeonato goiano da terceira divisão em 2014.

2008: Ceilândia e Gama no antigo Mané Garrincha - longe de sua torcida, Gato perdeu vínculo com sua cidade
2008: Ceilândia e Gama no antigo Mané Garrincha – longe de sua torcida, Gato perdeu vínculo com sua cidade

Acreditar que Cássius e EdiCarlos sejam capazes de unir o time em torno de um projeto vitorioso faz parte da esperança. Atrás, a experiência de  Badhuga se somará aos esforços de Sandro e Caio Chulapa.

No mais, o Ceilândia contará com jovens revelações de futebol local e com a experiência de Adelson de Almeida.

O time se apresentará amanhã, na Cidade do Gato. Após os exames de praxe, o elenco será apresentado oficialmente às 16h00.

Como sempre, a estrutura desempenhará um papel à parte.  É esperar que dê liga em vinte e poucos dias…

Related Images:

CEC estréia contra o Paracatu, no Regional.

Andre Tavares: poucos minutos em campo contra o Paracatu
Jogo truncado em 2014: vitória do Ceilândia por 1 x 0

24 dias é pouco tempo. Mas é isso que o Ceilândia vai ter até a estréia, dia 25 de janeiro, às 16h00, no Regional, diante do Paracatu.

Com o time ainda sendo montado, o Ceilândia já tem garantida a sua base. Na defesa, Badhuga e Sandro; Caio, Ewerson (Santa Helena) e Filipe Cirne no meio e, no ataque, Cassius e EdiCarlos.

O Ceilândia não deve ter medalhões em 2015. Nesse particular, a responsabilidade de conduzir um time jovem ao título estará nas mãos de EdiCarlos e Cassius.

Related Images:

Badhuga disputa com Edicarlos: agora do mesmo lado

Badhuga, Filipe e Edicarlos: a espinha dorsal alvinegra em 2015

Edicarlos (caído) e Filipe Cirne: ex-Sobradinho jogarão pelo Ceilândia em 2015
Edicarlos (caído) e Filipe Cirne: ex-Sobradinho jogarão pelo Ceilândia em 2015

O Ceilândia ultima os preparativos para a apresentação do elenco 2015. A base do time será a mesma que disputou a terceirona goiana: um time jovem, mesclado com alguns poucos jogadores experientes.

A fórmula utilizada será exatamente oposta à de 2014.

Edicarlos e Filipe Cirne devem serão as novidades. Edicarlos é conhecido jogador do futebol local. Filipe Cirne fez boas campanhas pelo Sobradinho.

Badhuga disputa com Edicarlos: agora do mesmo lado
Badhuga disputa com Edicarlos: agora do mesmo lado

A par dos jogadores testados no segundo semestre, o técnico Adelson de Almeida espera contar com ao menos duas das revelações da competição goiana.

Contando com uma boa base e com a estrutura da Cidade do Gato, o alvinegro espera surpreender em 2015.

A apresentação está marcada para depois do natal, mas os trabalhos deverão começar efetivamente em 2 de janeiro.

Related Images: